sábado, 31 de maio de 2008

Uma carreira meteórica...

Alguém já viu meteoro subir...
Não...
Só desce, e se esborracha no chão...às vezes causa danos irreparáveis com a queda...!
A seguir repetiremos um post que fez muito sucesso, e que julgamos apropriado para o momento, com algumas atualizações no currículo do personagem.




Essa foto é de um importante político da região...que começou sua carreira com produtos de higiene para bebês, dada sua capacidade de comunicação...
Mas como chorava demais,e sempre fazia "totô" fora de hora, sua carreira publicitária não vingou...
Acusado de estragar todo o Palácio das Laranjeiras, quebrar todos os carrinhos de polícia, tentou brincar de presidente e não conseguiu...
Fez "beicinho", parou de comer durante alguns dias, quando foi pego "entornando o caldo" das ONGs...
Agora está de "castigo" em Campos dos G., quer brincar de "casinha" na PMCG com seu "bonequinho" RH, o Falcon...ou com a boneca rosinha de controle remoto, já que pudim demais lhe deu "dor de barriga"...
Continua com a apetite de sempre... Adora uma teta...
Essa semana foi pego brincando de polícia e ladrão na época que morava no palácio, fazia papel de bandido junto com um coleguinha álvaro, o puro...!

Tá de mal com arnaldo popozão vianna e xandinho mocaiber...
Anda chorando e esperneando para ganhar um ninho de tucano de presente...
Mas depois de suas últimas peraltices, tio zito falou que garotinho vai ter que se contentar com seu brinquedinho velho, o pmdb...!

10 comentários:

Anônimo disse...

O populismo que veio de Campos para o Palácio Guanabara

Publicada em 30/05/2008 às 00h14m
O Globo


RIO - A primeira polêmica do controvertido período Garotinho no estado surgiu logo no processo eleitoral, em 1998. A aliança com o PT, que deu o tempo de TV e a estrutura necessários para a vitória do ex-governador Anthony Garotinho na disputa estadual, foi arrancada a fórceps. José Dirceu, que presidia o partido, chegou a intervir no diretório estadual para garantir a aliança com o PDT de Garotinho, sob protestos de petistas ligados à esquerda do partido.

Em 2000, rompeu com o PT e com Brizola. E começou a atravessar uma maré de denúncias - que marcaram sua gestão e a da mulher, Rosinha Garotinho, sua sucessora.

Ex-governador passou por quatro grandes partidos

Se não criou, Garotinho percorreu e movimentou quatro grandes legendas: PT, PDT, PSB e PMDB. As passagens pelo PDT e pelo PSB foram repletas de turbulências, assim como o desfecho das alianças eleitorais. Garotinho rompeu com Leonel Brizola, ao deixar o PDT, rumo ao PSB. Enquanto isso, a turma de Campos inaugurava a temporada de denúncias no governo: depois de pouco mais de um ano no cargo, alguns assessores foram envolvidos em denúncias de corrupção. A maioria pediu demissão, por orientação do então governador.

Nos primeiros dias da gestão Rosinha Garotinho, eleita no primeiro turno, um novo escândalo: o envolvimento de um de seus colaboradores em esquema de extorsão, remessa ilegal e lavagem de dinheiro, conhecido como Propinoduto. Há apenas nove dias no governo, ela decidiu exonerar Rodrigo Silveirinha, pivô do escândalo, da presidência do Conselho de Desenvolvimento Industrial do Estado, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

O governo Rosinha também foi chamuscado com a denúncia de um suposto envolvimento com o esquema de corrupção que derrubou Waldomiro Diniz, então assessor do então ministro da Casa Civil, José Dirceu. Ex-presidente da Loterj Waldomiro, em conversa gravada com o empresário Carlinhos Cachoeira, que seria bicheiro, acertava contribuições mensais de R$ 150 mil para Benedita da Silva (PT) e Rosinha Garotinho, ambas candidatas à época ao governo do Rio. As duas negaram o envolvimento.

TRE condena casal Garotinho por abuso de poder político

Mergulhados nas eleições municipais de Campos, em 2004, Garotinho e Rosinha foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral. O programa Cheque Cidadão, distribuído pelo estado, foi usado como moeda de troca na cidade, por aliados do casal, que apoiava Geraldo Pudim (PMDB). Nas últimas eleições, com o apoio de Garotinho, Pudim foi eleito deputado federal.

A participação do casal na campanha foi novamente alvo da Justiça Eleitoral. Rosinha e Garotinho foram declarados inelegíveis pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por abuso de poder político, mas a decisão só poderá ser aplicada depois de julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Sempre de olho na repercussão de suas medidas administrativas, o governo Rosinha, com Garotinho de braço direito, chegou a empenhar, em um ano, R$ 100 milhões em campanhas publicitárias. Uma delas, no último ano de gestão, tentava imprimir ao governo a marca de ter realizado dez mil obras. A campanha informava que entre os governos de Garotinho (1999-2002) e Rosinha (2003-2006), o governo estadual tinha concluído este número de obras.

Reportagem publicada pelo GLOBO mostrou que muitas dessas obras jamais tinham sido concluídas ou sequer iniciadas. Algumas das ações contabilizadas eram pequenos reparos de manutenção em tubulações realizados pela Cedae em favelas. O Ministério Público abriu procedimento para investigar o caso e a campanha publicitária foi retirada.

No episódio mais dramático de sua passagem pelo poder estadual, Garotinho ficou 12 dias em greve de fome, em 2006, para protestar contra série de reportagens que mostravam a ligação entre empresas doadoras de sua campanha eleitoral à Presidência da República e ONGs que prestavam serviços ao governo Rosinha.

Greve de fome para protestar contra série de reportagens

Alvo das reportagens, iniciadas pelo GLOBO, o ex-governador se disse vítima de uma campanha dos grandes meios de comunicação e expôs diariamente seu protesto. Dormia na sede do PMDB, no Centro do Rio e chegou a ser internado, com desidratação. O partido, já dividido antes das denúncias, não deu legenda ao ex-governador. As empresas doadoras tinham sócios em comum com as ONGs contratadas pela Fundação Escola de Serviço Público (Fesp), do governo estadual.

Políticos com origem no interior do estado, Garotinho e Rosinha estavam até ontem eternizados em um banco de praça em São Fidélis, no Norte Fluminense. Por decisão judicial, com base na lei que impede homenagem com recursos públicos a pessoas vivas, as estátuas, lá desde dezembro de 2006, foram retiradas no mesmo dia em que foi anunciada a denúncia contra o ex-governador.

reginaldo disse...

Cara, continuo fã de suas tiradas, pena que usa codinome, gostaria de te parabenizar, um grande abraço e sucesso

Xacal disse...

obrigado reginaldo,

mas creia-me, o anonimato controla o ego,e permite que uma suposta "popularidade" não suba a cabeça, como acontece com alguns de nossos personagens reais...

é um ótimo exercício ser você em uma personalidade que não existe...

mas em hora oportuna o xacal desvendará sua identidade...

Blog Vitor Longo disse...

Xacal, tô pensando emfazer uma enquete sobre quem os leitores dos blogs acham quem é você. Todo mundo pergunta-me se sei sua identidade. Digo que não sei, como é ver.

Eu mesmo, um curioso de carteirinha, quero, mas ao mesmo tempo não quero, saber sua identidade. Mas, tormei-me seu fã, pela sua irreverência em tratar de assuntos sérios, com um jogo de palavras artiscamente bem colocadas.

Bom a opção é exclusivamente sua, se fosse minha eu não a revelaria. Saiba que seu blog é um sucesso!

O que conheço de gente que tem medo de suas postagens é grande. Tudo com rabo preso. Continue você segmentou seu blog com a informação irreverente e meio que "Pânico na TV". Porém, ainda melhor que o programa.


Parabéns!

Anônimo disse...

Também acho que não deves revelar a sua identidade. Embora eu saiba e conheça você, Xacal, te aconselho a não se revelar. Ao contrário, perde o encanto. Seu Conselheiro para Assuntos Aleatórios e representante da sucursal de "A TRolha" na baixada da égua - o correspondente Djahojinho. Parabéns pela nova roupagem e braguilhas da sua Trolha.

Anônimo disse...

Xacal, senhor de todos os disfarces, venerável de todos os sortilégios diga-me. Por onde andam os confrades Kbrunco e Lamparão. E esse tal Djahojinho, que peste de representante é esse que você tem?

Anônimo disse...

tu tá de parabéns pelo seu blog, pelo seu anonimato, e por suas tiradas irreverentes dessa política nojenta de Campos dos G. como vc mesmo diz, só um conselho, "Xandinho" não, continua com o "Macabro" que é oq realmente essa figura é!!!

Xacal disse...

professor vitor, ontem no shopping, comendo uma boa pizza com os dois filhotes...até pensei em lhe falar, mas depois lembrei desisti...

Anônimo disse...

É como Mr. "M" decifrando os seus enigmas. "Comendo com os dois filhotes". Deles ou seus. Djahojinho não precisa de dicas, já sabe de há muito. Hahahaha. Fontes.... lá da baixada da égua.

Anônimo disse...

também firmo minha posição pró-anonimato, deixando também os parabéns pelos textos e análises dos fatos cotidianos.
parabéns.
abraços!!!
lsmota