quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A mãe de todas as guerras...

Se a vaidade é mãe de todos os vícios, podemos dizer que a economia é a mãe de todas as guerras...

Mesmo que inflados por motivos étnicos-religiosos, que fornecem um "upgrade" de selvageria nessas contendas armadas, as guerras sempre guardam em seu âmago interesses econômicos, que variam da posse de água( Israel e Palestina), petróleo (Iraque) e outros recursos naturais...

Esse é o caso do conflito Congo x Ruanda, que já atingiu a marca de 5.4 milhões de mortos, o maior genocídio depois do Holocausto...

Muito embora, nós tenhamos aprendido que se trata de um conflito entre etnias rivais tutsis e hutus, que se desenrola na fronteira desses dois países, em em ciclo de genocídio-retaliação-genocídio, a verdade que reside nessa sangüinária competição é o dinheiro...

O Congo é o país mundial com maiores reservas de ouro, diamante, cassiterita, dentre outros...

Um ótimo artigo no jornal inglês The Independent traz à luz uma dicotomia que não aparece nos editoriais patrocinados pelos senhores da guerra: a história oficial e a história verdadeira...

O articulista Johann Hari escreve do local do conflito, e a partir do drama individual de mulheres estuptradas por milícias armadas, perambulam pelas estradas com seus filhos famintos e seus poucos pertences...Elas não pertencem a lugar algum...

O título do texto é claro: How we fuel Africa's bloodiest war...(Como alimentamos a guerra mais sangrenta da África)...

O autor relata como a rede de interesses das empresas transnacionais britânicas e do resto do mundo manipulam esse "jogo" sangrento para auferir mais lucros e acesso fácil a reservas naturais de recursos vitais para suas cadeias produtivas...

Uma "nova" fase de dominação "colonial"...Com uma sensível diferença: antes o domínio era explícito, e implicava em alguma relação institucional metrópole x colônia, agora basta armar uns contra os outros e assistir de longe a carnificina, para depois então comprar barato os despojos da guerra...Os milhões de mortos, famintos, seviciados...? Efeito colateral, ou o custo do progresso...

Um comentário:

Marcos Valério disse...

É a velha tática de desmonte dos poderosos: Alimenta a guerra e depois vai de santinho para ajudar, aí entra lá e toma todas as riquezas.....