quarta-feira, 30 de julho de 2008

Consumidor indefeso...

Desde muito tempo sempre achei que um ramo exclusivo do direito, o do consumidor, só existe porque há uma falência da relação contratante e contratado, ou seja, consumidor e empresas...

Criar uma especialização diagnostica que a regra geral falhou...é sempre assim...

O consumo nada mais é que uma relação privada regida por normas gerais de direito civil, que em nosso caso, não funcionam...

As empresas, em sua maioria, só respeitam os contratos quando os custos judiciais indenizatórios começam a afetar seus balanços contábeis, caso contrário, mantêm essas perdas dentre de um passivo jurídico compensado com aumento de preços e novas maneiras de burlar contratos e lesar seus clientes e usuários...

Hoje em minha casa pude experimentar toda a fúria das prestadoras de serviço em todos os níveis, desde grandes corporações até pequenas empresas de assistência técnica...

A VIVO disponibiliza um acesso a internet chamado VIVOZAP...Contratei o serviço em uma promoção, onde o valor mensal é R$ 99,90...Todos os meses a fatura vem com valor majorado, R$ 109,90...São horas, dias no serviço de call-center da empresa para corrigir um erro que nãoé meu...músicas, vou transferir, músicas, etc, etc...

O profissional responsável pela manutenção do portão eletrônico do prédio já vendeu uns 10 modelos de controle, já veio ao prédio umas 500 vezes, e continuo a ter problemas para acionar o portão...

Já a assistência técnica da máquina de lavar, Refrigeração Central, mostrou-se inacapaz de cumprir a missão para qual existe: resolver problemas técnicos em aparelhos eletrdomésticos, nesse caso uma máquina de lavar da marca Electrolux...

Primeiro o "técnico! disse que só poderia diagnosticar o defeito exatamente quando ele se manifestasse...depois de três visitas infrutíferas, chegou a uma conclusão sobre o defeito, mas a peça estava em falta...O serviço de atendimento da Refrigeração Central disse que a peça seria requisitada a fábrica, e retornaria o telefonema...Dois meses...

Como se vê, questões simples: cumprir contratos...Como somos incapazes, criamos uma defesa do consumidor...Assim como os Juizados Especiais...como somos incapazes de prestar o serviço jurisdicional em tempo hábil, tabelamos o direito e criamos um Juizado de segunda classe...tipo fast-food...

2 comentários:

claudiokezen disse...

Pois é, meu caro Xacal. Este tema, o da prestação de serviços, é objeto de discussão em toda parte, já que as empresas/corporações na verdade estão se lixando para o cliente/consumidor. Uma das estratégias de marketing do momento é o respeito pelo meio-ambiente ou com o aspecto humano do cliente/consumidor. É de dar náuseas ver empresas de telefonia, cartões de crédito, bancos privados e estatais, empresas petrolíferas e mineradoras gastando uma baba com comerciais enfatizando suas preocupações com o meio ambiente ou com "você", maneira de individualizar e assim "humanizar" o que é por natureza anônimo e impessoal - Oi, Vivo, Bradesco, Itaú, Petrobrás, Vale "et caterva"... Estamos na água, amigo, e o verão ainda nem chegou!

Xacal disse...

no mercado, dizem que essas empresas gastam mais com a propaganda da responsabilidade sócio-ambiental do que com programas efetivos...

"imagem é tudo, sede não é nada" ou "a mulher de César não deve apenas ser honesta, mas parecer honesta"...