segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Lixo radiofônico...

Já virou lugar comum ouvir as asneiras dos caolhos da cidade...

Cada uma pior que outra...

Mas o comeNtário sobre a crise estadunidense atingiu aos "píncaros" da idiotice...

Banco Central estadunidense, o Federal Reserv, chamado ao vivo de entidade PRIVADA é demais...

Como um programa que se arvora a condição de "informar" cumpre um papel tão chulo  de "deformação" da opinião pública...????
Até para manipular é necessário talento e um pouquinho de cuidado com o que se fala/publica...

O FED, banco central estadunidense é uma instituição estatal, e como tal, lá como aqui é o guardião (no sentido de "proteção, caolhos, não tem dinheiro lá) da estabilidade da moeda, e executor da política cambial (se é fixo ou flutuante) e monetária (juros), dentre outras coisas...

A diferença é que o FED é INEDEPENDENTE, ao contrário do Brasil, ou seja, o presidente do FED não é administrativamente vinculado ao governo dos EEUU...

Tenham paciência...

Alguém aperte a focinheira nesses caolhos, pelamordedeus...!

5 comentários:

Anônimo disse...

Quanta falta faz o Jorginho neste programa. A vocação do João é ser palhaço, e aquele outro dá pena de tão imbecil que é. Eles deveriam assistir a reprise do programa, pois ai teriam oportunidade ver ver o quanto são ridiculos.

Anônimo disse...

É verdade!!!! Apoiado

claudiokezen disse...

É triste ver o (des)nível da produção jornalística veiculada nos meios locais. As TVs Plena e Litoral chegam a ser trash de tão ruins. O pupilo do Caolho, que tem um programinha chinfrim chamado Web-show ou algo assim tem claramente uma incompatibilidade de gênio, número e grau com o português, algo aliás, que se estende aos apresentadores. Como falam mal o português esses pretensos comunicadores! O (ex?) colunista da Folha da Manhã, principalmente, é horrível nos seus comentários deslocados de sentido e continuidade de idéias. Patéticos também são os programas de entrevista onde gente sem conteúdo é entrevistada por gente à beira do analfabetismo e à margem de qualquer mostra de vida inteligente. A morena de franja e o rapazinho bailante são dois exemplos de que a imbecilidade humana não tem limites. O pior é a FAFIC, um centro de ensino de comunicação veicular um programa absolutamente inenarrável de tão ruim, na forma, (falta de) produção, onde um sujeito meio esquisito desfila um elenco de idiotices que ofende até os ativistas dos movimentos de afirmação e pelos direitos GLS. A TV Record não foge à regra e o nível dos seus apresentadores é sofrível. Um deles é uma das pessoas menos carismática e empática que a televisão mundial teve o orgulho de transmitir, e uma baixinha feinha também é de dar pena de tão despreparada para o uso comum do vernáculo. A pergunta que não quer calar é: porque tanta falta de vida inteligente e principalmente pessoas sem preparo pessoal e profissional ocupam tanto espaço nos meios de comunicação local?

Xacal disse...

ora, cláudio, se pensassem não fariam o papel que lhes cabe...

mesmo por todo o dinheiro do mundo, chega uma hora que o sujeito que raciocina, pelo menos um pouquinho, cansa de ficar "abanado o rabinho, deitando, rolando e fingindo de morto"...

a melhor forma de controle é disseminar a burrice...

claudiokezen disse...

Tens razão, Xacal...