quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Como está eu não engulo...Meu voto é nulo!

Mes amis...
Nunca fui simpatizante de anular voto...Confesso, é quase uma culpa, um pudor...
Muito pela sensação de direito-dever implícita ao voto, e outro tanto pela arrogância típica daqueles que se julgam "politizados", e portanto, capazes de retirar "algo" do processo político, sem moralismos, éticas universais, etc.
Por outro lado, sempre considerei, discordando, a hipótese da anulação do voto como escolha política, e não falta dela...Esse ano, caso não haja, e tenho quase certeza que não haverá, mudanças substanciais no cenário, vou anular meu voto...E fazer campanha pelo nulo...Abstenção, como dizem "os especialistas" não desqualifica a democracia, pois alguns países com instituições fortes, regimes democráticos consolidados, têm alto nível de abstenção, uma vez que a eleição se resume a temas não resolvidos, que atingem um número pequeno de eleitores interessados em manifestar sua vontade...Afinal votar é sempre fazer valer sua opinião sobre algo que deseja manter ou reformar...Que sempre antagoniza grupos...
Paradoxalmente, nesses países, quanto mais alta a abstenção, menor teor de conflito e instabilidade...
O que não é o caso em Campos dos G., onde a anulação do voto é explicitação do conflito, por ora, insolúvel...Xacal.

Nenhum comentário: