domingo, 31 de agosto de 2008

Qualquer semelhança não é mera coincidência...


Milhares de manifestantes se encontram em El Zócalo, Cidade do México, para pedir o fim da violência. Dia 30/08, ontem.


Uma onda de assassinatos, seqüestros, corrupção policial, exército nas ruas, carros blindados, blitzens falsas, população em pânico, mudança de hábitos e territórios demarcados...

Isso tudo lhe parece familiar...

Não é o Brasil, ou o Rio de Janeiro...

Essa é a situação que enfrenta hoje o México, um dos maiores centros distribuidores de drogas para os EEUU...
O pânico toma conta daquele país, e já são 2682 mortos esse ano...

A postura de combate do governo de Felipe Calderón tem surtido efeitos parecidos com os daqui...Prisões de alguns líderes do narcotráfico, apreensão de drogas, mas em contrapartida um aumento da violência e das retaliações dos criminosos, que custam a vida de muitos inocentes...

De acordo com a matéria do New York Times os hábitos dos mexicanos estão mudando devido ao impacto da violência...
Nenhum local ou acontecimento está a salvo: batizados, casamentos, bares, restaurantes, etc...

Muito embora o tráfico de drogas seja um domínio predominantemente masculino, algumas mulheres se destacam e assumem posição de comando...Também atuam na lavagem do dinheiro, com empresas de fachada como joalherias, lojas de roupas, centros de estética, etc...

No entanto, a sociedade mexicana parece disposta a lutar pelo seu direito de viver em paz...Um movimento nacional das entidades que atuam contra a violência se articula para pressionar o governo...

Ontem, no sábado, centenas de milhares de mexicanos ocuparam as ruas da Cidade do México, Tijuana e outras 70 cidades para protestar e exigir medidas que solucionem o problema...

Mas como nós sabemos por experiência própria, a mobilização é só um início de uma longa e dolorosa caminhada...
Fonte: New York Times,El País.
Foto: El País

Nenhum comentário: