quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Briga de foice...

Como é natural em todo processo de transição, começam as especulações em torno do secretariado da nova administração eleita nesse último 26 de outubro...

Os "secretariáveis" ensaiam um "balé" curioso...Os mais cotados, aqueles que fazem parte do "núcleo duro" do grupo político que saiu vitorioso, tendem a fazer menos barulho, enquanto as "zebras" e os integrantes de facções aliadas, e até mesmo da antiga base do governo que se vai, berram aos quatro ventos suas habilidades, usando os meios de comunicação como terreno fértil para sua pretensões...Uma notinha ali, outra acolá, e assim se forma a nova bolsa de apostas: quem fará parte da equipe de governo...E mais importante, qual será a "cara" desse novo governo...?

Secretarias, gerências, presidências não faltam para acomodar muita gente...

Mas o fato crucial é que se o novo governo pretende começar seu mandato com medidas marcantes e simbólicas, como o desgastado termo:choque de gestão, precisará enxugar a máquina administrativa, pois como disse o Chico Buarque, em Cálice: "(...) de tão gorda a porca já não anda(...)"...

Esse é um dos dilemas que enfrentará a prefeita...

Se equilibrar entre a necessidade de dotar de eficiência a máquina administrativa e a exigência pragmática de acomodar aliados, e quem sabe, dissidentes do governo atual...

Uma primeira olhada nos quadros disponíveis não é animadora...Como o modus operandi do grupo da lapa sempre desagregou mais do uniu, e sempre privilegiou a fidelidade canina a competência e autonomia, restaram poucos "fiéis" capazes de vestir o figurino exigido pelo "chefe": odebiência cega, e dedicação total ao projeto(delírio) de campanha presidencial...

Por outro lado, no governo do macabro, os bons(??) quadros foram tragados pelo descrédito e pelo ambiente de improbidade, o que os marcou indelevelmente...Seria muito desgastante para o novo governo aceitar "adesões", ou arriscar qualquer cooptação...
Afinal, o governo que se inicia se elegeu sob o signo do "novo tempo"...

Enfim, e não menos séria é a relação clientelista com a Câmara, que pressupõe o loteamento de feudos no governo, em troca de governabilidade...

Em uma eleição tão polarizada, a tarefa de "conquistar" vereadores sairá "bem cara"...

Tão importante quanto os nomes, é a forma na qual se basearão as negociações...
A sociedade deve ficar atenta, pois como diz o velho adágio popular: a primeira impressão é a que fica...

3 comentários:

Anônimo disse...

Xacal,

Acredito que no meio de tais indicações, teremos algumas decepções com blogueiros.

Já ventila-se na cidade o nome de uma figurinha carimbada em todos os blogs para alguma boquinha na Fundação Cultural.

E não vai parar por aí. Acho que os blogs tem que fiscalizar os outros blogs.

Em breve você falará dos "blogs de embrulhar peixe". Ficou muito claro durante as eleições que vários blogueiros defendiam uma das candidaturas de forma branca, barrando comentários etc.

Como diria Mark Twain "são seres humanos, e pior não poderiam ser".

Anônimo disse...

Assistiremos atônitos a ressurreição de Ranulfo Vidigal...

Deprimente...

Xacal, uma dica de trolhadinha:

Quantas bolsas da PMCG a Estácio de Sá terá ano que vem?

RH(agar) apoiava Campista, depois pulou para Pudim. Daí apoiava macabro, e pulou para Garotinho.

Até que para um político que não ganha nem para vereador ele sempre está em evidência. Custe o que custar.

Anônimo disse...

Eu acredito que muitas secretarias não vão mais existir e outras serão agregadas e muitos cargos de primeiro escalão e gerências serão eliminado do gorverno, Rosinha não tem tanto compromisso assim para dar emprego de confiança é gente demais para mandar. Quanto menor a familia, mais facil de adiministrar.