terça-feira, 25 de novembro de 2008

Cinismo, burrice...ou ambos...?

Até agora nenhum prócer da ex-transição (atual transação) disse uma palavra sequer sobre "a cagada" que fizeram com o concurso do psf...

O único que cumpriu o papel de "bucha" foi o blog de coleira do ave-lynus...Desesperado para embarcar no governo, ave-lynus foi para "linha de frente"...

Uma pena que não seja capaz de construir uma argumento sólido...Até porque seria impossível, diante da forma como foi urdida a trama contra os concursados...

Leia o trecho que destacamos:

"(...)O problema causado pelo juiz foi o de sentenciar horas antes do concurso. Mas os inscritos preferem não criticar o magistrado, pois este não precisa de povo, de votos, de eleição. Por isso, cometem a injustiça de criticar com veemência o vereador e a prefeita eleita.(...)"

O que o ilustre quase futuro gestor não diz, por cinismo, ignorância ou ambos, é que a forma como foi encaminhada é que fez com que a ação (im)popular do edson batista fosse apreciada por um juiz plantonista...Ou seja, os causídicos da lapa impetraram seu pedido de liminar aos 47 minutos do segundo tempo, para causar o efeito que desejavam: cancelamento das provas, sem chance de contraditório...

Lamentável...

8 comentários:

tas disse...

A Ação Popular foi proposta no dia 19, sendo que a prova seria realizada no dia 23!

O Vereador Edson Batista, desde outubro, ingressou com petição, junto ao MPE,denunciando as irregularidades no concurso. Portanto, não se pode dizer que a Ação Popular foi ao final do 2º tempo.

A atitude do Vereador, de ingressar com a Ação, ocorreu em face da inércia do MPE, que, mesmo sabendo que o concurso se encontrava eivado de irregularidades, no processo licitatório, com a falta de assinatura na ata de julgamento de propostas, com a falta de previsão orçamentária, com a contratação irregular no período eleitoral, que termina só com a posse da Prefeita eleita, nada fez!

Todos possuem o direito de criticar a sua atitude, entretano, é uma grande injustiça atribuir a Edson Batista a crítica de ter, na calada da noite, ingressado com a Ação, pois, o Vereador vem buscando a anulação, com a Denúncia ao Ministério Público, a muito tempo!

Além disso, as irregularidades constatadas, como descrito acima, eram tantas que o Juiz de Plantão, vislumbrando o DANO que a realização poderia gerar ao Município preferiu cancelar a realização da prova, até que seja julgado o mérito da Ação Popular.

Um Juiz, para deferirir um pedido de liminar, deve se basear no periculum in mora e no fumu boni iuris, ou seja, o perigo que o ato impugnado, se concretizado, pode gerar e a comprovação efetiva da situação, presunção da legalidade e a presença do Direito.

Por isso, e nada mais, a prova foi cancelada, entretanto, como tudo na cidade de Campos, é necessário que o fato seja explorado ao máximo na tentativa de politizar e atribuir a culpa a alguém!

O fato é que o concurso público é necessário, porém, desde que o certame licitatório até a realizãção da prova, os princípios Constitucionais devem ser respeitados, assim, com todas essas irregularidades que se pode constatar, quem garante a isenção desse tal Instituto?

O que se deve perguntar é: Se a contratação é viciada, se uma empresa é favorecida, se a Lei e os Princípios são desobedecidos, qual a imparcialidade do IPDEP para realizar essa prova?

Para se fazer uma grande manobra jurídica/administrativa como essa, para garantir que o tal Instituto seja o realizador das provas, BOA INTENÇÃO, COM CERTEZA, NÃO HÁ!

Essas são algumas questões para reflexão!

Pouco me importa se estejam certas ou erradas, o certo é que é a minha opinião!

Xacal disse...

Vamos por parte, como diz chico picadinho:

O concurso está previsto, e com o referido instituto licitado há cerca de um mês...

A ação (im)popular foi proposta no dia 19, de acordo com o leitor: véspera de feriado (dia 20) e portanto à portas do plantão...

