quarta-feira, 19 de março de 2008

A sombra da crise....


cidadãos estadunidenses a espera de ajuda governamental em 1929

Algumas projeções mais "otimistas" dizem que a crise do sistema financeiro estadunidense, e portanto, mundial, só afetará a "blindada" economia brasileira se houver uma grande desaceleração econômica, que atingiria nossa capacidade econômica, baseada no comércio de "comoddities"...
Os integrantes do Governo Lula, como é dever deles, acalmam a população e sentenciam que nossas reservas são suficientes para "lastrear" o país durante essa tempestade...
Uma frase retirada de uma análise do jornalista econômico Luis Nassif, no entanto, não sai da nossa cabeça: "Se houver um ataque especulativo, nossas reservas serão pulverizadas em meia hora"...
A Economia é uma ciência complicada, e seus padrões nem sempre se aplicam a realidade da forma como prevista, uma vez que suas variáveis são instáveis: política, expectativa de consumo, confiança, etc.
O exercício de "futurologia" nessa seara é perigoso, portanto, só nos resta aguardar..
Existem diferenças assustadoras nessa crise em relação às outras, a da Malásia, da Rússia e do México...
Essas crises, na sua essência, foram cambiais...
A crise atual, assim como a de 1929 é financeira, atinge o sistema na sua natureza, crédito e liquidez...
Vamos ver se os especialistas, com o estudo dos casos anteriores, desenvolveram "vacinas" eficazes ou, na verdade, eles são apenas charlatães a vender "garrafadas inócuas"...

Nenhum comentário: