terça-feira, 14 de outubro de 2008

Retratos e retratações...

O episódio envolvendo setores da juventude do pc do b, a sua candidata morreu odete, e a campanha dos pecadeiros capitais da lapa retrata bem a situação da cidade de Campos dos G., em função da disputa fraticida entre os telhadeiros de vidro e seus mentores, o clã da lapa...

A intensa polarização entre grupos que utilizam os mesmos métodos de manipulação e distorção dos fatos, e domesticação dos veículos de comunicação para a defesa de seus interesses, destrói a credibilidade das instituições envolvidas nesse processo...A imprensa, a justiça, partidos, etc, todos foram levados de roldão pelo mar de lama que transformou nossa planície em pântano...

Por último, temos agora a disputa entre correligionários do pc do b, que ameça desintegrar a frágil estrtura dos comunistas, que se mantinha em grande parte pelo cumprimento disciplinado das decisões das instâncias superiores do partido...

À margem do embate, que deve ser resolvido no âmbito do pc do, fica uma dúvida: como pode uma entidade ou pessoas que se dizem representativas da juventude, cerrarem fileiras ao lado de uma candidatura que destruiu a Educação pública quando (des)governou o Estado...?
Dentre outras coisas, destruiu e desmobilizou a UERJ, achatou o salário dos professores, diminuiu a carga horária das disciplinas, impossibilitando assim que alunos de escolas públicas possam ter uma formação digna, e por fim, quando esteve na UENF, mandou seus jagunços descerem o "cacete" nos alunos da Universidade, como fez com os professores em frente ao Palácio das Laranjeiras...

Tudo bem, a democracia é isso...

Mas pelo jeito ficarão muitas arestas a serem aparadas após decisões tão afobadas...

A ujs parece fiel ao ideário que o pc do b defendia até bem pouco tempo, quando idolatrava stálin e o ditador da albânia, que me esqueci o nome agora...Democracia só para atender aos "nossos interesses"...! é a união da juventude stalinista...!

Um comentário:

George Gomes Coutinho disse...

Pois sim.. E lá vamos nós no aprofundamento sem precedentes desta crise de legitimação. Certamente até 26 de outubro veremos coisas ainda mais bizarras nas negociatas enre 15 e 12.