O vereador nada discutiu com seus pares na câmara, nem durante a propositura e aprovação da lei, nem durante o processo licitatório...

não consta nenhum expediente do vereador a mesa diretora para que provocasse o MPE, que agora é acusado de inércia...

quanto a sentença e seu teor já esgotamos as discussões, inclusive com a "torcida" do magistrado (leia post peixe morre pela boca)...

respeitamos sua opinião, mas seus argumentos não construíram nenhuma tese que diferisse do que colocamos...

19 véspera de feriado e do plantão é sim 47 do segundo tempo...

vereador que silencia quando pode falar para atacar o concurso na calada é sim manobra política, a despeito do acerto ou não das suas suspeitas sobre o ipdep...

Anônimo disse...

Caro Xacal,
Deixe-me esclarecer algumas questões:
Primeiramente este instituto questionado não participou de licitação. Creio eu que isso já é uma irregularidade, mais vamos mais adiante, quanto as denúncias não foram somente do vereador , pessoas que se sentiram tb prejudicadas por esta máfia da secretaria de saúde, tb denunciaram, se quiser pode averiguar junto ao MPE.
Um outro grave "erro" vamos chamar assim, é de que foi dado ao MPE, uma "Ata de julgamento", sendo que a mesma não encontra-se assinada pela atual sub-secretária de saúde, ora se a reunião como foi dito na ata foi realizada na data tal, com as "empresas presentes" e todas as pessoas concordaram com tudo e foi então decidido ser feito por esta então instituição, onde se encontrava a sub-secretária que não assinou um documento tão importante, daí já podemos visualizar uma tremenda má fé na escolha, dentre outras irregularidades que se quiser saber de todas , basta procurar o MPE e ler todo inquérito, daí sim vamos colocar os pontos nos lugares certo.
Vale ressaltar que não sou política e nem muito menos do lado a ou b, e sim do lado da justiça.
Grata.

Turcão disse...

Caro Xacal:

Essa gente já mostrou a sua cara.

Apesar da cara-de-pau do casal Garotinho, do histrionismo messiânico e acusatório para tangenciar a verdade, as escaramuças na calada da noite vêm de antes mesmo da campanha começar.

É público e notório o modus operandi da gangue da lapa no episódio da cooptação do então candidato Mr Bean para o papel espúrio de escada para a madame.

É notória a tática do coronelzinho de colocar seus asseclas subservientes na linha de frente das manobras escusas que lhe interessam e depois posar de vítima.

A diferença da gangue vencida para a vencedora é que os amadores darão o lugar aos profissionais, aos professores.

Eu estou ansioso para ver as lágrimas de crocodilo em breve derramadas por muita gente que fez campanha para a "mudança".

Apertem os cintos, aí vem o arrastão!

Anônimo disse...

Xacal, sou um dos que contribuem para que o seu espaço virtual seja um dos mais visitados da nossa Campos. Tenho observado que as suas análises são dissecatórias e expõem as vísceras dos problemas de modo que só não enxerga quem é frontalmente contra, bloqueando qualquer possibilidade de debate. E é nessa linha de raciocício que vou pedir que você faça uma análise de um assunto que eu ainda não o vi abordar, que é a
Privatização da BR-10l (cobrança antecipada do pedágio). Indagando a um outro leitor seu, ele fez a seguinte observação: não adianta, ele é PT e não vai entrar nessa.

Amaro disse...

Xacal

Estás coberto de razão, nada justifica a anulação de um concurso, amplamente divulgado, em um sábado à noite. A intenção do "pau mandado" do Coronel Bolinha e sua mulher Rosinha de espinhos foi bem clara, ou seja, suspender as provas, sem dar condições para que houvesse tempo para qualquer movimento em contrário visando suspender a medida judicial, alcançada junto a um juiz de plantão. Torna-se importante, também, salientar a atuação do juiz plantonista no caso, que foi no mínimo precipitada, para não se levantar outras suspeitas não muito dignas.

Algumas perguntas ficam no ar. Se o "concurso se encontrava eivado de irregularidades", como afirma o comentarista das 11.48 hs, porque não entraram na justiça quando o concurso foi lançado ou durante o prazo de inscrição? Porque não se valeram da imprensa e do blog do grande estadista da Lapa, para denunciar mais um desmando do prefeito, como ele já fez varias vezes? Porque esperaram para entrar na justiça em um sábado a noite, a menos de 15 horas do inicio das provas? Qual seriam os danos irremediáveis que seriam causados, caso a prova fosse realizada, já que os aprovados não tomam posse imediatamente após a divulgação dos resultados?
Na verdade essa manobra realizada pelo teleguiado e "pau mando" do Coronel Bolinha e de sua mulher Rosinha cheio de espinhos, mostra claramente qual é a intenção da prefeita.

