segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Festa...

Mais uma tragédia para alimentar o apetite insaciável dos abutres da imprensa...

O seqüestro e morte de uma adolescente em Santo André segue à risca o padrão marrom de cobertura...

"Especialistas", mesas-redondas, pareceres, retrospectivas, etc, etc, etc...

O efeito nefasto dessa "irresponsabilidade sangüinária" já pode ser verificado no depoimento do policial responsável pela operação de resgate e prisão...De acordo com o comandante do GATE (grupo de ações táticas especiais) da PM de SP, a polícia não adotou medidas mais drásticas contra o agressor por temer uma "repercussão negativa" da imprensa...

Ora, não negamos a importância da fiscalização, e vigilância da sociedade sobre suas forças policiais, inclusive tendo a imprensa como veículo para denúncias de abuso...Mas quando o Estado, representado na polícia, pauta suas condutas pela "repercussão", algo está errado...! Muito errado...!É quando a mídia incorpora o papel de instância de julgamento e punição, através da espetacularização e manipulação das informações, ou dos interesses de audiência e lucro...

Não seria de espantar que o assassino já tenha "negociado" direitos exclusivos de exibição da "sua história"...
Como aquele filme de Al Pacino e John Travolta, o Quarto Poder, onde um repórter decedente vê em um seqüestro de um recém-demitido vigia ao museu onde trabalhava, a chance da reviravolta em sua carreira...

Assim pouco importa se a justiça é feita, desde que o "ibope" justifique "linchamentos públicos", ou "absolvições à lá daniel dantas"...

Nesse roldão, a banalização da crueldade, com a exposição deformada da violência, ao vivo, à cores, com computação gráfica e efeitos especiais...
Como no caso Isabella Nardoni... Isabella quem, quando foi mesmo...?

Nenhum comentário: