domingo, 13 de julho de 2008

Campanha sem povo....

Parece unamidade entre os meios de comunicação que a campanha política desse ano está morna, desanimada...
Não poderia ser diferente, afinal após a tempestade causada pelo 11 de março, e o desenrolar da conjuntura ao longo desses meses, a população, enfastiada de tanta denúncia e decepcionada com seus líderes se afasta prudentemente do pleito...

Como já dissemos, e outros blogs como o do Robeto Moraes também já alertavam, corremos o risco de uma baixíssima renovação da Câmara, com a repetição da pior legislatura da História...

Na prefeitura, nada de animador à vista...

Os mesmos protagonistas que exerceram o poder ao longo desses vinte anos, e que hoje se opõem, são os mesmos que podem voltar ao controle da administração municipal...

Restam apenas os militantes pagos, que representam um processo de "profissionalização" das campanhas, onde o alto custo da disputa se reflete nos futuros desvios dos recursos durante a gestão...

Uma pena...resta-nos apenas o sonho de dias melhores, afinal as quimeras, por enquanto, ainda são gratuitas....!

Um comentário:

Anônimo disse...

Blog do Cláudio Andrade: AVELINO FERREIRA ACUSA ARNALDO DE USAR ONGS PARA CONTRATAR.

Há informações de que assessores de Arnaldo Vianna estariam contratando muita gente usando ONGs e empresas com vínculo com a Prefeitura. Vão pagar (os locais ainda não são conhecidos) no próximo dia 15 o primeiro mês e as pessoas assinarão um recibo, inclusive com desconto do INSS, mas é tudo fachada. Na verdade, não há vínculo empregatício e os contratados não terão nenhum recibo.
Cabos eleitorais do ex-prefeito acreditam que pode ocorrer o mesmo que em 2004, quando o apagado Campista ganhou de Feijó e, no segundo turno, venceu de Pudim. Campista foi cassado por causa das contratações que, àquela época, somavam 24 mil pessoas. Os contratados acreditam que Arnaldo dará um jeiro de mantê-los na Prefeitura, como ocorreu com quem lá está.
O juis Geraldo Batista Júnior determinou a demissão de todos os contratados. A Prefeitura recorreu e obteve do Tribunal de Justiça o tempo necessário para a demissão. A Justiça do Trabalho determinou a demissão de 40% e até agora, ninguém foi demitido. Como a Justiça exige o cumprimento da lei, Arnaldo Vianna estaria contratando de outra maneira, sem vínculo com empresa ou Prefeitura, para evitar ações do Ministério Público e do TRE.
Para Geraldo Batista Júnior, cada contratado representa quatro votos. Os 15 mil contratados pela José Pelúcio e Facility representariam 60 mil votos. Para o magistrado, isso é inadmissível, pois reflete no resultado do pleito. Mas Arnaldo não está seguro e quer mais. O plano é chegar a 32 mil contratados, segundo um assessor de Mocaiber, irritado porque o PSB não ficou "nem com a vice", pois Arnaldo escolheu Hélio Anomal, do PT.
O Judiciário, o TRE e a polícia devem estar a postos para evitar mais esse golpe. As pessoas têm medo de denunciar, porque perderão o dinheiro e a possibilidade de serem aproveitadas na Prefeitura, caso Arnaldo vença a eleição. Também temem represálias do pessoal de Arnaldo. Então, só resta as forças policiais e judiciárias para investigar e impedir mais essa fraude.
O interessante é que, dessa feita, Mocaiber está com receio de pagar esses novos contratados. A maneira encontrada é através das ONGs e obras superfaturadas, como as do Parque Imperial e dersapropriações "a bem do serviço público", como a que foi autorizada por decreto (leia matéria abaixo) na Marechal Floriano, para aumentar o espaço do Trianon.
ARTIGO DE RESPONSABILIDADE DE AVELINO FERREIRA (EX-PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO JORNALISTA OSVALDO LIMA) E PUBLICADO EM VÁRIOS BLOGS.