sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Diário da crise...

O senado estadunidense frustrou as expectativas das montadoras de automóveis, GM e Chrysler...

A ajuda de US$ 14 bi, pretendida pela empresas em dificuldades financeiras, não será alocada como previsto...

O New York Times prevê que a GM e Chrysler poderão entrar em colapso...

A dívida da GM soma US$60bi, que vencerão até o dia 31 de março de 2009...Com o aperto internacional no crédito, as possibilidades de reestruturação da dívida, com alongamento de prazos são pequenas...

Enquanto isso, a Comunidade Européia declarou que fará um aporte de 200 bilhões de euros, cerca de 1.5% do PIB do bloco, para conter os efeitos da crise...

Por aqui, nosso governo parece preso a ortodoxia monetária, o que torna as medidas contra os efeitos da quebradeira mundial, de certa forma, esquizofrênicas...De um lado mantém o alto custo do dinheiro, através da manutenção da taxa SELIC dos juros, de outro pretende aumentar a liquidez do sistema, ora diminuindo o compulsório dos bancos(dinheiro que são obrigados a recolher ao Bacen, para garantir os depósitos) ora alterando as alíquotas do IRPF, com a criação, inclusive, de novas faixas de contribuintes...


Fonte: El País, NYTimes e blog do Fábio Siqueira...

Nenhum comentário: