terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Manual do suicídio perfeito...

Alguém já disse que o que nos distingüe dos outros animais é a capacidade de rir de si próprio...Pode ser...mas existe outro traço humano fantástico...A hiprocrisia...Fazer com que os outros acreditem que você abomina coisas que, secretamente, adora...Exigir que outros façam aquilo que você acredita, mas não pratica...por falta de coragem ou de coerência, ou ambas...
Todos queremos acreditar na beleza da vida, mas, todo dia a tornamos insuportável...talvez seja esse o verdadeiro motivo do suicídio ser tão insuportavelmente desejável, devastadoramente desejável...Como uma bela dose de morfina diante das dores da metástase...Uma dose definitiva...Digna...
Essa verdade assombra a humanidade...E talvez, por essa causa os ateus e suicidas sejam, simultaneamente, as duas espécies de gente mais criticadas, mal-entendidas e segregadas...Ora, como suportar a idéia de que ele teve coragem de ser seu próprio deus...Quanta arrogância...Não é melhor ajoelhar, e esperar que outro "deus" faça o serviço?
Faça o que eles querem...dê a eles o que desejam ouvir...O suicídio perfeito é aquele que parece acidente...Todos falarão: "ahhh, coitado, ótima pessoa...um acidente tão estúpido".
A verdade não existe apenas porque não estamos preparados para ouví-la...Loucura é acreditar que se está lúcido...

18 comentários:

Monique Freitas disse...

Encontrei teu texto exatamente tentando encontrar a forma de morrer "acidentalmente" por vontade própria. Nao posto o comentário buscando consolo, nao tenho uma vida trágica, apenas nao quero mais a vida, mas também nao quero deixar amarguras para a vida de quem quer a vida e gosta dela, nesse caso meus filhos. Como fazer isso? Camuflar em acidente o suicídio? Aguardo resposta.

xacal disse...

monique...quem se atreve a publicar um comentário desses, ainda que não tenha achado em seu perfil um contato, onde pudéssemos conversar sobre o assunto, aqui vão algumas considerações...

incitar, auxiliar o suicídio é crime...eu não vou cometê-lo por você...você pode contra-argumentar que se me importasse com isso, não colocaria esse texto, é verdade...mas ele foi escrito dentro de situações específicas (olhe a data), e refletia certo desespero desse autor...não que, filosoficamente tenha mudado de ideia...apenas compreendi que essa questão é pessoal demais(como propõe o texto)para ser publicizada, sem que pareca auto-exposição, ou um pedido de socorro...como não acredito que eu fosse capaz de fazer drama para ter leitores, nem você seria capaz de publicar algo para ter notoriedade, fica a questão: há um desespero real que faça considerar a hipótese...?

caso positivo, e como se trata de uma decisão irreversível (até que seja tomada, é claro...)eu acho que você deve continuar falando no assunto...o tempo está a seu favor, e se você chegar a conclusão que deve desistir, melhor ainda, o tempo está a seu favor, como disse...e há sempre a possibilidade que seu desejo se realiza, sem que você tenha provocado, ou seja...a morte pode te visitar sem marcar antes...

mas de qualquer forma, você pode notar que estou vivo para debater com você, e morrendo todo dia...irreversivelmente...preferi assim...

caso queira conversar mais sobre o assunto, meu e-mail é atrolha@ig.com.br

PS: não há vida após a morte, e pelos blogs que você segue, a ideia de uma realidade metafísica lhe parece crível...não creia...

Monique Freitas disse...

Nao acredito em nada que nao me seja provado e se o fizesse certamente nao consideraria o suicídio pois que todas as crenças que conheço onde se ilustra uma vida após a morte pintam algo muito pior que simplesmente essa cansativa vida, única que conheço, para aqueles que se atrevem brincar de deus. Aí esta a questão: em se tratando de crenças, religiões ou filosofias de vida já li tudo o que me caiu a mão, me foi indicado. Muito fevereiro haver ainda nessas questões que nao conheça pois alem de tempo concebo eternidade ao refletir sobre a criatividade humana. Seguir em seu sentido primário nao sigo nem mesmo o Orkut que visito algumas vezes por semana para ver o que de novo se da entre meus entes no Brasil ou para dar-lhes a saber algo de nossas vidas aqui na Suécia. Obrigada pela pronta resposta e aviso que se me sentirei a vontade para comunicar-me consigo por e-mail, o que nao faço agora pelo avanço da hora em que li sua resposta e me falta a coragem de iniciar o pc. Saudações; Monique Freitas

xacal disse...

Suécia um país triste, não? Em algum lugar desses que repetem clichês, ouvi falar de uma certa tendência ao suicídio...

Difícil conversar com alguém que já leu tudo o que há sobre deus, religião ou filosofia...eu também se tivesse lido algo mais que orelhas de livros, para fingir alguma erudição(como faço, rsrs), também teria me entediado da vida...sorte a minha, então, ser ignorante...rs...já tenho questões demais associadas a minha intuição sobre a futilidade dessa existência precária que chamamos de vida...mas é a única coisa verdadeiramente minha, ainda que me possa ser tirada por algum vírus idiota qualquer ou algum meliante enfurecido...

eternidade, minha cara,é um conceito tão esdrúxulo quanto a noção que temos do tempo...por isso, nem me preocupo com tais "problemas"...só vou seguindo...

Monique Freitas disse...

E nao e o que todos nos fazemos: apenas vamos seguindo? Se a vida nao nos trás prazer que lhe torne boa ou mesmo problemas que lhe formem um desafio, apenas cansativa inércia, que sentido há em continuar? Agora as percepções da vida varia tanto quanto tudo o que e relativo e nao vejo razao para arrastar outros em meu buraco vazio. Algumas pessoas parecem como eu fadadas a passar a vida encerrados em si mesmo buscando respostas e quando apenas se acham mais perguntas pois essa e a segunda certeza da vida depois da morte, esta se torna insuportável. Mas a essência do ser nao muda, ainda que este se pinte em novas cores. Nenhuma
arma tenho para lutar contra meu próprio entendimento, nao me e possível abortar de meu âmago essa inquietude. O que resta em meu vazio senão o nada mais completo, a nulidade plena da morte.
O suicídio e sim prato do dia nesse pais onde a falta de sol trás ao final do inverno criaturas ao abismo. Na maioria jovens, nem chegados aos vinte anos. Escolhem muitas vezes, essas notícias reptem-se constantemente nos janeiros, um caminho simples e feio, jogando-se a frente dos trens, maior meio de transporte coletivo por aqui.
E a primeira vez que conversou abertamente sobre esse assunto. Devo admitir que no mínimo me tem entretido, rss. Quanto a minha pergunta inicial, parece-me que a resposta já me chegou em um momento Eureca. Falar sobre o assunto e exteriorizar suas idéias e a simplicidade com que se cobrem esses irritantes e irrelevantes mecanismos e no mínimo humilhante. Mas sempre tive mais facilidade com o lúdico que com praticidade da vida, rss.
Mas mesmo que nao se importe digo-lhe que tenho tempo. Planejamento e importante e sou provedora para três. Muito há que preparar e arranjar antes que qualquer atitude possa ser tomada. Se o for uma vez que sempre pensei mais que agi. Ação acontece quando exaustei todas as teorias, revi todas as probabilidades. Sendo assim tao chata nao e difícil imaginar porque o tedio me fere tao profundamente, rss.
Foi um prazer discutir abertamente; foi um prazer conhece-ló virtualmente. Ate; Monique Freitas

Anônimo disse...

quero morrer...não suporto minha vida de merda...

Anônimo disse...

Tbm quero, eu sei como cometer o suicídio perfeito,´mas eu penso no sofrimento da minha família.

Anônimo disse...

Morte, morte, morte, é só isso que eu quero. Seja acidente ou não.
Sempre fui esforçada, estudei muito, queria me formar e trabalhar. Sempre fui religiosa, no entanto, na hora em que mais precisei, uma desgraça conteceu em minha vida e não fui protegida disso. Repito: Só queria me formar e trabalhar. Tiraram a minha alegria de viver, os meus sonhos e me deixaram, sinto que estou morrendo aos poucos, já não me alimento bem, nem durmo bem, pesadelos terríveis dos acontecimentos da minha vida. Não aguento mais, me esforcei para superar, mas nem minha mãe me ajuda e ela é a única pessoa que eu tenho. Que venha a morte, seja de que forma for.

xacal disse...

Engraçado, este post era para ser um debate filosófico sobre a vida, ou a decisão de encerrá-la, e acabou por se tornar um consultório.

