segunda-feira, 27 de outubro de 2008

TrOlHadINhas...

Vocês sabem, trOlHadinHas são perguntas incômodas, mas necessárias, como exame de próstata...

Vamos as perguntas da semana:

O que vocês preferem...?Um blog que fala mal de "todo mundo", ou um blog que vive a falar bem de si mesmo...?

Será que a bacharel de direito já recebeu proposta para algum ensaio fotográfico erótico...?Será que vai rolar uma "comissão" para seu dublê de "dotô adivogado" e "assessor de imprensa"...?

Onde será que ferrugem, o assessor predileto dos garotinho vai pousar nesse "novo tempo"...?

Onde anda a imelda marcos do pântano goitacá, a ex-última dama de arnaldo popozão melancia vianna...?


5 comentários:

Manoel Caetano disse...

Xacal

Apesar das nossas divergências frequentes, admiro sua coerência. Por exemplo, não vejo equivoco na sua opção pelo voto nulo pela simples razão de ser tal opção inevitável para alguém que não distinguia os candidatos em absolutamente nada.

Eu e boa parte da população pensou diferente e apostou na Rosinha como uma alternativa melhor ou menos pior (isto não importa).

Agora a sorte está lançada e só nos resta esperar para ver no que vai dar...

Acredito que, pelo menos desta vez, ambos torceremos para que vc estivesse errado.

Um democrático abraço

Xacal disse...

Com certeza...

Em tempo: 75 mil votos, entre nulos, brancos e abstenções...

Um dado que merece uma análise...um sintoma daquilo que nós(redação e leitores) aqui do blog diagnosticamos há muito tempo...

Isso sinaliza para rosinha napô que a margem de manobra que ela tem é muito pouca...tem que acertar, senão vai soterrar a sua carreira e a do marido...

Anônimo disse...

Agressividade...



Para uns a defesa, para outros o descontrole, para outros falta de terapia...Seja lá qual for a desculpa, a agressividade é na verdade uma tendência completamente destrutiva. Lembre-se que a agressividade é vista hoje em dia como um ato violento, mas não é, ela se expressa como forma de ataque verbal e este atinge mais que a violência em si.
A Agressividade é um fenômeno comum no nosso cotidiano, a pessoa agressiva é aquela que reage a todo acontecimento como se fosse uma prova, contenda ou disputa na sua concepção mental.
O que reina em uma pessoa agressiva é a competição, isso vindo desde pequeno, onde a pessoa se esforça ao máximo para não ter que vivenciar a exclusão. A critica sempre é devastadora para pessoas agressivas. Muitas vezes também o agressivo é considerado, erroneamente, como o autentico de um grupo, mas na verdade o que o agressivo tem é uma precipitação de reações aos sentimentos.

Em uma sociedade totalmente competitiva como a nossa, toda e qualquer resposta caminha para à agressão, por conta da leitura de que alguém está invadindo seu espaço. A conseqüência, do suposto “ataque” é, não apenas enfrentar suas conseqüências ou efeitos, mas também saber lidar com a culpa resultante do processo.

Como e quais seriam os aspectos positivos da agressividade?
1 – Serve para uma reflexão profunda, te levando assim a pensar em que tipo de reação será necessária.
2 – Expor os reais aborrecimentos ou sentimentos alimentados, perante a pessoa ou grupo.

Com isso o problema agora será a dosagem de agressividade a ser usada. Nisso entramos na tal autenticidade, ela não implica necessariamente em rigidez, voz elevada ou extrema ansiedade.
Numa situação desta a pessoa sempre perde o controle. Mas o que o leva a chegar ao total descontrole e ao ataque agressivo? O conhecido “complexo de inferioridade”, fazendo assim com que a pessoa defina sentimentos e pensamentos depreciativos para si mesma, tem a certeza de que não é uma pessoa com poder de carisma em um grupo...
Quem sofre do complexo de inferioridade convive desde sua infância com uma certeza mórbida de que sempre é a última a ser lembrada ou requisitada para algo especial. A conseqüência disso leva a pessoa ao desenvolvimento de uma personalidade tímida e retraída, e numa situação social não sente nenhuma potência humana vinda de si, gerando ai a raiva, ódio... Irmãs da Agressividade.
Para esta pessoa, é como se na presença de outras pessoas se sentisse completamente anulada, e ai o ódio e raiva citados acima, conseqüentemente vão sendo expelidos em forma de agressividade.
A agressividade remonta a dificuldade de se lidar com o sentido mais profundo da vida, fazendo assim com que a posse e o apego, por exemplo, sejam forças direcionadas para um prazer metafísico de acúmulo ou continuidade do ego, o que contraria a essência de nossa vida.

A agressividade se alia constantemente com a inveja. A inveja cria uma constante necessidade de fuga da situação dolorosa de se comparar e se sentir inferiorizado, fazendo assim com que a pessoa parta para o ataque. A agressividade é conseqüência de uma política interna criada pelo ser humano, dirigida a esconder todos os sentimentos ou emoções negativas do tipo: cobiça, ódio, avareza e a inveja citada. A agressão então se transforma na resposta fisiológica do silêncio imposto pela sociedade. Torna-se ainda um tipo de distração e fuga do tédio e rotina que assolam a pessoa. Jamais haverá cura para a agressão individual se não lidarmos com todos os mecanismos que geram a hipocrisia nas relações. E principalmente se o ser humano, não buscar urgentemente uma forma “sua” de se conhecer e se aceitar, pelo o que é e pelo que foi criado. Ainda falaremos mais sobre esse estranho comportamento Humano!!!

Xacal disse...

O nosso blogotário da auto-ajuda resolveu dar uma de psicólogo, depois de falhar como "dotô adivogado" e "assessor de imprensa"...

Ora, ora...

Vamos dar motivos ao replicante-andróide: Vá tomar no seu c....

Xacal disse...

Em tempo:

faltou mencionar que o "william bonner do pântano" também falhou em conseguir um emprego via concurso público...