quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Para Antonio.

Para Stalingrado sitiada,
Drumond escreveu sua homenagem.
Para Guernica massacrada,
As tintas de Picasso fizeram do horror, imagem.

O que dizer a,
Antonio,
Roberto,
Fernandes,
Poeta...?

Nada.

Não haverá desfecho trágico,
Que eternize em palavras,
A luta do bardo fidelense.

É melhor celebrar a esperança cafona,
Mas a vitória de Antonio sobre a fatalidade.
Versos mal feitos, e tacanhos.
Sem métrica,
Estética,
Estrutura,
Ou rima.
Para que ele possoa rir deles depois. 

Nenhum comentário: