quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Os espanhóis e seus moinhos de vento...

Muito próximos de instaurar um novo Código Penal, que na opinião de alguns juristas, é um retrocesso que recria as medidas pós-penas, ou exaurimento da pena...Como cercear a liberdade e privacidade de condenados por terroristas após o cumprimento das suas respectivas penas...

Algo parecido com as penas da Inquisição, como salgar a terra dos condenados por heresia, , ou confisco de bens dos herdeiros dos réus...Não custa lembrar que a Inquisição espanhola foi a mais feroz e especializada de todas...Que o diga Torquemada...

Bom, como dizíamos, os espanhóis continuam a se debater com seus medos, e à medida que os enfrentam com paranóia, se materializam, e produzem medos maiores...circular como um moinho de vento, soprado pelos ventos do pânico...

A polêmica da vez em terras do Rei Juan Carlos é a descoberta de que o governo espanhol, na época do mandato do direitista José Maria Aznar, permitiu, porém negou até bem pouco tempo, escalas dos vôos estadunidenses com presos que seriam enviados para Guantánamo...
Cabe dizer que esses presos foram seqüestrados pelas polícias dos países colaboradores do Tio Sam...

Os vôos da morte ferem toda e qualquer tradição jurídica penal internacional...A prisão de Guantánamo idem...

Faltou aos espanhóis quem sabe um Sancho, um fiel escudeiro, que os afastasse dos desvairios e promessas de grande potência pelas bençãos dos donos do mundo...

Nenhum comentário: