sexta-feira, 21 de março de 2008

Algumas considerações sobre culturas...

A despeito de não mais fazer parte da Rede Domesticada Din-Din RH Blog, não há de se desqualificar a iniciativa, até então libertária e inédita em Campos dos G., de criar uma data-referência para discussão de temas relevantes da nossa cidade...
Nesse contexto a TRolHA rende uma justa homenagem ao homem que, talvez, tenha sido o último ( e por que não único?) suspiro de criação de uma política pública de cultura na planície:
Lenilson Chaves Jr., nosso amado "Nilsinho"...
A convivência com "Nilsinho", enquanto cimentava sua gestão à frente da FCJOL (Fundação Cultural "Jornalista Oswaldo Lima") foi riquíssima em todos os sentidos e, surpreendente...
Sua indicação à época foi contestada, e até entre nós havia a dúvida (por total ignorância) da relevância de uma Fundação que tratava de cultura como mera intermediária da "farra" de shows e eventos...
Com pretensões a se eleger vereador, essa não pareceia uma "caneta" muito útil...
Para sua carreira individual, é verdade, não surtiu o efeito esperado...
Mas para a cultura de Campos dos G. foi fundamental...Ali comecei a aprender que administrar é basicamente fazer a escolha que beneficie cada vez mais gente, sempre na direção da coletividade...E não importa que essa coletividade às vezes não entenda medidas que contrariem os indivíduos, no curto prazo...
Algumas vezes as ações administrativas não coincidiam com dividendos eleitorais. Ficávamos no dilema, que para "Nilsinho" sequer existia...Façamos o certo, dizia ele, se vai dar votos ou não, esse julgamento não é nosso...
No caminhar daquela "aventura", com total desconhecimento da máquina, em um governo onde éramos visitas indesejadas e com pouca ou nenhuma experiência no tema cultura, aprendemos fazendo...Mas como já disse, os princípios já estavam estabelecidos por "Nilsinho" e eram inegociáveis: interesse coletivo e republicano...democracia e autoridade...
Nos dias que se passaram descobrimos o papel do Estado como indutor das práticas culturais tradicionais, preteridas pelo mercado cultural por razões econômicas e políticas...Achar o "timing" e induzir sem dirigir nem sempre é fácil, mas o perfil democrático de gestão poderá ter seu rumo corrigido a toda hora...
Na dúvida, aposte sempre na maior diversidade possível...Todos os carnavais, todos os teatros, todas as formas de música, todos os gêneros...convivendo, coabitando e interagindo...
O SEMINÁRIO REGIONAL DE CULTURA, foi um desses momentos raros em Campos dos G., com uma dinâmica de discussão até então não experimentada por aqui...Boas palestras, mas sem o compromisso da "conscientização"...essas palestras foram estopins provocadores do debate que se deu em cada grupo de trabalho (divididos por tema), que formularam um documento importante, e talvez até por isso, esquecido em alguma gaveta da burocracia...
A CARTA DE CAMPOS trazia uma síntese dos anseios e propostas dos mais variados grupos, e agentes culturais, sociedade e Estado...
Naquela ocasião entendíamos a arte, em todas suas expressões, como uma marca importante da cultura de um povo, e portanto, nenhum "aparelhamento" deveria incidir sobre a criação...
Por outro lado, cultura extrapola o conceito de arte, e como fenômeno social sofre ingerências do embate político e econômico, que em última instância, define a agenda cultural de uma sociedade...
Não observar esse ponto é cair na armadilha do mercado, que prega uma cultura asséptica, pura, genuína, eqüidistante, mas que vem impregnada com valores comerciais e massificadores...
Campos dos G. é multifacetada e detém culturas ricas...
Falta o amálgama, o liame que costure essas vocações e perpetuem nossa identidade... Esse cimento é o Estado...laico e democrático...
Não vou tecer loas a probidade e austeridade da gestão de NILSINHO, pois isso era mais que obrigação...
Vou encerrar com algumas idéias do ilustre ateu botafoguense...
Criação da Secretaria Municipal das Culturas;
Criação do fundo municipal de cultura, com recursos dos roylaties e com taxação de todos os shows e eventos culturais cobrados;
Alteração na lei municipal de incentivo, com a adoção do regime de balcão, submetido a avaliação licitatória por editais... (nos moldes da política de incentivo da Petrobrás)
Dentre outras...

Salve NILSINHO, e todas as Liras de Campos dos Goytacazes...Salve o Jongo e a Manachica...A corrida de cancha reta da baixada...o Jazz de Daltinho Freire...O rock dos Avyadores do Brazil...Nossas Escolas de Samba, reféns, por enquanto, dos cafetões do carnaval...salve os malabaristas dos sinais...as festas rave...os botecos...a rancheirada de São Pedro...Nossa festa de Santo Amaro e a Cavalhada...Salve Silvio Greco...Artur Gomes... Salve Kapi...Fernando Rossi...Salve Léo Vasconcelos e Dr Wellington Paes, e Silvinha...Salve MC Perréia e todos nossos DJs...Salve as Festas de Laço...Salve a vocês, para que nos salvem a todos...

à benção Zé Cândido, à benção Waldir de Carvalho...E para corrigir o erro que o leitor denunciou nos comentários...à benção Wilson Batista, Délcio Carvalho e Roberto Ribeiro...estandartes do samba campista universal...

3 comentários:

Anônimo disse...

Até você xacal!

Não dá mais... Incrível como se fala em cultura nessa nessa cidade e nem uma letra sobre Wilson Martins. Um dos maiores músicos da história do Brasil e aqui nem uma pracinha, nem uma rua, nada que lembre o gênio campista.

Anônimo disse...

Ele quis dizer Wilson Batista?

Xacal disse...

Querido anônimo, creio que se trata de Wilson Batista...
Perdão pelo erro...mas essas listas, citações são sempre injustas...daí o perigo de realizá-las...
A propósito sobre Wilson Batista quem tem uma pesquisa interessante é o Prof.Gustavo Lopes. Don Cabezzza...No mais obrigado pelo comentário....