terça-feira, 18 de novembro de 2008

A mão invisível do mercado...

Esse era um dos mitos ou dogmas, repetidos com disciplina de monges budistas...O mercado, esse ente etéreo e impessoal, acima de Estados e políticas se auto-regula e é capaz de dirimir por si as suas crises...

Bom essa balela já ficou no passado...

O Citigroup (Citibank) anunciou a degola de 50.000 postos de trabalho...Ótimo presente de natal, não acham...?
Esse número se refere a empregados em todo mundo, que no início de ano somavam 375.000...

De acordo com as previsões, esses 50.000 se juntam a outros 25.000 já anunciados...A intenção é cortar os custos em 20% das operações mundiais do grupo...

É a "mão invisível do mercado" segurando firme o "machado da realidade"...

Pensando bem...alguns yuppies e fanáticos, esses "tipos" presentes em todos os restaurantes que cobram comida a peso de ouro, merecem cada segundo de sofrimento na fila da "sopa"...

"Vomitaram regras, condenaram ao ostracismo e a chacota pública todos que ousassem discordar de suas "bulas fundamentalistas" do mercado financeiro, e durante um longo tempo, mantinham como passatempo analisar e rotular países como "fiéis" ou "infiéis"...

Petrossauro, paquidérmico, anacrônicos, etc, etc...Eram esses os "adjetivos" que pululavam pela mídia entorpecida pela eloqüência das pitonisas da "roda da fortuna"


Fonte: El País.

3 comentários:

Anônimo disse...

É isso, aí, Xacal. Apesar dos leitores raivosos, você continua excelentemente o mesmo e ótimo. É como se diz aqui na baixada da égua: a cada enxadada 10 minhocas.

Seu correspondente Djahojinho.

Xacal disse...

meu correspondente predileto, andavas sumido...

bem vindo de volta a suas prerrogativas baixadianas...

Anônimo disse...

É que eu estava ajudar a um conterrâneo a fazer um limpa em um canavial aqui na baixada. Ele acreditou que com a vinda do Cabral a Campos e a celebração de um tal TAC do meio ambiente a queima de canaviais na região será proibida. Nas horas de folga, voltarei a corresponder.

Djahojinho