terça-feira, 22 de abril de 2008

O Paraguai, Fernando Lugo e o PIG....

Desde que o cenário eleitoral no Paraguai se definiu, com a vitória do ex-bispo Fernando Lugo, o tom das reportagens sobre esse político de centro-esquerda já começa a predizer que ele é o Evo Morales da vez, ao menos na visão golpista de alguns meios (maioria)de comunicação...
O primeiro sintoma dessa "construção" de uma imagem hostil aos interesses brasileiros é associá-lo a Hugo Chavez, e Evo Morales...
Depois denuncia-se uma intenção do presidente recém eleito de "renegociar" os termos que Brasil e Paraguai têm contratado para a compra do excedente de energia elétrica paraguaia...
Por último colhem uma fala do Presidente Lula e do Ministro Celso Amorim (relações exteriores) e alardeam uma contradição, uma cisão entre o chefe e seu negociador...

A renegociação dos preços pagos ao Paraguai é uma reivindicação antiquíssima dos movimentos sociais daquele país miserável, assim como era uma demanda antiga a questão dos hidrocarbonetos bolivianos...Esse tema deu coesão política ao ex-bispo, e lógico que ele, uma vez eleito, não poderá assumir outra postura do que jogar essa discussão na mesa...É seu direito soberano...e seu dever como presidente...
O presidente Lula, pelo seu lado, não pode entrar em uma negociação já admitindo as razões dos paraguaios, mas cabe ao seu ministro de relações exteriores manter a porta do diálogo aberta, o que não significa capitular aos desejos guaranis...a fala de Lula e Amorim não são excludentes, como nos querem fazer crer o PIG, são complementares, para quem entende um pouco o jogo diplomático...
O açodamento não ajudará o país nessa questão, como não ajudou na questão boliviana, esquecida como toda crise artificial...
A questão energética sul-americana é muito mais profunda que as bravatas nacionalistas da oposição...
Sob o espectro histórico, o Brasil é visto no Paraguai como um dos responsáveis pelos seu atraso...pode-se concordar ou não, mas esse fato é imutável...

Aguardemos as repercussões na imprensa local...

Nenhum comentário: