quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Indignação ensaiada...

Toda vez que algum integrante da elite morre, vítima da criminalidade, os meios de comunicação desatam a espernear pela a atenção das autoridades e a "carregar" nas tintas acerca dos índices de delitos praticados...

Ninguém condena a preocupação com os temas relacionados a violência, mas é preciso fazê-lo com responsabilidade e com fidelidade aos números...

Os homicídios praticados para cada grupo de 100 mil habitantes mantém-se estacionado em Campos dos G.. Esse é o indicador reconhecido, por pesquisadores e gestores públicos, para observar e intervir na questão...

Outro aspecto grave é que a situação estrutural do aparato policial nunca é pouco mencionada...
As delegacias de Campos dos G., e da região, sofrem com a ausência de policiais, recursos materiais e viaturas...Sem falar nos salários defasados, que desmotivam toda a classe policial, que se sente desmerecida e portanto, restringe sua atuação ao mínimo necessário...

Sem investigação, não haverá a prisão e a punição dos criminosos, o que alimentará o círiculo da impunidade...

A notícia veiculada no diário e na folha, sobre o pedido do deputado wilson cabral, da criação de um núcleo da delegacia de homicídios em Campos dos G. já demonstra uma visão distorcida e elitista da questão....

A especialização da ação de polícia, na delegacia de homicídios, por exemplo, mostra como algumas mortes são mais relevantes que outras...A DH atende aos homicídios ditos "prioritários"...Pergunta-se: Existem mortes mais relevantes que outras...?

Nenhum comentário: