quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Pensamentos vigorosos...

A edição eletrônica do jornal espanhol El País traz hoje uma matéria fundamental, com um importante pensador búlgaro, radicado em Paris...

Tzvetan Todorov, diretor honorário do Centro Nacional para Investigação Científica Francesa, o lingüista, semiólogo, historiador e filófoso propõe um debate interessante e instigante sobre o "choque" entre civilizações judaico-cristãs e muçulmanas...

Para o pensador, os conflitos reais são de ordem política e econômica, mascarados e cristalizados sob o manto da disputa religiosa e cultural...

O texto trata ainda de dois perigos, na opinião de Todorov, quando se fala em memória, que são: a sacralização da memória, que torna os exemplos passados inservíveis para lições no presente, e a banalização da memória, que transforma o presente em repetição paranóica do passado...
Para sacralizadores da memória, Hitler é um monstro irrepetível e inexplicável...Para os banalizadores da memória, Hitler está em cada esquina e se personifica em Saddam Hussein ou Milosevic...

Resume assim Tzvetan Todorov sua compreensão de mundo e seus conflitos:

"El miedo a los bárbaros es lo que amenaza con convertirnos en bárbaros."
(O medo aos bárbaros é o que nos ameaça em nos convertermos em bárbaros)


2 comentários:

Anônimo disse...

Certamente ele não leu Aviso de Incêndio, do Michel Lowy.
Análise econômica serve até pra eleger Lula e Zé (carioca) Dirceu e pra enganar meia dúzia de bobinho que tem vontade de morar em Cuba mas não tem coragem ...

Xacal disse...

Como..?

Esse foi o comentário mas estúpido, e deslocado que li, recentemente...

O que o texto, e a questão do enfrentamento entre EEUU e o mundo islâmico, e os conflitos políticos econômicos mascarados por um "choque cultural" falso tem haver com Lula, Zé Dirceu ou Cuba...

Que viagem, hein...?