sábado, 27 de dezembro de 2008

O gato está com o guizo no pescoço...

Para quem tinha dúvidas de que a intenção da tia teletubbies freitas sobre a "aprovação automática", basta ler seu "novo" texto, hoje, no diário oficial da corte cor de rosa...

Mais uma vez a futura e ex-secretária nos brinda com sua principal qualidade: prestidigitação do debate, superficilaização de conceitos...e agora, com uma novidade: citação de autores, sem no entanto, resvalar no seu conteúdo, sequer nos comentários das orelhas, como faz com freqüência seu "chefe"...

A futura e ex secretária mente: estudos do MEC(Prova Brasil) demonstraram que não há grandes diferenças entre os resultados da escolas que adotam um ou outro modelo...

Leia um trecho postado pelo professor Marcos Almeida, retirado da reportagem da Folha de SP, que a secretária cita...Parece que leu, mas não entendeu...

"(...)A primeira comparação feita pelos autores do estudo é favorável aos alunos no sistema de ciclos, pois mostra que o desempenho deles nas provas de português e matemática é melhor, variando de uma diferença de 0,9% (na prova de matemática na 8ª série) para 4,4% (em português na 4ª série).

Nível socioeconômico
Isso, no entanto, não é suficiente para comprovar que o sistema de ciclos seja melhor, já que a diferença poderia ser devida ao fato de esses estudantes terem nível socioeconômico mais elevado e estarem em escolas mais bem equipadas.
Para captar melhor o efeito dos ciclos, os autores refizeram o cálculo, mas, desta vez, levando em consideração características das escolas e das famílias -que, já se sabe, têm peso significativo no rendimento.
Em outras palavras, eles comparam estudantes nas mesmas condições e com mesmas características.
O resultado mostra que a diferença passa a ser favorável a alunos no sistema seriado, mas é mínima."

A diferença, que a genial intelectual da pedagogia goitacá, parece menosprezar é a qualidade da escola e dos processos gerados, bem como a otimização e valorização dos recursos humanos disponíveis, com adaptação a realidade e especificidade de cada região...Sem contar a origem da clientela, que influi de forma determinante no contexto da avaliação...

A ex, futura secretária parece, no seu texto, concordar com um conceito que aqui mencionamos: o que importa é o tipo de escola que temos: boa ou ruim, e não os rótulos colados a ela...

Mas o que a secretária, futura e ex, pode apresentar como legado dessa experiência...?

Justamente o contrário do que prega, aliás, como é o costume da lapa...

Depoimentos colhidos junto aos profissionais da educação que atuaram sob a gestão da tia teletubbies freitas são unânimes: um desastre que repercutiu nos péssimos índices de avaliação dos nossos alunos, em passado recente...

Se a ex, futura secretária for capaz de entender a Educação como uma atividade cujos resultados se produzem em médio e longo prazos, e que têm relação de causa e efeito que não se dilui com a sucessão de governos, logo, terá que admitir que boa parte do fracasso que colhemos agora, foi plantado em sua gestão...

Sabemos todos que a idéia dos ciclos continuados não se resume em um só conceito: aprovação automática...

Mas perguntamos: alguém acredita que a gestão da tia teletiubbies seja capaz de implementar as condições ideiais para que esse modelo tenha sucesso...?

Ou assistiremos mais uma vez o embotamento dos professores sob regras destinadas a promover marketing político, e autopromoção dos gestores, em detrimento do interesse de alunos e comunidade...?


*Fonte-Folha de SP.

2 comentários:

Anônimo disse...

Xacal, parabéns pelas postagens sobre a educação. Esperava mais de quem também deveria fazê-lo e não o faz.

Anônimo disse...

Olha o preconceito com a Lapa!!! Eu sou de lá e não só eu como muitos outros são pessoas de bem...
Já passou da hora de generalizar os moradores da Lapa rebaixando-os à família Garotinho!!!