quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Beco sem saída...

O mercado financeiro sofre de uma "irracionalidade" que demonstra muito bem como funciona o espírito humano, ainda mais quando se trata de algo tão caro a humanidade, como dinheiro...

A ajuda dos bancos centrais estadunidenses e europeu deveria funcionar como um "calmante" aos investidores...

No primeiro momento assim funciona, mas logo após, a efêmera tranqüilidade dá lugar a nova onda de pânico...

É assim que raciocinam os gênios das finanças: Ora, se a crise é tão grave que imponha o aporte milionário de dinheiro público, nada justifica que mantenhamos nossas posições nesses investimentos...

Ao menor "ruído", a "manada" sai em desabalada "carreira" e atropela instituições que nem estão com balanços ruins, mas que também são "sugadas" pelo ralo da crise...

É uma sinuca de bico...Se o banqueiro fica quieto, quebra...Se adota medidas preventivas, pode ser interpretado como sinal de fraqueza, e quebra também...

A bola da vez é o Morgan Stanley...Seu proprietário, John Mack, estaria buscando "blindar" seu Banco com possíveis acordos com outras empresas com boa saúde financeira, e de acordo com o jornal espanhol El País, as instituições sondadas são o Wachovia Corporation e o HSBC...

Outra providência foi o adiantamento do anúncio dos resultados trimestrais do Morgan Stanley, que fechou com lucro de US$1.4 bi, 7,7% menos que o mesmo período do ano de 2007...

O que o banqueiro procura é artigo inexistente hoje no mercado: confiança...

Nenhum comentário: