domingo, 21 de setembro de 2008

"Harakiri editorial..."

A que ponto chegou a necessidade da defesa de seus interesses, e da continuidade dos rumos na administração municipal...

O grupo folha da manhã, em aritgo publicado por seu dono, corta na própria carne, e desacredita o que foi divulgado por ela...

Não se trata apenas de pautar o texto pela isenção ou distanciamento crítico...Aliás, pressupostos abandonados pela folha faz tempo...Não...Não é uma crise de ombudsman tardio...


É um grito puro e simples: esqueçam o que escrevemos...!

A análise do articulista sobre as pesquisas contratadas e divulgadas pelo grupo folha alcança o ápice de um processo de desacreditação dos dados tabulados, engedrados durante toda a semana...E por um motivo óbvio: o candidato da preferência da folha, arnaldo popozão melancia vianna está em queda livre...

Paradoxal, e desesperada, a folha tenta inflar a candidata Odete, com base nos mesmos números que tenta desmerecer...
Em outras matérias, a folha utiliza o que foi apurado sobre rejeição dos candidatos para balizar seus textos...
O único resultado que deve ser contestado é a derrota iminente do "cavalo" que ela apostou...

Ora, até bem pouco tempo a folha disse em alto e bom som que seria uma pesquisa que definiria quem iriam participar do debate, ou seja, os folhianos diziam que os candidatos com menos de 5% de intenção de votos ficariam fora...
Mas e aí? E a creibilidade das pesquisas?

O gesto suicida e tresloucado se explica: 
Como ultimamente a folha abandou qualquer traço de jornalismo em sua redação, e transfigurou-se em mero "balcão de negócios", a administração do grupo sabe que seus dias estarão contados, caso seque a fonte que lhe alimenta...

Leiam o trecho do artigo do patrão da folha, e tirem suas conclusões:

"(...)Sobre os números apresentados no trabalho do Ibope existem desconfianças, não só dos demais candidatos e seus partidários, como também dos eleitores. A realidade que se vê nas ruas, nos bairros e nos distritos é outra. O equilíbrio existe, embora a campanha do PMDB seja mais organizada e rica. O que não surpreende, se for levado em conta que, por detrás de tudo e atuando nos bastidores esteja o ex-governador Anthony Garotinho, político experiente e articulador. 

De tudo isso o que se pode afirmar sem medo de erro é que a TV Globo e sua afiliada Inter TV Planície, não devem e nem podem ser apontadas como influenciadoras dos números das pesquisas. Contrataram simplesmente o Ibope, instituto tradicional e nacionalmente conhecido. Que, por sinal, nas duas últimas eleições, tanto em Campos como em várias capitais, errou feio em suas previsões. Inclusive, o que é mais difícil, nas pesquisas de boca de urna, o que acabou chamando a atenção de todo país. (...)"

6 comentários:

Anônimo disse...

Xacal, vc teria os dados das pesquisas do ano de 2004 e 2oo6?Fiz este mesmo pedido ao Blog do Ricandré, porém ele acha que naquela época as pesquisas feitas não foram realizadas pelo Ibope. Lembro-me do Instituto Precisão, mas se teve outas pesquisas, no momento, não consigo lembrar.Dessa forma, como poderia a Folha da Manhã contestar as pesquisas feitas pelo Ibope dos anos anteriores se elas não existiram??
Se vc tiver as pesquisas daqueles anos, poderia publicar?? Gostaria de fazer um comparativo. Obrigada pela atenção!
Profª Olivia Queiroz - Farol de São Thomé.

Xacal disse...

Vou pesquisar, e caso encontre, publicarei...

Beremiz disse...

Cara amigo Xacal,

Não entendi o que a Folha quis afirmar. O IBOPE diz claramente que Rosinha Garotinho e Arnaldo estão tecnicamente empatados!

Não há problemas técnicos nisso. A questão surge quando se debruça sobre o intervalo de confiança de 95% com a margem de erro de quatro pontos. É o intervalo mais utilizado pelas pesquisas eleitorais brasileiras (é confiável, dito de outra), mas a precisão é muito baixa (margem de erro alta).
Há um trade-off entre precisão e confiabilidade. Quanto maior a confiabilidade, menor a precisão. Isso todo mundo que estuda pesquisas sabe. O problema é que com uma margem de erro de 4 pontos para mais e para menos, vc pode afirmar praticamente qualquer coisa. Na realidade se torna uma margem de 8 pontos.
Numa disputa bipolarizada e acirrada isso é brincadeira de criaça. Melhor não dizer nada!
A única solução seria aumentar sobremaneira o número de casos. Como sabemos, a margem de erro tem relação com a quantidade de casos, MAS NÃO É DIRETAMENTE PROPORCIONAL. A relação é uma curva exponencial, o que significa dizer que para aumentar a precisão (diminuir a margem erro) necessita-se aumentar MUITO o número de casos.
No IBOPE TODOS SABEM DISSO. O problema é que o cliente não quer pagar mais. Na certa o IBOPE tentou vender uma pesquisa melhor, mas não quiseram pagar. A velha máxima: "não paga, mas também não leva".

A pergunta que faço é quem tem grana para bancar uma pesquisa dessas em Campos? Somente as campanhas mais ricas, se elas já fizeram, não divulgarão se não for do interesse. E se divulgar, não divulgarão os microdados. Aqui reside o "ouro" das pesquisas. Engana-se quem acredita que uma pesquisa diz somente quem está com quanto. Vai muito além disso. Produz informações preciosas para as estratégias de campanha.

Mais uma vez, quem tem grana leva. Por isso a defesa da democratização das informações. Não somente para os competidores, mas também para os eleitores.

Por que os TRE's não poderiam produzir informações que municiassem os eleitores? Tornariam as eleições muito mais transparentes! Há universidades preparadas para isso. E as empresas de pesquisas não ficariam prejudicadas, o "CAMPO" poderiam ser também contratadas (já que é uma tarefa espinhosa e que exige know how técnico específico).

Perceba que aqui estou eliminando completamente a possibilidade da pesquisa ter sido manipulada. O que pode ter ocorrido sem a participação do próprio IBOPE. Mas essa não é a questão. Isso não vem ao caso.


Grande abraço do Beremiz

Anônimo disse...

A folha está assim pq quem financia ela é a prefeitura. Resta saber oq os arnaldetes irão fazer para mudar isso, pq ao meu ver esta eleição já está liquidada e se a justiça eleitoral n ficar de olho....aí sim td pode mudar

Xacal disse...

beremiz,

há quanto tempo?

andavas sumido, e presumo que seja por questões acadêmico-profissionais...

volte sempre...seus comentários são cada vez mais necessários...

Anônimo disse...

Na verdade oque aconteceu foi que arnaldo ao contratar a pesquisa (via folha) deu um tiro no pe, achava que se encontrava em situação favoravel, o pessoal questiona a pesquisa pois "sente" que esta melhor para arnaldo, na PEDRA pode sim estar melhor, porem quem anda por guarus sabe que lah a situacao esta critica para o 12.
a pesquisa de 2004 nao pode ser levada em consideração pois naquele ano tinhamos 3 candidatos com possibilidades e a maquina agiu em cima da eleicao, tirando feijo do pareo. fico triste pois, agora, a folha/arnaldo vão investir na promocao de Odete para forçar o novo turno, apesar de nao ser eleitor de Odete lamento com a possibilidade de ela(sem querer) servir de instrumento para que o time de arnaldo tente atraves de falcatruas, vencer a eleicao no 2º turno. nao voto nela, nao acho que ela teria capacidade de gerir a cidade, porem admiro sua coragem e a respeito. ver que uma atitude tao nobre e limpa por parte dela venha a se tornar uma mera escada para arnaldo, me entristece profundamente.
*as pesquisas em sao paulo foram feitas com pouco mais de 1000 pessoas,os erros sao devidos a fatos extraordinarios como por exemplo, a contratação de milhares de pessoas em 2004 por arnaldo, para que campista fosse eleito.