quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Coincidência...

Depois os fanáticos da lapa reclamam...
Mas não deixa de chamar a atenção o fato de que os três "mosqueteiros"(conselheiros) do TCE, envolvidos nas investigações da Operação Pasárgada, da PF, que apura um esquema de propinas articulado por uma empresa de "consultoria" de nome SIM(sim, deposita o meu aí...), sejam umbilicalmente ligados ao esquema político do napoleão da lapa...

Saíram da lavra desses ilustres senhores os votos mais esfuziantes de aprovação das contas dos napoleões da lapa, e na contramão, a condenação das contas dos adversários do torquemada da lapa...Se não me engano, o conselheiro graciosa e jonas lopes são crias do governo dos napoleões, indicados a época em que ocupavam o Palácio Guanabara...Já o Nader é uma aquisição "de fora", foi cooptado ao longo de muito "esforço"...

Nada nos autoriza a dizer que há implicações dos napoleões em mais esse "esquema"...
No entanto, cabe perguntar: o que dizer de um político que se diz o guardião da moral e bons costumes, mas que ande cercado de tanta gente ruim...?

Será que valeria o ditado: quem anda com os porcos, do mesmo farelo come...? 
Com a palavra as "cassandras", girondinos, fanáticos, milicianos e todos os canalhotas que seguem o cortejo fúnebre ornado em rosas ressecadas pelos ventos do continuísmo...!

2 comentários:

Rosita da Lapa disse...

Agora fudeu...opsss....saiu...rsrsrsr

Anônimo disse...

Conselheiros do TCE terão que se explicar


CONVOCADO Jonas Lopes se diz surpreso com a denúncia
Dos três conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) intimados pela Polícia Federal (PF) para depor no inquérito da Operação Pasárgada, que investiga o envolvimento de autoridades em desvios de recursos públicos em várias prefeituras brasileiras, somente José Nader havia informado que vai depor hoje, às 16h.
Segundo a assessoria do TCE-RJ, até ontem à tarde José Gomes Graciosa e Jonas Lopes de Carvalho Júnior ainda não haviam feito nenhum comunicado ao presidente José Maurício Nolasco. Como conselheiros, eles podem escolher dia e local para serem ouvidos.
A intimação doa acusados foi feita pelo delegado Mário Alexandre Veloso, após analisar documentos apreendidos na sede da SIM, uma empresa de consultoria que foi acusada de montar esquema de fraudes com o objetivo de beneficiar prefeitos.
Um dos documentos investigados é uma carta do ex-secretário municipal de Planejamento de Carapebus, Álvaro Lopes, detalhando o pagamento de propinas que a SIM deveria fazer a cinco conselheiros do TCE, entre 2003 e 2004. O secretário negou que tenha escrito a carta em documento registrado em cartório.
Dos cinco conselheiros citados, dois, que não tiveram os nomes revelados, não serão ouvidos porque a PF considerou não haver indícios suficientes contra eles. E decidiu intimar Lopes, Graciosa e José Nader. Graciosa já afirmou que não tem vínculo com as supostas fraudes da SIM e que está na expectativa de depor para esclarecer a situação.
O conselheiro Jonas Lopes de Carvalho também negou participação e afirmou que está disposto a responder todas as perguntas. "Não tenho nada a temer. Estou pasmo por ter sido convidado a depor", disse, afirmando também que está disposto a responder todas as perguntas do delegado Mário Alexandre e que não existe motivo para se preocupar, pois "as acusações são infundadas". Jonas Lopes afirma que todos os votos que proferiu sobre contas de prefeituras podem ser analisados por seus colegas. Nenhum dos votos teria beneficiado prefeituras em situação irregular. Já José Nader informou que vai depor na tarde de hoje.