domingo, 20 de julho de 2008

Além da fome...

Os voluntários que trabalham na Somália, em diversos programas de distribuição de comida e auxílio a refugiados pelos conflitos étnico-políticos locais enfrentam uma nova ameaça...20 deles morreram assassinados desde janeiro, na maior onda de violência em 17 anos da crise humanitária que se instalou nesse país conflagrado...Outro crime comum contra ocidentais, e somalis que participam ou ajudam esses programas é o seqüestro...Houve 17 esse ano, e 13 pessoas ainda estão nas mãos dos seqüestradores...Não há certeza sobre a autoria dos ataques, mas os trabalhadores voluntários começam a abandonar o país...Recentemente, vários e-mails chegaram a diversas instituições, onde um grupo chamado os mártires Abu Musab al-Zarqawi, em homenagem a um terrorista jordaniano morto por forças estadunidenses em 2006, no Iraque... As mensagens têm alto conteúdo fundamentalista e ameaçam todos os "infiéis"...

De certo que os componentes étnicos, religiosos, militares e políticos se misturam e a única face visível desse drama é o intenso sofrimento da população que sobrevive espremida nesse caldeirão explosivo...

As suspeitas vão desde grupos radicais islâmicos até o próprio governo de Mogadíscio, que estaria sistematicamente tentando desacreditar a oposição muçulmana, e forçar uma intervenção da ONU, e assim garantir alguma sobrevida aos atuais ocupantes da administração somali...

Segue o continente africano a pagar sua maldição de ser a origem e o fim da humanidade...


Fonte: New York Times.

Nenhum comentário: