sábado, 27 de dezembro de 2008

Banho de sangue...



Os Estados nacionais têm o legítimo direito de defender seus cidadãos...

No entanto, o que assistimos na Faixa de Gaza é um extermínio em massa, um banho de sangue, que de acordo com o jornal inglês, The Independent, já conta com o maior número de mortos e feridos na região, desde a Guerra dos Seis Dias, 225 mortes confirmadas e pelo menos 700 feridos, que enchem hospitais que não têm remédios, material cirúrgico, e baixíssimas condições sanitárias...

Depois de meses de um bloqueio covarde, onde os palestinos são impedidos de receber toda e qualquer ajuda humanitária, os isralenses resolveram lançar uma ataque de larga escala, como resposta ao lançamento de foguetes Qassam, pelo palestinos...

Aviões e helicópteros lançaram bombas e mísseis sobre supostos alvos do Hamas...

O Egito, perante a crise, abriu suas fronteiras para receber feridos e mandar ajuda....

A desproporção entre a ameaça representada pelos foguetes palestinos frente a reação militar de Israel é gritante, e pode aumentar com as ações terrestres...

O ministro da defesa israelense, ehud barak, definiu bem as intenções de Israel com essa ofensiva militar: "não será fácil, e não será curta"...

Fotos: El País, The Independent.
Fonte:idem.


3 comentários:

Turcão disse...

Por mais que a política externa de Israel negue, usando a chantagem do discurso da segurança para obter dividendos políticos internos, o objetivo é mesmo levar à cabo uma guerra de "limpeza étnica" contra os palestinos.

Destruir sistematicamente e ao longo de décadas um país pobre e desorganizado com a ajuda financeira, estratégica e logística dos Estados Unidos, excluindo qualquer possibilidade de surgimento de lideranças democráticas e depois que apenas as instâncias mais radicais sobrevivem e aglutinam forças de resistência é o crime perfeito!

Some-se a isso interesses particulares de países árabes facilmente corruptíveis e desta forma isolados políticamente e "voilá"!

Não existe saía à vista...

Anônimo disse...

o que esperar de povo, que em prol de poder e dinheiro (banqueiros judeus suiços da 2ª guerra), aceitaram serem guardiões da pilhagem alemã de seus irmãos judeus menos afortunados na propia alemanha, polonia e outros paises invadidos. Talves estes sordidos "judeus" pilares de todo poder de israel, os tenha usados(judeus menos afortunados), usado o holocausto como forma de propaganda e como eles exploraram isso. pois logo apos a 2ª guerra eles conseguem o estado de israel. e tentam fazer com os palestinos o mesmo holocausto que ajudaram a hitler a impor a seus "irmãos judeus menos afortunados". é aquele velho ditado pimenta no olho dos outros é refresco.

Anônimo disse...

Por que os povo palestino não se une se acabam com o Hamas??

Ora, há interesse financeiro na existência desse grupo terrorista, decovardes!! Como os demais grupos terroristas, usam a desgraça do povo palestino como bandeira, usam crianças e mulheres em seus ataques. Usam homens-bombas em seus ataques, mas o curioso é que os dirigentes dos grupos terroristas nunca se prestam a fazer esse papel (o de homem-bomba).

Sem a viol~encia que eles provocam eles não faturam, não tem de onde ganhar dinheiro. Vivem do terrorismo.

Esse é o principal problema a ser enfrentado.