quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Onde falta pão...

...todos gritam, e ninguém tem razão...!
Os conceitos tão caros ao neoliberalismo econômico, hoje peça de museu dos debates, parecem que não resistiram a necessidade de cada país cuidar de seus desempregados e da desaceleração brutal em suas economias...

É bem verdade que o "mito" do livre comércio já se arrastava pela conjuntura mundial, atingido por toda a sorte de prática protecionista...

Mas agora, os pudores foram abandonados, e a agenda política dos governantes parece ter incorporado os desejos do seu público interno, que enxerga no fechamento das suas economias uma solução para suas intempéries...

Por mais estranho que possa parecer, a hora é justamente de fazer o contrário, e aprofundar os laços do comércio internacional...
Ora, se o problema conecta todos os países em uma espiral de recessão, não haverá solução sem integração...
Chegou a hora de corrigir as sérias distorções de balança comercial entre países, que em última instância, geram déficits e fluxos cambiais que ameaçam a estabilidade econômica dos Estados nacionais...
No entanto, essa reengenharia deve desprezar a tentação de "nacionalização" e mais protecionismo...!

Urge substituir o modelo de "livre comércio" sustentado por desigualdades, e criar as premissas para uma redistribuição das riquezas ao redor do globo...
Essa é a essência do debate, e da "queda-de-braço" que se trava hoje no cenário mundial, e dentro dos países...
Se haverá apenas uma "reforma"(um "guaribada") dessa forma concentradora que ruiu, ou se reconstruiremos as fundações em bases isonômicas e democráticas...

Nenhum comentário: