sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Vergonha...

Na semana do advogado, os causídicos que enchem as burras com os problemas jurídicos intermináveis de alexandre macabro estão perto de cruzar uma fronteira perigosa...

O exercício da profissão, um dos pilares do Estado democrático de Direito, é garantir a melhor defesa possível ao cliente, sem questionar sua responsabilidade nos crimes que lhes são atribuídos...

No entanto, há uma diferença entre cumprir essa nobre, e nem sempre compreendida missão, e se misturar as práticas delitivas dos assistidos...

Assim são os advogados pombos-correios do PCC, por exemplo...

Também resvalam nessa conduta, acumpliciadora, os advogados que alegam que o prefeito está sob a égide de um dilema: cumprir o Termo de Ajustamento de Conduta, que determinava a demissão de 40% dos terceirizados, e o impedimento das demissões pela Lei Eleitoral, que determina a manutenção desses vínculos pelo menos três meses antes, e três meses depois do pleito...

Ora, ora...Esse argumento é canalha, e tenta confundir a opinião pública, com o apoio dos "órgãos oficiais de alexandre macabro"...

Do nada, nada vem...Os contratos nunca poderiam existir, e portanto, não geram efeitos que impliquem em descumprimento da Lei Eleitoral...

Esse dilema é falso...Ao tornar pública essa questão, seus advogados ultrapassam o limite da ampla defesa e do contraditório, e passam a exercer o papel político que não lhes cabem...
E por fim, desafiam frontalmente as leis e a justiça que juraram defender...

2 comentários:

Anônimo disse...

Xacal, assim como em todas profissões, temos os bons e maus profissionais, os advogados e políticos não fogem a regra.


Antonio Maurício costa, advogado de Mocaiber, não tem escrupulos.


Agora, essa questão dos contratados se arrasta há anos, desde quando Arnaldo ainda era prefeito. Acontece que enquanto o grupo de Arnaldo através de Mocaiber estiverem na prefeitura a situação não vai mudar. O período que o Ministério Público e a justiça mais apertaram a prefeitura, foi na época que Roberto Henriques era prefeito, fizeram ele assinar o TAC, quando Mocaiber volta, Mocaiber pode descumprir o TAC, que tudo fica por isso mesmo : Campos Terra sem lei.



Agora me parece que a juiza da segunda vara federal, concedeu mais 5 dias a Mocaiber, para ele demitir os contratados ou ser afastado, com risco de prisão.
Caso ele fosse afastado, seria apenas o tempo suficiente pra Roberto Henriques demitir os contratados, assim que isso fosse feito Mocaiber volta.

Ou seja a idéia é apenas fazer com que Mocaiber não queime sua imagem junto aos contratados demitidos, e que esse prejuizo político seja apenas de RH, que não é culpado pela situação atual, não obstante a isso RH já afirmou que vai cumprir a decisão da justiça se para isso for convocado.

Talita disse...

Muito bem observado, Xacal. Parabéns, mais uma vez, por dizer o que, embora seja óbvio, parece que ninguém - inclusive os que assinam matérias e colunas políticas - parece enxergar. O que não é "direito" não deveria mesmo gerar qualquer efeito. Infelizmente...