quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Memória dolorida...


Enquanto em nossa cidade, o (des)governo macabro "brinca" de tira-e-bota estátuas, e em nosso blog segue a enquete para determinar o local onde será instalado o busto do "prefeito sem peito", na Espanha, precisamente em Santander, os "manolos" seguem a fezer sua revisão com sua história recente...

A foto acima, do jornal El País, registra o momento da retirada do generalíssimo franco, ou francisco franco bahamonde, nascido em 1892, um dos maiores sanguinários da Europa, cúmplice de hitler e mussolini, que no entanto, perdurou no poder mais tempo...

É importante ressaltar: por lá, espanhóis retiram a memória de um passado vergonhoso, para saudar um presente melhor; por aqui nosso ALLKAYDE, e seus comparsas escondem nossas estátuas de um passado glorioso, para que esqueçamos quão indigno é nosso presente...

A memória sempre dói, na Espanha, em Campos dos G., ou em qualquer outro lugar...ainda que por motivos distintos...

Feliz 2012...


7 comentários:

Anônimo disse...

Nem todo crime por mais perfeito que seja, não é perfeito. Por conta disso reparei nas suas notas sarcásticas algumas palavras que já me soavam os ouvidos, mas eu não conseguia distinguir de quem eram.
Hoje curiosamente como um Peter Sellers consegui desvendar "sem querer, querendo" quem é o Xacal.
O sarcasmo está na sua face e na sua inteligência, por isso que deixo meu recado com mau sentido.

Xacal disse...

uiii, que mêda...mau sentido...hummm...isso é uma proposta, um convite...?acho que pousaste em blog errado...deves tentar o blog a pinta campista...

Gustavo Alejandro Oviedo disse...

da mesma forma que propomos a estatua de Mcaiber, nao acho que no caso de Franco deva ser retirada a sua estatua. Basta trocar a placa recordatoria: onde diz "um grande patriota" colocar "um tremendo filho da puta"

Xacal disse...

Concordo, Don Alejandro...

Anônimo disse...

Xacal, o correto é "Bahamonde".

Xacal disse...

ok, tem razão...copiei errado do el país...

vou lá corrigir, grato...

Turcão disse...

Só é de se esperar que com a retirada do ditador não se retire da memória das pessoas o horror da ditadura.