terça-feira, 25 de novembro de 2008

Daniel Dantas, o Rasputin de Brasília...

Na última dinastia monárquica russa, a dos Romanov, havia, como em todos os regimes, uma eminência parda...

Esse personagens, detentores de enorme determinação, e capacidade de aprisionar e manipular interesses e informações caríssimas ao establishment, funcionam como uma instância "informal" de poder, que na maioria das vezes, personificam o poder real...

Rasputin adicionava a seus "atributos", ingredientes "espirituais" e de superstição, que aumentava sua ascendência sobre os monarcas russos...Não faltam versões sobre questões sexuais, que apimentam os relatos de sua relação com a nobreza daquele país...

Nossa República tem o seu Rasputin...Chama-se Daniel Dantas...Em nosso caso, o "mago orelhudo" superou o "mestre", e conseguiu sobreviver a transição de poder, típica de regimes democráticos...O que só realça o entranhamento de seus interesses com o Estado brasileiro...

A privatização do setor de telefonia brasileiro, levado à cabo no mandarinato de FFHHCC, é um dos episódios mais obscuros de nossa história recente, e ainda não esgotou seus efeitos sobre instituições e personagens da nossa jovem e frágil democracia...

"No limite da irresponsabilidade" é a fala lapidar do então presidente, flagrado em conversa com auxiliares próximos, responsáveis por viabilizar e montar a nova realidade privada da telefonia, que como sabemos hoje, é o mais rico filão que nossa país dispunha...

Ciente dessa realidade, Daniel Dantas aproveitou sua expertise, sua audácia e por que não, sua competência para espalhar seus "braços" na coluna dorsal da economia nacional, que em tempos de auge do neoliberalismo, estava lastreado por operações no mercado financeiro: sempre a margem da regulação e fiscalização, com alto nível de risco, mas recompensadas por generosas remunerações...

Não cabe detalhar aqui todos os meandros que levaram Daniel Dantas a montar um esquema de financiamento  e lobby político, respaldado com associações a empresas e fundos estrangeiros, como Citigroup, Telecom Itália, etc, etc...

É público e notório os capítulos de espionagem empresarial e política e cooptação da mídia, como ferramentas importantes de coação e "vantagem competitiva"...

Quando os ventos eleitorais catapultaram o torneiro-mecânico ao Planalto, Dantas soube preservar seus interesses junto a nova "côrte"...
Uniu-se a nomes de peso, como Zé Dirceu, e escolheu o eixo do poder que tinha que desmontar...Alimentou o ex-todo-poderoso, e lhe deu munição para executar reputações dos adversários e desafetos...

Não contava que o "jogo de poder" lhe cobrasse o preço...E, como todo homem/mulher que detém muito poder, incorreu no erro de se achar maior do que era, e subestimou a capacidade dos adversários...

Mas por instinto, manteve como última carta, a derradeira, as informações que "amarram" os bastidores da República, como uma espécie de seguro...
O resultado dessa trama: a crise da PF, o desarranjo verbal de gilmar mendes, a caça ao delegado Protógenes e ao Juiz De Sanctis, o desmonte da Abin, etc, etc...O mensalão tão explorado é "fichinha"...

Como epílogo temos mais um ato encenado com perfeição: A fusão da Brasil Telecom com a OI (a BrOI), com a mudança da lei para "encaixar" essa megaconcentração oligopolista, até então vedada por nosso ordenamento, tem um grande beneficiário, além de Sérgio Andrade (o Andrade da Andrade & Gutierrez) e Carlos Jereissati, respectivamente, controladores das duas empresas: ganha um doce quem adivinhar quem embolsará milhões de reais nessa superfusão...Aliás que se diga, com dinheiro público, do BNDES, que financiará uma das "maiores empresas de telefonia do planeta"...

Perguntamos: o que será que tem no HD do computador do DD...?O código redondo, o terceiro segredo de Fátima...ou o breviário de decomposição do governo Lula..?
Por que a grande imprensa, e setores importantes da oposição temem tocar a fundo no assunto...?
Quem tem medo de Daniel "Rasputin" Dantas...?



Em tempo 1: a OI é sócia do primeiro-filho da república petista...
Em tempo 2: esse post é dedicado aos milicianos da lapa e aos telhadeiros de vidro, aos blogs de coleira, que confundem apoio político e militância partidária com submissão e obediência cega...  

4 comentários:

FÁBIO SIQUEIRA disse...

Ave Xacal!

Jean disse...

Xacal, se não me engano, o autor da frase "estou no limite da irresponsabilidade" é Luiz Carlos Mendonça de Barros, então Ministro das Comunicações.

Xacal disse...

Tem razão Jean, eles conversavam sobre Sérgio Rosa, então presidente do Previ(fundo de pensão dos funcionários do BB) que foi quem "viabilizou" a transação...

Anônimo disse...

Oi honney!!

Passei só pra contar pra vc o presente que o Dantas pediu a Papai Noel!!!!!!!! Imagina...UM JUIZ! Sabe o q papai noel respondeu?
OUTRO????