quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Data maldita.


Ataque ao Palácio de La Moneda, em 11/09/1973.


Há sete anos, em Nova York, no Pentágono e na Pensilvânia, chegava ao ápice o enfrentamento de duas culturas inimigas: o ocidente judaico-cristão e o mundo muçulmano.

Ao vivo, e em cores dramáticas, o mundo assistiu um desses episódios que demarcam eras.
Tinha início uma sucessão de eventos que afundaram o mundo em confllitos e paranóia, medo e preconceito, manipulação e hipocrisia.

Também em 11 de setembro, mas há 35 anos mas uma página da infâmia legada ao mundo pelos EEUU foi escrita com o sangue do povo chileno.
Naquele dia, em 1973 o presidente Salvador Allende foi assassinado por um bombardeio ao Palácio de La Moneda. O General Augusto Pinochet tomava em suas mãos, e daria cabo ao futuro de milhares de pessoas.

Não temos o direito de esquecer.
E alguns acontecimentos recentes não nos deixam esquecer.

A direita e seus representantes jogam o jogo democrático quando lhe convêm, mas imediatamente o abandonam e conspiram abertamente contra a democracia que juram defender.

É assim quando fabricam "crises" à todo o momento para antecipar a sucessão, e quem sabe apear do poder presidentes eleitos. 

Em níveis diferentes, mas sempre com os mesmos objetivos: Impor suas vontades e privilégios.

Nenhum comentário: