segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Síndrome das pesquisas...

A divulgação de resultados de pesquisas junto ao eleitorado desmascara um tipo de comportamento, que tem origem nas defesas apaixonadas dos correligionários, e depois contamina a maioria da imprensa local...

Esses setores da mídia acabam funcionando como correias de transmissão dos interesses de cada grupo político, e enfraquecem ou aniquilam a credibilidade das análises e das próprias pesquisas...

Há manipulação para todo gosto...

Alguns contestam os números que lhes são desfavoráveis, e ressaltam apenas a parte das pesquisas que favorecem os candidatos de sua preferência...

Outros desqualificam toda a consulta, a apelam para a falibilidade das metodologias e dos prognósticos...

Já os que são ungidos por bons resultados, louvam a ciência das estatísticas como sentença definitiva da vontade popular...

Todas essas posições veementes são pulverizadas ao menor sinal de "dança" dos números em novas pesquisas...

Rapidamente, quem desmerecia dá credibilidades e vice-versa...

Não se trata, portanto, de avaliar cientificamente a falibilidade/eficiência dos institutos de pesquisa, ou sua importância como instrumento de análise dos movimentos do eleitor...
Sabem os "especialistas" que estatísticas tornam-se mais ou menos próximas da realidade à medida que variam o número/variedade de amostras, tempo de coleta de dados, etc, etc...

O que importa para os porta-vozes e seus candidatos é realçar ao máximo os ganhos, e desprezar os revezes...

É sempre um espetáculo cínico e deprimente proporcionado pelos concorrentes e seus jornalistas de coleira...

Nenhum comentário: