sábado, 28 de fevereiro de 2009

Ajustes para o "baile 2010"...

Um de nossos leitores/comentaristas/colaboradores nos cobrou por esses dias, em meio a um dos posts aqui publicados, uma análise sobre o cenário de 2010...

Estamos reticentes com tal empreitada, e diremos o porquê...

Poderíamos recorrer ao óbvio, e denunciar o longo tempo que ainda falta para o pleito, e que as nuvens da política são mais intáveis que todas as outras...

Não é só isso...Mas é isso também...!

É falta de uma perspectiva que nos dê segurança para arriscar um palpite sobre um terreno tão arenoso e ardiloso...
Não me sinto seguro para especular sobre quem " vai dançar com quem" ou "quem vai dançar sozinho e sem música" nesse "baile 2010"...

Confesso que ainda não defini na minha cabeça o quanto as demandas dos candidatos majoritários federais(candidatos a presidência)influenciará ou determinará o futuro das chapas e arranjos estaduais...
Não é demais lembrar que em 1998, por exemplo, o diretório nacional do ex-pt passou o "rodo" na convenção estadual, que senão me engano havia indicado a Vladimir Palmeira para a candidatura a governador pela sigla...
Boa parte dos desdobramentos dessa "tratorada" nós sentimos até hoje, e principalmente no Estado do Rio e no Norte Fluminense...

Há outro aspecto importante que se alia a esse primeiro: a posição do pmdb...o pmdb sempre sacrificou a possibilidade de eleger um presidente, para poder com sua capilaridade nacional, e seu peso parlamentar, mandar no presidente que outros elegeram...pelo menos essa é a idéia que sustenta sua unidade em um universo tão conflituoso, e às vezes, com antagonismos irreconciliáveis...
A definição(ou quando se trata desse partido), ou a indefinição do pmdb são importantes para a arrumação das peças desse xadrez nacional e estadual...

Esses ingredientes, que engrossam esse caldo de incertezas, repercute em nosso Estado...
Embora a fala do governador cabralzinho, o ursinho puff, seja de que tentará a reeleição, sabemos todos que no exercício da política, na maioria das situações, fala-se justamente o que se pensa não fazer...É uma forma de ação diversionista para enfraquecer o conhecimento do adversário sobre seus planos...

cabralzinho investiu todas as suas fichas na cidade do Rio porque essa é sua visão pré-fusão(Guanabara x RJ)...Um "cacoete" da cultura "zona sul" da elite de nosso Estado...O abandono do interior fluminense para impor seu nome na cidade dos cariocas, no entanto, poderá lhe custar caro por deixado flancos importantes abertos na "roça", que já demonstrou ter força para eleger um governador, sua esposa que era(e talvez ainda seja)uma maria-ninguém, que por sua vez construiu um belo cacife nacional de votos para esse político(à época), e por fim, ainda lhe deu a possibilidade de eleger sua herdeira como uma das vereadoras mais votadas, justamente no quintal do cabral...

cabralzinho está diante de vários problemas:
Não tem certeza absoluta(e muito menos confiança)de que se reelegerá governador, pois dentre outras coisas, seu governo é um dos mais medíocres dos últimos tempos...
Também não pode contar como certa sua indicação numa chapa pmdb x pt, pois nem essa possibilidade está clara, e se estivesse, seu nome teria que enfrentar um longo sereno para ser aprovado entre os "seus"....Sem mencionar que a candidatura Dilma não é um bilhete para uma viagem certa ao Olimpo...Pode levar ao reino de Hades...

Nesse sentido, parece lógico que ele se apegará ao que já tem, ou seja, o cargo de governador...Ao abdicar da disputa para a vaga de vice da Dilma, cabralzinho fortalece seus laços com o presidente Lula que necessita de um palanque para a sua candidata em um dos Estados mais populosos, mais importantes e simbólicos do Brasil: O RJ...Ao mesmo tempo, Lula necessita enfraquecer a aliança do populismo da lapa com o populismo da Baixada(os garozitos), que pode fincar o palanque de zé serra em bases populares que ele nunca teria por aqui...

Os movimentos em torno de Lindberg Farias, ex-prefeito de Nova Iguaçu, e um dos postulantes a vaga de candidato a governador no ex-pt, são sintomáticos...Os garozitos cortejam o ex-cara pintada(e atual cara de pau) para isolar cabral, e colocar uma cunha no palanque do ex-pt no RJ...cabralzinho, o ursinho puff, o corteja para isolar os garozitos, e fortalecer sua posição junto a Lula...
O ex-cara pintada e atual cara de pau, Lindberg se credencia para uma vaga ao Senado...

Há um componente a ser avaliado pelo Lindberg...A aproximação aos garozitos(da lapa e da baixada) pode lhe custar muito internamente, no ambiente doméstico do ex-pt...A postura de ataques a Lula, e a biografia(vida pregressa) dos garozitos empurram o ex-pt para o colo de cabralzinho, ursinho puff, e deixam transparecer que o real desejo(ação diersionista) do Lindberg é aumentar seu cacife na negociação, e não se expor a uma candidatura com poucas chances, e contra o desejo do presidente...Vejam o caso do Alessandro Molon, o molóide, no pleito último para a prefeitura do Rio...Ficou falando sozinho, como "pobre na chuva"...

Por isso o Lindberg precisa ajustar o ritmo certo para não parecer "esperto demais", nem depois ficar isolado em uma candidatura esvaziada...
Nem tão rápido que pareça covardia, nem tão lento que pareça provocação...!
Já o garozito da lapa tem poucas possibilidades que não sejam se arriscar a uma candidatura ao governo do estado, com algumas nuances que podem tornar seu "inverno russo" mais rigoroso...
Não é mais uma novidade, muito menos um garotinho, e sua dinastia já ocupou por 08 anos o governo, que lhe traz os desgastes inerentes a administração...
Não tem espaço no partido ao qual estám filiado(sabe-se lá até quando) e sequer possui espaço de manobra para tentar um plano B, como uma candidatura ao Senado pelo pmdb...Essa vaga o cabralzinho guarda como importante instrumento de negociação, e dos seus planos não faz parte revitalizar o populismo dos garozitos(da lapa e da baixada)...
Resta ao garozito da lapa seduzir zé serra de que pode lhe conferir um palanque no RJ...Por isso a eleição da esposa-títere era crucial, e foi tratada como "questão de Estado"...Chegou ao limite de se esconder da campanha para não ameaçar a vitória com sua rejeição local...E quem conhece de perto o "escondidinho da lapa" sabe o quanto custa sacrificar sua vaidade...Isso demonstra como considerava importante o pleito...
Quando se posiciona com ar blasé, e diz que vai-não-vai, que tudo depende, blá, blá, blá...o garozito da lapa tenta minimizar seu desespero: sabe que a candidatura é sua única opção de continuar na política, mas pode ser (e é bem provável)que seja seu túmulo...
Um paradoxo...
Bom, depois continuaremos esses rudimentos de ilações...Em breve...

7 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela matéria.
Apesar de ter interpretações um pouco diferenciadas das suas, todavia, pelo bom conteúdo, foi para mim de grande valia.

Erik Schunk disse...

Caro Xacal,
Muito interessante a sua análise!
Um grande abraço!

Xacal disse...

grato pelos comentários...

Anônimo disse...

"E quem conhece de perto o "escondidinho da lapa" sabe o quanto custa sacrificar sua vaidade...Isso demonstra como considerava importante o pleito..."

Exatamente isso Xacal.

Foi bem no PONTO G.

Eleitor do 15 em estado de calamidade pública disse...

Voto em Cabral só pra sacanear com o Gayrotinho e acredito que por essa linha ele pode garantir aqui na baixada em torno de 120 mil votos, boa votação não???

Anônimo disse...

Xacal, gostei muito do texto, análise quase perfeita. Só acho que você não considerou muito o poder político de Garotinho. Não gosto dele, jamais votaria nele, mas que ele é um político profissional, isso ele é.

Xacal disse...

De forma alguma subestimo a capacidade de fazer política do napô...

Isso está descrito no texto quando falo dos "flancos" deixados por cabralzinho, o ursinho puff...

O problema que o exercício da política não é só "talento" e "vontade", mas depende muito das relações com os outros...E nesse ponto, o napô é um fracasso, pois nunca conseguiu agregar nada mais que debilóides fanáticos ao seu redor...com raríssimas e honrosas exceções...

Seu paradoxo, como citei, ou se quiser, o seu "inverno russo", se dá mais pelo fato da sua prática personalista e excludente do que pela sua falta de capacidade...

Seu espaço só diminuiu, se considerarmos que há pouquíssimo tempo esse personagem detinha um cacife eleitoral que o colocava como um dos "presidenciáveis"...

É claro que a eleição da prefeita-títere, da primeira-herdeira é um recomeço...

Mas a julgar pelos seus atos, cometerá os mesmos erros de sempre, só que agora agravados pelo fato de que não é mais nenhuma novidade, e a paciência do eleitor e dos interlocutores se esgota...

Ou como explicar o fato de ter que se "esconder" na campanha da esposa, em seu próprio quintal...?

Um abraço, e obrigado por enriquecer a discussão...