domingo, 31 de agosto de 2008

Opinião de leitor...

Segurança pública é igual a futebol...Temos 190 milhões de "especialistas"...
Não somos contrários a emissão livre de análises, mas é preciso dar o peso devido as palavras publicadas em jornais e outros meios de comunicação...

Há uma diferença crucial entre fato jornalístico e opinião...O problema é quando a fronteira entre essas categorias se misturam, e um olhar pessoal assume contornos de verdade factual...

O Monitor Campista nesse domingo escorregou feio nesse quesito...
A sua bem pensada séria sobre os desafios do futuro prefeito abordou a Segurança Pública, e mais uma vez cedeu aos impulsos da falta de conhecimento e ao lugar comum...

Destacamos um trecho do texto:

"(...)A segurança pública no Brasil é uma das maiores preocupações da população e, são muitas e várias as suas causas. A falta de qualidade nos direitos básicos de todo cidadão como hospitais, escolas, lazer e saneamento básico, principalmente para a parcela mais pobre, influenciam e incentivam o crime organizado. E quem sofre com estes problemas é a própria sociedade que passa a viver acuada e apreensiva diante do aumento da violência nas ruas. Assalto à mão armada e roubos a residências são apenas algumas das conseqüências(...)"

Um grande amontoado de asneiras, em nossa OPINIÃO...
Erros graves:
Mistura delitos menores com atividade criminosa organizada e vincula o crime a carência social e a pobreza...
Onde está a pesquisa ou consulta que corrobore a assertiva sobre as preocupações da população...?

Crime organizado não se estabelece em virtude das carências sócio-econômicas da população...É justamente o contrário...
Crime organizado definido como tal: domínio territorial, atividade hierarquizada e especializada (cada qual sabe o que faz e quem manda), infiltração no aparato de estado, transnacionalidade, etc, prolifera para auferir lucro patrimonial em escala e transformar esses ganhos em dinheiro lícito...
Alguém acredita que álvaro lins, ou a máfia dos combustíveis, ou a máfia dos caça-níqueis acontecem por questões vinculadas a pobreza...?

Isso nada tem haver com realidade da criminalidade de rua, ou até do mercado varejista de entorpecentes...São meros delinqüentes pé-de-chinelo, embora suas ações nos remetam a paranóia, pois estão mais próximas e as ameaças são mais tangíveis...
O único diagnóstico correto da "reportagem" é a questão do ataque aos transeuntes pela oportunidade, ou seja: falta de iluminação e descaso com os espaços públicos...Esse é sim um fator crucial para a ocorrência de delitos como assalto e crimes de violência sexual...Nesse caso, cabe a municipalidade intervir...Cuidar das praças, ruas e iluminação pública...

A sucessão de erros permanece, e a reivindicação de policiamento está deslocada...Não é atribuição do prefeito a alocação de policiais...As polícias, militar e civil, são incumbência do Governador...

O prefeito tem responsabilidade residual e subsidiária sobre segurança pública no que tange a repressão a criminalidade...

Aos prefeitos cabem diminuir as "zonas de conflito", ou seja, adotar políticas públicas de postura e ocupação de espaço urbano que evitem abusos, como a ocupação desordenada de calçadas, regulamentação do trânsito para prevenção de acidentes, disciplinamento dos horários dos bares e locais de diversão pública para reduzir conflitos, etc...
Pode e deve a população cobrar uma articulação dos poderes municipais e estadual, mas esse é o limite do município na questão...

A matéria tem bons propósitos, mas corrompe suas intenções com a arrogância típica dos nossos jornalistas, que escondem sua ignorância e preguiça de pesquisar sob frases feitas, e de fácil aceitação...

Reiteramos, essa é uma simples e humilde OPINIÃO...
Bola fora do Monitor...

2 comentários:

Tagarela disse...

Infelizmente os não temos jornalismo de expressão em Campos . Quase todos, são frutos de algum acordo político portanto, evidentemente parciais.

Como oprardor do direio vejo escreverem cada absurdo quando tratam do tema ,que fico a penasr se isso também não ocorre quando tratam de outros ramos da ciência , como a sociologia, medicina, etc.

Ou seja , só lemos bobagens !!!

Tagarela disse...

Correção , leia-se OPERADOR DO DIREITO ...