segunda-feira, 31 de março de 2008

Caolho da cidade...

Impressionante o nível de estupidez de certas pessoas...
Como ficaram com a bunda na janela, perderam a "boquinha", se desesperam e tentam mostrar alguma utilidade para voltar a vender seus "préstimos"...
Fazem o papel que restou...
O problema é quando o exercício da idiotice adentra na seara da saúde pública,e nas garantias individuais dos cidadãos...
Hoje pela manhã, qual surpresa quando ouvi nesse "programa de (in)utilidade pública" uma "aula" prática de "construção" de armadilhas caseiras para captura dos ovos e larva de aedes aegypti...
O cidadão de nome "Sérgio" ensina passo a passo como fazer o traquitana...
Meus Deus...onde está responsabilidade dessa gente...?
Como auferir a qualidade das "armadilhas" , já que as pessoas que tem níveis de habilidades e materiais distintos para que possam fazer um artefato destinado a proteger suas casas da infestação...Que pesquisa, qual universidade ou órgão técnico testou e aprovou tal iniciativa...?
O cidadão "Sérgio" até bem intencionado, termina a "aula" com a profilaxia do inhame...é isso mesmo...o inhame purifica o sangue e "lava" a infestação do vírus...Não disse como, inhame ensopado, chá, a casca, etc.
Deve ser inhame como supositório...né Bobby...?

A segunda imbecilidade foi uma entrevista com o promotor Marcelo Lessa que fala aos quatro ventos sobre sua "decisão" de que os domicílio serão invadidos, violados para o tratamento das casas...
A constituição é clara: "o domicílio é asilo inviolável"...As exceções são crimes em flagrante e ordem judicial...para socorro da vida do proprietário ou de tereciros em caso de tragédias...
Promotor não exara decisão alguma...não tem esse poder...
Nem a polícia, com suspeitas fundadas, com inquérito ou qualquer outro feito investigativo pode invadir a casa de ninguém sem a devida ordem do juiz, ou caso contrário, para efetuar prisão de crimes em situação de flagrante...
As instituições tem que assumir seu papel, cada qual com sua atribuição...
Dengue é problema de saúde pública, que assim deve ser tratado...
Pode-se alegar que a emergência justificaria medidas de exceção...
OK, mas não é o ministério público que detém o poder para adotar tais medidas...
Uma boa contribuição do ministério público seria ter apurado as denúncias de desvios de verbas públicas que, de uma forma ou de outra, contribuíram para a epidemia de dengue...
Se cada um fizer o seu, não haverá necessidade de medidas espetaculares...

5 comentários:

Blog Vitor Longo disse...

E o telhado de Vidro, meu caro Xacal. Não esqueça dele.

Xacal disse...

of course, my brother...

Bruno disse...

A participação do Prof. Pardal, hoje pela manhã, demonstrando sua engenhosidade, foi uma das coisas mais absurdas que vi ultimamente. Na falta da razão de ser do programa Caolho da Cidade, que é adular e ressoar a voz do prefeito afastado, parece que perderam o foco e o assunto, partindo para algo semelhante ao que é feito nos programas infantis matinais: experiências para a criançada.
Qual a efetividade daquela coisa no combate à dengue? Talvez demonstrar para o cidadão todas as fases do mosquito, para que ele possa acompanhar da larvinha ao mosquitinho... um dedo de água a mais e o sujeito cria um foco caseiro de dengue para decorar a casa.
A situação é caótica, tudo que não precisamos no momento são engenhosidades desse tipo, e o que é pior, feitas e instigadas pelo rádio, estimulando o ouvinte a dar asas a sua imaginação na construção da tal “armadilha”, já que poucos são os que têm acesso ao programa pela TV ou internet. Irresponsáveis. Criminosos.

Quanto ao promotor megalômano, não é surpresa tal declaração para quem o conhece, minimamente que seja. Ele é mais difuso com as palavras (escrita e falada), que com os interesses que representa. Quando o Rodrigo Pimentel esteve em Campos, para debate na FDC, o excelentíssimo esteve na banca, e durante sua fala confidenciou seu hobby: tem prazer em arquivar pedidos de investigação de legalidade das ações policiais, bandido morto durante ação policial, para ele, constituiu acidente de trabalho, como motoboys.

Quanto à corrupção, que forja o bandido e cria o mosquito: não sabe, não vê.

Já enviei e-mail questionando essa iniqüidade de tratamento por duas vezes, mas a santidade não responde.

Anônimo disse...

Xacal, os comentários estão numa franca melhora, não acha?

Acredito que temos em Campos um potencial maior do que podemos supor...

O "sabido" do Ministério Público Estadual faz tempo que fala demais e age de menos, opera bem como um muro velho, atrás de um bom cartaz sempre que as coisas descarrilham no comando da cidade...uma vergonha!!

Xacal disse...

Senhores, obrigado por postarem...
Bruno, ainda que bem seu comentário me socorreu, pois achei que estava sendo ranzinza demais...Você sabe, nesses momentos de crise as pessoas tendem ao sentimentalismo...

Anônimo, tens toda razão...os comentários melhoraram...
E faço aqui o mea-culpa:melhorou o nível tb do mediador, que deixou a fase ultra-hard-bin laden...
Campos tem muito mais potencial que imaginamos...tá chegando a hora...depois do caos, virá a bonança com certeza...