A prefeita e o seu marido e guru (não necessariamente nessa ordem), não tem e nunca tiveram a intenção de realizar concurso público para substituir os terceirizados da prefeitura, fato este, que pode ser facilmente constatado na leitura dos jornais da cidade. Eles sempre utilizam como justificativa, para falta de vontade política com relação aos concursos, o argumento de o município não teria receita para a contratação de pessoal, através de concurso público. Isso é uma grande falácia, porque se o medo é este basta realizar o concurso para as áreas realmente carentes de pessoal e fazer com que os demais funcionários criem o hábito salutar de comparecer ao local de trabalho e cumprir a sua jornada. Ainda é importante salientar, que funcionários contratados pelo regime de CLT, mesmo concursados, não tem direito a estabilidade, portanto, a prefeitura em caso de diminuição da receita poderá demiti-los. Além de poder lançar mão, ainda, de contratos temporários, de acordo com o estabelecido pela lei. Portanto, nada justifica a não realização de concurso público. Porém eles preferem manter, um exército cativo de cabos eleitorais, com vinculo empregatício precário, que são facilmente pressionáveis, devido ao medo de demissão, aliás, é bom que se diga, prática bastante utilizada por Arnaldo e posteriormente por Mocaiber.

Xacal disse...

Anônimo das 13:37,

Não conheço os detalhes da concessão do pedágio, nem o contrato, mas vamos lá, vou dar meu palpite:

Em todos os contratos de concessão feitos até agora, tanto em rodovias federais quanto estaduais, há um período de "carência", onde a concessionária cobra o preço público e capitaliza para então fazer as obras acertadas no contrato...

Isso é lugar comum nas privatizações do psdb, em SP, no Rio, governo garotinho (RJ116, Carmo/Itaboraí), etc, etc...

Isso não elide que algumas providências emergenciais sejam adotadas, e que alguns serviços sejam colocados a disposição, como: resgate, socorro mecânico, etc...

O prazo das obras definitivas, como duplicação, etc, depende da tarifa cobrada, e não há milagre: quanto mais barato, mais prazo...

Na verdade, por uma questão de conceito sou a favor dos pedágios, mas essa é minha opinião...e já expressei ela aqui...você pode discordar...

Penso que não há sentido no Estado gastar zilhões de reais para manter um modelo centrado em uso do automóvel e transporte rodoviário...que mata mais de 25.000 pessoas por ano...

O modelo atual custa muito ao sistema de saúde, de segurança e outros dispositivos estatais, como previdência social, com as incapacitações e pensões...lembremos que a maioria dos cidadãos não possui carro...e todos pagam por isso...

Lembremos também que transportadoras utilizam estradas sem qualquer ônus e são as maiores responsáveis pela deterioração do piso de rolagem (com excesso de carga) e que a maioria dos acidentes com caminhões(quase sempre fatais) há o fator da exigência draconiana dos prazos de entrega, que levam a categoria dos motoristas de caminhão a se "dopar" para driblar o sono...

Quem quer conforto e segurança que pague por ele...

Ao mesmo tempo o Estado tem que oferecer alternativas de transporte coletivo para diminuir o uso privado do carro...

Nesse ponto, acho que os governos falham, e muito, inclusive o governo Lula...

Anônimo disse...

Senhores...
O concurso foi cancelado pela justiça, fazendo justiça a nós, contribuintes, Campistas que não vemos a reversão deste fabuloso orçamento em razão de uma máquina inchada, ineficiente e corrupta.
Gente, sejamos sinceros e esqueçamos as ideologias e paixões partidárias: pode haver 35.000 almas trabalhando numa Prefeitura como a de Campos?--Representa metade dos funcionários, por exemplo, do Banco do Brasil em todo o País.É um absurdo que tem que ser mudado agora ou nunca!!!