quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Exportando trabalhadores e tecnologia...

A revista The Economist traz em sua página eletrônica uma matéria interessante...

Com a abertura dos mercados brasileiros, e a diminuição de taxas de importação e a queda do dólar, a indústria calçadista brasileira, majoritariamente gaúcha, ruiu...Dos 201 milhões de pares exportados nos anos 90, o indústria brasileira caiu para 177 milhões de pares, 12% de decréscimo...

Enquanto isso, a China aumentou em 2/3 sua participação no mercado mundial...

A região de Dongguan sozinha responde pela produção de 600 milhões de pares...

Mas um dado chamou a atenção da revista...Dentre os trabalhadores chineses há 3.000 brasileiros oriundos do sul do Brasil...

A justificativa é que o aumento da demanda por produtos elaborados e de melhor qualidade forçou a "importação" do know-how brasileiro, abrindo assim a oportunidade para empresários e trabalhadores do setor...

Um bom exemplo citado pela matéria é Ricardo Correa, dono da Paramont Asia, que vendeu ano passado 35 milhões de pares de sapatos femininos, a maior parte para os EEUU...Ele migrou para a região em 1995, e sua empresa atua de forma sofisticada para os padrões chineses...Ses sapataos são desenvolvidos a partir da informação de cada mercado consumidor e submetidos a rigorosos testes em centros de controle de qualidade...A empresa mantém esse gerenciamento nas suas fábricas na Índia e Vietnã... 
Na China, Ricardo emprega 800 pessoas, 100 delas brasileiras...

Com a migração dos brasileiros para trabalhar nesse setor calçadista, outros brasileiros são integrados a cadeia produtiva, direta ou indiretamente: restaurantes, escolas de língua portuguesa para crianças chinesas...

É a confirmação da máxima: saber não ocupa espaço, e é um bem inalienável...

Nenhum comentário: