sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Ecos da Coréia...

A operação da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, que matou 10 pessoas para apreender quatro ou cinco pistolas e duas granadas na comunidade da Coréia(zona oesta), e uma quantidade ínfima de entorpecente, repercute na mídia a essência da sociedade, que se diz ultrajada com os excessos...

Primeiro, o circo montado pela oab/rj...Como sempre a fala denuncia como pensa nossa elite...o presidente da seção fluminense da entidade foi aos microfones e câmeras de tv para dizer que a ação foi um absurdo, afinal, do que restou "apurado" apenas um entre as dez vítimas tinha anotação criminal...Em nossa reles e rasa opinião fica a mensagem: apenas um, entre os dez merecia o destino que teve, enquanto os outros "eram gente de bem"...
A reprodução desse discurso é grave...Muito mais grave quando são "defensores dos direitos humanos" que o proferem...Como se a vida se medisse pelos antecendentes...Uma vez culpado, sempre culpado...E uma vez culpado, execute-se a pena...!É o "juízo de exceção das ruas", montado sobre a precariedade e urgência de encontrar os bodes expiatórios do cumprimento da Lei...
Esse é o entendimento que legitima o massacre...!

Depois foi a imprensa...sempre ela, tingida em todos os tons de marrom...A cobertura da Rede Record News abusou do preconceito e da violação de todas as regras de sigilo médico...

Dentro da casa de um dos suspeitos, o suposto chefe da criminalidade local, a repórter aponta para a cama, onde estão diversos frascos de medicamentos, todos, de acordo com ela, para tratamento de portadores de HIV...A imbecil repete a informação "apurada" entre policiais de que o foragido seria soropositivo...
Um "show" de abuso contra o direito a manter informações sobre seu prontuário médico sob sigilo...

Não é de se espantar que a polícia do Brasil seja uma das que mais matam no mundo...A polícia não é feita de extra-terrestres...Ela só cumpre a missão para qual foi designada pelos "respeitáveis homens e mulheres de bem..." 

Fica a pergunta: será que para cumprir a lei é preciso rasgá-la antes...?

3 comentários:

Mury com y P... disse...

Bom dia amigo!!!
Obrigado pelo comentário no meu blog e até respondi lá.
Em sua homenagem postei hj as garantias do advogado.
Abraços

Xacal disse...

O tema é relevante...e seu blog foi muito feliz em trazer para discussão de forma tão aprofundada...

um abraço...

Roberto Torres disse...

Análise cortante xacal. O estado de direito nao existe no Brasil. Ele é um discurso que esconde o estado de excecao. É por deste que nao só os "condados por antecipacao" sao julgados nas ruas pela polícia e os acima da lei sao aliviados. A polícia, recrutada em sua maioria entre os pobres-ascendentes ou pobres-deliquentes, cumpre a funcao de julgar e punir as pessoas que a sociedade produz para "deixar morrer" no abandono. O direito é onde se fabrica o discurso mentiroso é as leis ambíguas para legalizar a guerra de classes e racas, onde as classes dominantes confinam, condenam e deixar morrer a "ralé".