domingo, 26 de outubro de 2008

Cadafalso...

Hoje é um dos dias mais tristes da minha vida...
Para quem acompanha um pouco o personagem xacal, já sabem que temos o péssimo defeito de opinar sobre tudo: desde cabeça de alfinete a combustível de foguete...o xacal está lá, tasca seu palpite sem medo de parecer ridículo, e na maioria das vezes, é justamente isso que se torna...!

Mas hoje, nossa sensação não é de ridículo...é de tristeza mesmo...!

Pela primeira vez anularei meu voto...!

É um pouco como disseram todos os leitores e comentaristas, uma anulação de si mesmo...
A percepção de que nenhuma das opções apresentadas é diferente, não na forma, mas no conteúdo, nos deixa impotentes...

O voto, junto com o exercício cotidiano da cidadania, é um dos momentos mais importantes para a definição e perpetuação de nossas espectativas no futuro...

A anulação é uma sentença de que não esperamos nada, não enxergamos futuro...!Pelo menos não um futuro que se encontre com nossas espectativas...

Pode-se argumentar que dentro do espectro atual, nossos desejos são exigentes demais...

Não...! não são...!
As escolhas é que estão niveladas em um nível muito baixo...

Será que é pedir demais que tenhamos gestores comprometidos com a coletividade, e não apenas com seus projetos políticos privados...?
Ou exigir transparência e eficiência na gestão de uma montanha de recursos, que parece nos soterrar em um pântano de corrupção e ignomínia...?
Será que é pedir demais termos uma imprensa menos "comprada" e manipulada...?

Enfim, será que é pedir demais algo melhor do que o telhado de vidro, ou o pecado capital...?

Não...! Creio que não...!
Queria ter o otimismo anestesiante daqueles que ainda acreditam ser possível retirar algo de bom de uma gestão desse ou daquele grupo, nascido na mesma forma...!

Porém não consigo deixar de fazer um exercício: 
Como não avaliar o passado, os atos, as gestões dos concorrentes para fazer meu juízo de valor sobre seus possíveis futuros governos...?
Com certeza uma boa dose desse juízo é baseado na confiança, mas essa confiança não pode ser alimentada apenas pela "fé"....
Ela deve ser fruto de uma relação verdadeira, de uma análise racional, e não apenas uma "invenção" dos especialistas de marketing...

Enfim, fomos "condenados" ao voto nulo, e apertaremos as teclas como aquele que aciona o próprio cadafalso sob seus pés...!

Mas esse é o preço da democracia, e não inventaram nada melhor para dirimir nossos conflitos...

Mas tenho certeza que hoje morri um pouco...
Foi o dia que disse a minha cidade: 
Tanto faz...

21 comentários:

Paula disse...

vote no 12

Xacal disse...

paula, vou fazer uma proposta tão indecente quanto esse, será que vc toparia...?

Anônimo disse...

Xacal, fica triste ñ, sempre tem uma primeira vez... em 2004 votei nulo e 2006 tb, ambos no segundo turno... o problema é que isso pode até viciar, pois no 2º turno pra presidente e governador em 2006, tb votei nulo... e não morrir...heheheh!!!

Fiquei assim como vc em 2004...

Declarar minha paixão pelo seu blog isso te serve de consolo? Diz que simmmmmmm...

AnôniMA
Respeitosos ABÇS!!!

Anônimo disse...

Que peninha de Xacal!
Não seja assim tão piegas.

Anônimo disse...

Fala sério rapaz. Assuma o seu voto nulo como sua melhor escolha e pronto. Apelar para sentimentalismo não condiz com sua lógica racionalidade.

Anônimo disse...

Se voce assume que nunca votou nulo, na última eleição o seu voto foi para qual candidato? Pudim, Alexandre, Feijó ou Mackoul?
E no segundo turno? Xandico ou Pudim? Naquela ocasião, o que motivou o seu voto? escolha de sofia..............

Gervásio Neto disse...

Dá-lhe Xacal!!!!

Pena que boa parte da população de nossa cidade está super satisfeita com o que temos....

Forte abraço!!

Anônimo disse...

Olá, Xacal,
Acabei de ler a sua postagem e é assim que me sinto. Vc já anulou, eu não voto na cidade de Campos, voto no interior do município e não estou com a menor vontade de entrar no carro, viajar 75 km só para anular... vou justificar, pagar multa...Muito frustrada, pois votar é um ato que considero importante. Infelizmente, às vezes o contrário também é necessário!
Tristes abraços...

Avelino disse...

Meu caro,

Nós dois sabemos que verdades absolutas existem, mas são poucas: a inexorabilidade da morte de todo ser vivo é uma delas. Os mamíferos são seres que pensam. É outra. O bicho humano é um animal que usa a razão. Outra. Quantas mais? É difícil dizer. O que existe a mais é fé. Mas fé nada tem a ver com a verdade.
Gostaria de saber quantos governantes conheceu ou soube que estariam no seu quadrado como puros política, ideológica e administrativamente.

Adianto que não encontrará um. Ideal é coisa de quem tem fé, não razão. As pessoas sempre encontrarão defeitos nas outras. Sempre. E mesmo aquelas que são probas, sofrerão críticas e acusações. Só tempo e as análises posteriores aos "fatos" dirão se eram calúnias ou verdades.

Então, vamos nos ater ao momento que vivemos e acreditar nas pessoas até que elas provem o contrário. No caso da eleição em Campos, peguemos as propostas dos candidatos,. guardêmo-las e, no transcorrer do mandato, vamos cobrá-las. Caso não sejam concretizadas, denunciemos. Lembro que 100% é quase impossível, pois política não é matemática. Um prefeito tem que negociar com a Câmara, com os partidos aliados etc. e, muitas vezes, essas forças têm interesses contrários aos interesses dos eleitos para cargos executivos. Outras vezes são as catástrofes, o vai-e-vem das bolsas, o aumento ou queda de arrecadação etc..

Não diga que os que votam e acreditam são anestesiados. Nem compare um sujeito popularmente, juridicamente, moralmente, eticamente sujo, como Arnaldo, com Rosinha. Colocar os dois no mesmo balaio é não querer enxergar o óbvio. Respeito suas opiniões e seu voto nulo (somos seres de escolha e a omissão é uma delas), mas a amplitude de seu pensamento não pode limitar-se à divisas (entre estados). Vamos ampliá-la para fronteiras (entre países), pelo menos.

Saudações,
Avelino Ferreira

Anônimo disse...

Eu estava lá no começo, acompanhei o casal. Vi o que eram. Vi o que fizeram. Vi o que se tornaram. Todos vimos! Quase todos... Eu perdi a inocência. Não acredito mais em nenhuma palavra, gesto ou ato dos dois. Não votei em Odete! Não Voto nulo!

Karl Kraus disse...

Meu caríssimo Xacal,

Amigo de longa data, compartilho plenamente esta frustração. Dia de horror, quando caímos por terra, os cascos passaram sobre nós, e nem sombra de ajuda. Quando o coração está vazio e sobram palavras e, por desgosto da vida, recorremos ao pensamento. Este é um suicídio por meio do qual nos damos a vida. E como o meu único dogma é não por fim a minha existência, espero que quando errarmos continuemos atirando acima da meta e não ao lado.

Um grande abraço

Anônimo disse...

Racionalizar é diferente de raciocinar. Raciocine! E... não anule seu voto!

Cleber Tinoco disse...

Xacal,

A democracia não se resume ao voto, mais importante do que votar é fiscalizar o Poder Público. Há um certo consenso neste ponto, mas as palavras devem materializar-se em ações efetivas. Devemos, nesta altura, discutir os caminhos para isso e esquecer quem vencerá as eleições.

Anônimo disse...

Avelino, como sempre, tentando se fazer de "filósofo" e misturando alhos com bugalhos. Desde quando voto nulo é omissão? Somente nas cabeças deturpadas e/ou inebriadas pelos posicionamentos profundamente questionáveis (mas que acham inquestionáveis).
Rosinha fede tanto quanto Arnaldo, meu caro. E se você não sente isso, provavelmente seu olfato está ocupado contando as vantagens financeiras da vitória de Rosinha.
Mas eu não o culpo. Já botaram tanto no seu cu que, agora, você quer provar um pouquinho como é ser ativo.
Dinheiro, meu caro, é o seu viagra?

Ave.

Anônimo disse...

fiscalizar, como muito bem mencionou Cleber Tinoco, acompanhar e propor é o verdadeiro exercício da cidadania.
O que ocorre em Campos é a ausência quase total deste exercício.
Mecanismos existem, vide conselhos municipais, que deveriam ser os órgãos a desempenhar tais funções pois a sociedade civil ocupa paritariamente (nem sempre!) tais espaços, mas com raras exceções, são acéfalos.
A participação na elaboração do orçamento é uma aquisição de extrema importãncia da sociedade civil, que a população ainda não se apoderou dela, mesmo com a grande (!)representatividade pelos conselhos.
Em suma, Nenhum dirigente é totalmente ruim se a população, principalmente a usuária, tiver consciência dos teus direitos e deveres.
Proponho que os blogs, que estão ocupando espaços cada vez mais consequentes, pois abre para o debate, continuem fomentando tais discussões.
Parabéns pelos blogs.

Tiazona disse...

Xacal, o voto é a coisa mais importante e inerente ao cidadão, e foi com muito sacrifício que esse direito foi reconquistado. Muitos dos que, atualmente, postam pelos vários blogs existentes, nem têm idéia do que foi feito pra que esse direito voltasse a se transformar em realidade. Assim sendo, sair de casa, ir até a urna e anular o voto ou votar em branco é que é, pra mim, uma coisa muito triste. Que se fique em casa, então, justifique depois e passe a lutar pelo voto não obrigatório, como alternativa, por exemplo. Não votei em nenhum
dos dois candidatos no 1º turno, votei na única opção que me pareceu ser um sopro de mudança(Profª Odete), apesar de saber das dificuldades que ela teria em governar, mas, outra vez, não desperdiçarei meu voto anulando-o, e sim, o usarei como voto útil. Diferenças entre os dois não existem no quesito roubo, nem tampouco no quesito problemas com a justiça. A grande diferença é que enquanto um é um político de interior e regional(sem aspirações a grandes vôos) o outro (ressuscitado pelo município) utilizará esse trampolim que estão lhe oferecendo pra grandes vôos, respaldado no dinheiro dos royaltes daqui e de S.J. da Barra. Portanto, digo a você, "Ladrão por ladrão, voto no mais bobão", como escutei na rua outro dia. E aí sim, tentaríamos lutar por uma opção melhor e mais confiável que, com certeza, faria nosso município atingir dias melhores. "Anular o voto é favorecer ao pior candidato".

Tiazona disse...

O Avelino, que é um jornalistazinho de 5ª e metido a filosofar, às vezes(muito raramente) fala algo que preste. O voto nulo é omissão sim, na medida em que não se faz nada pra melhorar, durante o tempo entre as eleições. Chegar na véspera das eleições e propagar o voto nulo é se omitir do processo sim. Quer ter opção de candidatos bons e confiáveis? Então tem que fazer pra merecer.

Anônimo disse...

Xacal

O Avelino, como leal e cego defensor de Rosinha, não aceita que seja colocado no mesmo balaio Arnaldo e Rosinha.

Infelizmente, meu caro Avelino, você está errado e sabe disso. Porque os dois grupos, pertencem ao mesmo saco de farinha. Ambos têm o mesmo DNA, por isso possuem uma postura política muito semelhante, que é o populismo e a demagogia. Além de terem como pratica usar o dinheiro público, para os seus objetivos políticos e para outros fins não confessáveis.

A população de Campos perceberá com pouco tempo de governo, caso a vencedora de hoje seja a Rosinha, que só mudou os atores, mais o enredo permaneceu o mesmo.

Ou seja, permanecerá inalterada forma de governar, com muita roubalheira, empreguismo e outros privilégios para quem for da patota e algumas migalhas para o povo, para o manter calado e iludido.

Prevejo para Campos mais quatro anos de escândalos e roubalheira, independente de quem vença as eleições. Se a vitória for de Arnaldo a mudança dos atores será quase imperceptível. Se for de Rosinha, que ao que tudo indica é o mais provável, deverá ocorrer à mudança de um bom numero de pessoas, mas certamente muitos ficarão. Porque ao perceber que o barco estava afundando, muitos ratos trataram de abandonar o navio e voltar ao antigo ninho, para não perder a boquinha.
Não podemos esquecer que Junto com esses, existe dois grupos, que permaneceram fieis aos Garotinhos, um que ficou no governo de Arnaldo, na época em que todos pertenciam ao mesmo grupo e com a ruptura não tiveram como ser acomodados no governo estadual e o segundo grupo, mais numeroso, que acompanhou o casal para o governo do Rio, e que em termos de falta de moral e ética com a coisa pública, nada deixam a dever aos que permaneceram no governo Arnaldo/Mocaiber.

Esses dois grupos estão ansiosos pela volta ao poder e montar os seus esquemas de corrupção, para compensar o período que estavam a pão e água.

Recentemente o nosso caro Avelino, defendeu esse grupo a qual ele pertence, em um postado em seu blog quando disse “ que agora era a vez do grupo que estava fora do poder se dar bem”, numa clara alusão aos ratos que estavam abandonando o navio, e já estavam disputando espaço com o grupo que ficou a pão e água, num provavel governo Rosinha.

Portanto, ao que tudo indica, infelizmente para a nossa cidade, nada mudará independente de quem seja o vencedor.

Anônimo disse...

Avelynnus frangolinnus ... sempre com a sua boca alugada...

vai reformular o seu plano frustrado de assaltar o banco seu babaca...

Maria José disse...

Longe de mim querer q vc se sinta pior, mas resolvi anular meu voto depois q descobri seu blog, creio sinceramente q foi o melhor q fiz, não me arrependo de maneira alguma.
Sua leitora assídua

claudiokezen disse...

Caro Xacal:

Me permita colocar a minha colher no seu desabafo. O Cleber Tinoco tem toda razão quando diz que a democracia não acaba ou se resume ao voto.

Mais importante do que o voto é consciência de cidadania, e o não votar como forma de protesto também é uma posição política válida.

Em relação ao comentário do Avelino (quem?) eu parei de ler na palavra irenoli...neroxi...lanibilidida... pqp...