quarta-feira, 30 de julho de 2008

Homenagem...

Deverá receber o nome de alair ferreira a ponte construída pela pmcg...

De acordo com alexandre macabro, a homenagem se deve ao legado deixado pelo deputado na cidade de Campos dos G..

Pergunta-se: qual legado...?

O fato de ter sido "premiado" com uma concessão de rádio e tv, como recompensa pela bajulação e subserviência aos interesses da ditadura em nossa região...?

Na época, a grande habilidade de alair era puxar o saco de mário andreazza, então todo-poderoso ministro do interior de figueiredo...Dessa forma, alair conseguia emplacar contratos polpudos das suas empresas nas obras federais na região, dentre elas a pedreira pronta entrega, por exemplo...

Um dos legados de alair é a ponte entre São Francisco do Itabapoana e São João da Barra, uma demonstração explícita do desperdício de dinheiro público...

Prócer de uma época a qual os sabujos da ditadura eram intocáveis, até hoje se discute na cidade o júri popular que absolveu seu filho, o alairzinho, que matou a sangue frio um homem durante uma confusão...

Essa é a memória que alexandre macabro e seus jornalistas de "coleira" desejam celebrar em nome da municipalidade...

6 comentários:

Amaro "O Bicho Cão" disse...

Após um longo e tenebroso inverno, cá estou novamente, na verdade o reconhecimento aos "grandes feitos" de Alair é praticado tanto por um lado (Arnaldo, Mocaiber, etc) como pelo outro lado, (Litle Boy, Litle Rose, etc.) através de declarações feitas constantemente a mídia.
Quanto a absolvição, deve-se observar, que o fato gerador do ilícito, não foi contra um homem e tão pouco em uma confusão,na verdade o jovem mancebo chegou em um bar efetuando disparos com uma arma de fogo a esmo, acabando por acertar um jovem que na verdade era filho dos proprietários e estava no local.Alguns afirmam que o jovem veio a falecer, outros no entanto juram que o mesmo ficou inválido (já que o projétil teria atingido sua cabeça) e continua vivo, tal fato, é verdade, continua envolto em mistérios.

Beijinhos de Amaro "O Bicho Cão"

Anônimo disse...

Não estou defendendo o nome da ponte, até porque tenho grande repulso por Mocaiber e Arnaldo, então não serei eu que defenderei atos deste governo municipal.
Também não tenho simpatia por Alair Ferreira, não conheço muito bem sua história, mas pelo que sei e se foi ele o maior responsável pela criação de três das nossas mais, tradicionais e renomadas faculdades.



Alair Ferreira conversou com o próprio presidente Figueiredo, para que a Fafic, FDC E FOC, fossem criadas, portanto não discordando de muitas verdades que você disse, existe legado sim, aliás deve haver outros também.

Anônimo disse...

Legado de se dar bem e se enriquecer as nossas custas.
Fala sério, meu cachorro merece muito mais respeito e homenagens do que Alair.

Anônimo disse...

A FDC já existia antes do Figueiredo ser presidente...

claudiokezen disse...

Maior do que a cara-de-pau dos nossos "líderes" políticos, só mesmo a presunção, por parte deles, de que somo todos imbecis. Alair Ferreira foi um político ligado à ditadura militar no que de pior ela nos legou: a corrupção, já que ele não tinha nenhum perfil ideológico. Ligado ao militar da reserva Mário Andreazza, ministro em duas ocasiões e com que teve negócios comuns, AF se envolveu em obras supostamente super-faturadas e muitas delas não concluídas. Eu sou testemunha dos seus métodos de "persuasão" eleitoral, já que fui comerciante na 7 de setembro, em frente a um dos maiores pontos de taxi da cidade. Os motoristas eram régiamente pagos por este senhor em dia de eleição para conduzirem eleitores às urnas, uma cortesia sem interesse, certamente. Além disso, Alair juntamente com o falecido diretor do extinto IAA (Instituto do Açúcar e Álcool) Evaldo Inojosa - outro que qualquer dia vira nome de ponte, praça ou rua por operar o milagre da multiplicação de verbas federais sem fundo e fiscalização para nossos usineiros - foram os articuladores da política de "defesa" das usinas/usineiros no que diz respeito ao impedimento da entrada de indústrias/empresas de outra natureza em Campos, mantendo desta forma, a massa assalariada ligada à maior atividade econômica da região, a indústria sucro-alcooleira, amarrada a um calendário de trabalho sazonal ( as safras ) e em outra parte do ano, tendo que viver de "biscates", o que explica em grande parte o porque de Campos estar no Sudeste mas ter índices de distribuição de renda igual ou inferior a muitas áreas do Norte/ Nordeste. Ele também teve importante atuação quando da descoberta de petróleo em nossas águas, ao fazer um grande esforço para que o falecido deputado Cláudio Moacyr, com base eleitoral em Macaé e Região dos Lagos, levasse para lá as empresas ligadas à exploração de petróleo. Nos últimos anos de sua vida, para posar de filantropo, o finado arrumou umas migalhas para a cidade em forma de incentivo às faculdades, o que não é nada perto da sua "folha de serviços/corrida" à cidade e região, o que fez dele um poderoso empresário, dono de Construtora, Pedreira, Concessionária da VolksWagen, rede de tv afiliada à Globo, inúmeros imóveis, fazenda, etc...algo totalmente incompatível com seu salário de deputado, mas devidamente encoberto pelo manto da ditadura. Viva Alair!!!

Anônimo disse...

O nome da Ponte poderia ser Xacal.shaushuahsuhaushuas.