sábado, 11 de outubro de 2008

Como...?

O blog desliza feio na língua portuguesa, reconhecemos...
Não temos revisores, e sobre nós não recai o peso de vender o produto que escrevemos, como é o caso de um jornal...
Outra distinção é o fato da possibilidade da correção imediata pelos blogonautas...
Um jornal não conta com essa chance, daí a necessidade de maior zelo...

Ouvimos em algum lugar que há um parâmetro que norteia a qualidade do uso da língua em um jornal a partir de um certo percentual de erros por página...

Mas como em tudo na vida, quantidade nem sempre é "qualidade"...Há erros e erros...e alguns equívocos valem por toneladas de outros tantos...

O que dizer quando a coluna do patrão da folha de embrulhar peixe comete um atentado grave ao vernáculo nacional...?

Será que dinheiro demais emburrece...? Ou será que a erudição toda era só peça de propaganda...?

Leia a nota e veja o descalabro que assinalamos, embora nem fosse necessário...Chega a ferir a vista...
Fica a sugestão para o PROCON: 
Se produto com defeito enseja devolução do dinheiro, abatimento do preço ou troca do produto, por que não o leitor pedir indenização por um jornal de péssima gramática...?


"Pendências judiciais a parte, o fato é que Campos terá 2ª turno. Assim como se cumpriu a decisão da Justiça local e do Tribunal Regional Eleitoral, não sendo contabilizados os votos de Arnaldo Vianna oficialmente, agora tem que se cumprir o que o Superior Tribunal Eleitoral decidiu em Brasília. É aquela famosa frase pré-moldada que todos repetem: “decisão judicial não se discute, cumprisse”. 

Não seria: decisão eleitoral não se discute, cumpre-se?

2 comentários:

Anônimo disse...

Achei o fim da picada, também. Há outros erros na mesma coluna, dos quais não me recordo agora. Pô, os caras ganham rios de dinheiro do Mocaiber e não contratam um revisor competente...
Neste capítulo, O Diário também não é lá grandes coisas...

Anônimo disse...

Xacal, a intenção era dizer cúmplice.