quarta-feira, 9 de julho de 2008

Política de extermínio...

A entrevista do pai desesperado, que acabara de receber a notícia de que seu filho baleado por PMs em uma ação desatrosa estava em estado de morte cerebral, dispensa qualquer outro comentário sobre a tragédia...

No entanto algumas considerações merecem ser feitas sobre a política de (in)segurança pública patrocinada por cabralzinho e "beltrano"...

Primeiro ponto: garotinho que hoje faz papel de pedra ao atacar os resultados dessa política de extermínio, deve se lembrar que seu chefe de polícia é considerado hoje um dos chefes do crime organizado no Estado, portanto, o que assistimos hoje é em boa parte conseqüência de anos de má gestão...

Eleito para fazer um contraponto e redefinir os rumos dessa matança, o (des)governador cabralzinho, ursinho puff, cedeu aos apelos da paranóia classse média, se engedrou e aprofundou a letalidade das políticas de enfrentamento como um fim em si mesmo...

Há de se perguntar: Se por acaso fosse o carro dos bandidos, estaria tudo bem? De certo nem a atenção da imprensa mereceria além do já conhecido modelo de "cobertura": "de acordo com as autoridades todos tinham passagem pela polícia"...

Os "incidentes" que vitimaram o menino e, possivelmente, a moça que teve o carro achado na Lagoa, não são meras execeções...A novidade é atingir pessoas fora do alvo padrão, ou seja, brancos, classe média...

O combate ao crime no Estado do Rio de Janeiro perdeu qualquer vinculação com a realidade e a possibilidade de sucesso...A polícia fluminense é treinada para matar, não para prender...a polícia não investiga e reúne provas, arranca confissões, na maioria das vezes dos "suspeitos padrão"...

Esse universo agride frontalmente as garantias individuais, e desse jeito, ninguém está seguro...

Nenhum comentário: