quinta-feira, 27 de março de 2008

O PIG baba...e espuma...Argentina, a bola da vez...

Antes de explicar as causas, e possíveis conseqüências internas e externas da crise Argentina, o PIG através da pitonisa Míriam Leitão espema e explora as dificuldades como uma questão partidária...
Há uma grave situação de abastecimento, provocada em parte pelo crescimento acelerado da economia argentina, principalmente após as quebras da década de 90, e início do século XXI...
Outro aspecto é o encarecimento das comoddities (petróleo, trigo, soja), tanto pelo aumento mundial da demanda (China, Índia, etc.), como pela busca do mercado futuro em "moeda" sólida" frente ao derretimento do dólar, e o "buraco negro" subprime.
O movimento, de acordo com analistas (Luis Nassif) dos agricultores é espontâneo, o que o torna menos perigoso...
Mas não se enganem, o sorriso de quase "gozo" da Míriam Leitão, além de dirigir-se a uma crença que governos de esquerda estão sempre fadados ao fracasso, reflete aqui dentro o chacoalhar do guizo da serpente do mercado, pronta para o bote do aumento dos juros...
O bode expiatório dessa vez habla español.
E como sempre, a banca ganha...e o povo...?
Bahhh, o povo é um detalhe incômodo no exercício científico da economia mundial...

2 comentários:

Gustavo Alejandro disse...

Embora não concorde com a politica controladora do governo Kirchner, reconheço que me enche o saco a torcida de Miriam Leitão (assim como o do pessoal da Veja)em contra do que eles chamam de populismo. Lembro que ela ja teve que engolir seu discurso depois de ter prognosticado o fracasso da renegociação da divida argentina, onde conseguiram reduzir ela em um 75%.

xacal disse...

Engoliu e calou, imagina se a moda pega...
Aqui a banca quer mais juros...
Kirchner tem vários defeitos, muito próprios de governantes dessa metade sul do mundo...executivo hipertrofiado e instituições débilitadas, mas uma coisa eu imagino, pois não conheço a realidade argentina...pois aqui na taba falam mais de Obama do que dos vzinhos...então imagino que Kirchner foi necessário para recompor o orgulho e estima argentina...e isso, quase sempre, gera distorções...mas o saldo é positivo...