sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O crime compensa...desde que seja grande...!

De todas as imbecilidades e manipulações que os caolhos da cidade são capazes de pronunciar, pra justificarem o injustificável: a existência de 15 mil contratados, em uma administração onde os estautários somam 12 mil, dentre outras coisas, chamou nossa atenção uma fala do líder espiritual, ex-alien e parapsicológo, john quevedo exu mahatma olivácio:

A estranha teoria do "prejuízo social"...De acordo com o "iluminado" radialista, em uma conversa com um "usineiro" devedor de contribuições sociais e toda sorte de impostos, esse lhe revelou que não temia o "fechamento" de sua empresa, pois, na medida que empregava um contingente grande de pessoas, o encerramento das atividades causaria um enorme impacto pelos empregos perdidos...O "empresário" contava com essa "chantagem" para continuar dilapidar os cofres públicos e direitos trabalhistas...

Está aqui a pérola, o resumo do pensamento caolhiano, e por que não dizer, de boa parte de nossa sociedade, e dos nossos gestores...

Se é para descumprir a lei, sonegar impostos, ou para "abarrotar" a máquina pública com apadrinhados, que se faça em larga escala, pois depois as conseqüências dos seus atos são tão graves que envolvem a todos em uma "chantagem colossal"...
É o argumento "batido" das famílias desamparadas, do movimento do comércio, do natal, etc, etc...

Esse foi o raciocínio que agora se revela, nítido, ao vivo...

Não custa lembrar que há 20 anos o problema dos "servidores piratas" se arrasta na cidade, e cada vez que um novo governo fala em resolver o problema, crescem as listas de contratados...
Em 2004, um prefeito foi cassado por suposto benefício eleitoral advindo dessas contratações...E desde então, nada foi feito...

Hoje, para nosso espanto, surge dentre os integrantes da equipe de transição e até entre blogueiros, a defesa de que é preciso "ter calma", isso e aquilo....

Vai começar tudo de novo...!

Êta cidade merda...!

6 comentários:

Bruno Lindolfo disse...

Tem também a parte em que se tenta, sofrivelmente, comparar o caso de Campos com a terceirização da Petrobrás. Ou ainda com os faxineiros terceirizados do Palácio do Planalto.

Tudo isso entrecortado pelos gritinhos histéricos de Roberto Barbosa sempre que ele pensa estar comentando algo absurdo em tom sarcástico, quando absurdo é tudo aquilo que ele fala:

"Viva Campos, a república da exceção”.

Ele não sente vergonha de fazer esse papel?

Ainda bem que esse circo perdeu espaço e fica restrito a meia dúzia de ouvinte da Continental.

Xacal disse...

Eu até já cansei de comentar os despautérios, mas de vez em quando eles apresentam algo "novo", como a "teoria do prejuízo social"...

Anônimo disse...

Com a palavra o PAI (Arnaldo Viana) e a MÃE (Alexandre Mocaiber).

E agora ??

mauricio disse...

Não duvido qua a demissão de 16.000 cause algum impacto, quando esse assunto começou há alguns meses ouvi no mesmo programa que empresários estavam mudando de cidade pois as demissões iriam acabar com seus negócios. Me veio em mente que não podemos viver sem a PMCG ou nosso empresariado é tao medíocre quanto os nossos governantes, pois em uma cidade de 500.000 hab. só é economicamente ativo quem trabalha na PMCG, o resto da socidade vive de pedir esmola ou de algum cheque do governo. Mais uma vez testam nossa humilde porém ativa inteligência com colocações idiotas. A verdade é que é interessantíssimo viver com esses 16.000 sob seu domínio, o retorno eleitoral é certo e não custa nada no bolso de quem domina, cai na conta da PMCG e nossos políticos acostumados a pagar 50 ou 100 reais dependendo da necessidade eleitoral economizam para as sua fazendas, apartamentos, carros, etc.

claudiokezen disse...

Muito bem colocado, Maurício. É por aí mesmo.

Anônimo disse...

Xacal, as Leis desse Pa'is dizem: " S'o servem para os tres P's. P..., P....,, P....

E F...