quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Fantástica fábrica de consumidores....

"A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte(...)"
Comida-Titãs...

Tudo bem, a TroLha não ignorará a importância de um investimento do porte do Wal-Mart...Ainda mais, pelo que se saiba, é um empreendimento que se destaca por não "mamar" nas tetas do fundecam...

Outro ponto que se deve destacar é o incremento da concorrência, que deverá se adequar a forma agressiva da rede estadunidense...A operação Wal-Mart necessita de grandes vendas, pois sua margem é reduzida, bem como há uma otimização de recursos humanos e materiais...Suas vendas têm que ser em escala gigantesca...
Em alguns países, há denúncias de abusos na relação com os funcionários, por isso é bom ficar de olho...

Mesmo que reconheçamos a importância da inauguração, não há como deixar de comentar a cena que presenciamos em frente ao hipermercado...Automóveis estacionados em uma raio de até 1km, pessoas se deslocando a pé, em romaria ao templo do consumo, policiamento, etc...

É engraçado ver como a classe média se movimenta, e como expressa suas preferências culturais...

Enquanto os teatros vivem à míngua, encerram-se as atividades de nossa orquestra municipal, contamos com uma única mísera e paupérrima biblioteca, e nosso grande sucesso de público é um supermercado...

O cenário ao redor da nova loja se enquadraria à perfeição em uma obra do Andy Wahrol...

É o cabrunco da planície saboreando sua entrada no "primeiro mundo do consumo"...

Enfim alcançamos o desenvolvimento: temos mcdonald's, bob's e agora wal-mart...

"Olha lá, vai passando a procissão, se arrastando que nem cobra pelo chão/e as pessoas que nela vão passando, acreditam nas coisas lá céu/(...)eles vivem sofrendo aqui na terra/esperando o que jesus prometeu(...)"
Procissão-Gilberto Gil.

11 comentários:

Jules Rimet disse...

E não se esqueça que,brevemente, teremos o habib's.
Alá akbar.

Bruno Lindolfo disse...

Eu pensei em escrever alguma coisa sobre essa nova atração, que fez com que pessoas estacionassem seus carros até sobre a grama do contorno...

Mas está aí...

De fato, algo entre o curioso e o bizarro.

Flávia disse...

E ainda falam em crise por causa dos terceirizados...não foi esse o reflexo esperado com as demissões!!!

Anônimo disse...

Não presenciei o fato, mas imagino. Lembrei-me de outra cena que me deixou abismado: paulistanos fazendo fila na inauguração de uma loja da "Starbucks".

Anônimo disse...

Supermercados e shoppings são os templos da religião do $$.E quem se ajoelha,tem que rezar!

carlos disse...

Não estariam as pessoas indo ao wall Mart fazer suas compras como iriam a outro supermercado, sendo que agora com preços menos escorchantes? Acho que o "supermercado com preço de atacado" terá que, obrigatoriamente, baixar suas imorais margens de lucro.
Como faz bem a concorrência...

DouG disse...

Concordo que é algo entre o curioso e o bizarro, mas infelizmente a mudança está na base, na divulgação, no incentivo e enquanto a base não mudar, continuará a mesma coisa. E como já falaram sobre o exemplo de São Paulo, esse fenômeno não é exclusivo de nossa planície.

Papai disse...

Concordo com tudo que vc disse, mas, para fazer a antítese, vou fazer uma pergunta:
Vc não gostaria de comprar leite a 1,08 e uma TV LCD de 42" por 1.400,00 reais não?

Xacal disse...

Caros Carlos e Papai,

Não duvido que boa parte das pessoas tenham se dirigido ao hipermercado por decisões econômicas...

Mas o comportamento de certa parte da mídia, e de alguns consumidores nos leva a crer que há um componente "ideológico" na opção, celebrando esse novo "templo" do consumo como uma "grande novidade" que merecia a peregrinação...

Cerca de 70 mil (projeções da mídia e gerentes do local) se estapeando por "leite e lcds" não deixa de ser um espetáculo estranho...

gelson sardinha disse...

Isso é coisa de campista mesmo..
eu como todos os dias passo por este caminho para o trabalho e vejo até vans de excursão, pessoas em romaria com suas sacolas de plástico e muita, mais muita gente se dirigindo ao local, parecia até festa na usina e nem assim tanto movimento.
preço mais em conta, novidade para quem não tem aonde ir, mídia em cima, tudo isso é um incentivo para passear e conhecer o novo.
tomara que isso faça os preços dos produtos de outro supermercados baixar pq tah sinistro mesmo é td supervalorizado aki e o lucor cada vezs mais nas alturas ...

DouG disse...

Gelson, não creio que seja algo exclusivo dos campistas., mas retornando a questão do incentivo a cultura. Um exemplo prático é o projeto que ocorria no Teatro de Bolso, confesso que não sei se ocorre mais, onde a cada primeiro domingo do mês, caso não me engano, havia apresentação de uma peça de grupos de teatros locais, com entrada gratuita, no qual freqüentei durante algum tempo. Meus ex-colegas de turma nem sabiam desse projeto, isso porque estudávamos no CEFET, que sem querer desmerecer ninguém, mas no geral são alunos que possuem um melhor senso crítico e um melhor acesso a cultura, mas fica difícil saber sobre algo em que não praticamente não há divulgação.