Não que me arrogue no papel de psicanalista ou terapeuta, nem goste desta coisas de auto-ajuda.

Mas de fato, quando falo disto, acabo por amadurecer o que penso, que de certa forma é a única "ajuda" que precisamos.

Morte por suicídio deveria ser proibida para quem enxerga que ela é solução para uma vida frustrante.

Isto é religioso demais pro meu gosto.

Morte é celebração de uma vida próximo do auto-entendimento, da finitude, da ausência de deus ou de uma "outra vida".

Se matar acreditando em outra vida, ou em expiação de pecados, culpas e frustrações é desonesto.

Faça sua vida o melhor possível, esta é a cena.

Uma decisão de cada vez, então, primeiro esgota as chances de viver decentemente, para depois decidir se a hora chegou.

Sem auto-piedade, por favor, até porque, nestes casos, meia hora de sexo selvagem dão ótimo resultado: se for com estranhos então, nem se fala...rsrs

Anônimo disse...

Não estou contra o que dizem
Só acho que a vida não ajuda
E cada vez é pior
As melhoras de nada valem
Por isso nem comento mais nada

Anônimo disse...

A minha vida anda ao avesso
E tenho medo de morrer
apesar de a minha vida ser porca

Anônimo disse...

Só quero que DEUS cuide e coloca pessoas boas no caminho do meu filho ,pq não sei se vou chega a ver..

Anônimo disse...

Isso vai acabar o mais rapido possivel pq eu tentei ser forte mas nao quero mais. Pode parecer fraqueza pode ate ser fraqueza mas eh meu desejo desde quando eu era crianca.

Anônimo disse...

Cada pessoa acha que a dor pode ser finalizada com um simples ato, uma inalação de fumaça.. Ou qualquer coisa do gênero.. Eu por si so ja pensei muitas vezes em acabar com meu sofrimento mas ai esta oque sempre me faz parar "vou simplesmente acabar com tudo tão facilmente?" A forma mais simples e tão fácil.. Morrer é fácil demais, continuar a viver com todos os problemas e mesmo assim colocar nem que seja um sorriso falso no rosto não é difícil.. Todos os dias acordo querendo morrer mas nem por isso deixo meu sorriso falso de lado.. Mostro a todos que querem que eu faça algo comigo mesmo que quem manda no meu destino e na minha vida sou eu.

Anônimo disse...

me sinto tão cansado e tão triste, perdi a vontade faz tempo de fazer as coisas que gosto... todos os dias penso em como tenho uma vida medíocre e tenho pensado formas de cometer suicídio, rápido e de forma que pareça acidental...não aguento mais ...descobri que existe um medicamento que faz o coração para em segundos porém a venda é somente através de controle do exercito, dia desses quase convenci meu irmão de me conseguir uma dose com a desculpa de matar um gato ou um cão... ....

Nemo disse...

Tenho medo de cometer suicídio, pois acho que talvez a vida chegue a ficar melhor, tenho esperança de que talvez tudo mude, mas ao mesmo tempo... penso que não vou suportar nem mais um dia, cada dia é algo forçado e cansativo, tenho sonhos, tenho boas possibilidades de tudo dar certo, mas as vezes penso que minha jornada já deveria ter acabado, me sinto um peso na vida das pessoas, me sinto um lixo as vezes, acho que tenho transtorno bipolar... mas prefiro acreditar que essa sou eu mesma, talvez eu queira justificar minha afinidade com a morte por meio de uma doença, eu não quero desistir, mas na maior parte do tempo eu queria estar morta.

Anônimo disse...

Concordo sexo selvagem sem obrigações ou culpas...senão gostar de sexo talvez seja esse problema ou só teve sexo ruim ou nunca esteve livre o suficiente para se desejar

Anônimo disse...

Quem quer morrer já não sente vontade de nada! E no meu caso, por exemplo, as coisas só vão piorando. Fica impossível ver uma luz no fim do túnel. Não vejo saída!
Mas, ao mesmo tempo, tem as pessoas (mesmo que poucas) que te amam, precisam de você e sentirão a sua falta. É um sentimento muito ambíguo. Você quer ir, mas sem fazer ninguém sofrer.
Acredito que a vida possa ser maravilhosa demais, mas infelizmente acho que isso não acontecerá para mim.