quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Respeitável público...













Pelo novo critério de Ecclestone, Senna teria 4, e não 3 títulos mundiais...

Se a categoria mais importante do automobilismo, a F1, é chamada de Grande Circo, com certeza seu mestre de cerimônias é Bernie Ecclestone...

Os números do espetáculo não deixam dúvidas: 350 milhões de assíduos telespectadores a cada temporada, espalhados por mais de 200 países, e bilhões de dólares anuais de faturamento...

Com seu faro aguçado para dinheiro, Ecclestone mirou as "baterias" da F1 para a Ásia, um "oásis" superpovoado, e com poucas restrições aos principais patrocinadores, a indústria do fumo...

Sua mais recente cartada é aumentar a competitividade entre os pilotos, e diminuir a influência da teconologia e das estratégias de equipe nos resultados...

Bernie propõe um nova forma de registrar os pontos no campeonato, algo semelhante com o sistema olímpico de medalhas...
De acordo com uma matéria do jornal El País, o manda-chuva da F1 justifica sua idéia: "os pilotos terão que correr para ganhar(...)o campeão não pode ser um competente administrador de segundos lugares."

Impossível não relacionar essas mudanças com o campeonato passado, onde Felipe Massa obteve seis vitórias contra cinco do atual campeão Lewis Hamilton...A quem bastou manter um burocrático quinto lugar para conquistar o título da temporada...

É certo que muitos torcerão o nariz para as mudanças...Mas um fato é inegável: ninguém entende mais de tornar atrativa e rentável a F1 do que o anão do pitlane...!

Um comentário:

Gustavo Rangel disse...

A pontuação foi mudada na Era Schumacher para para que alguém conseguisse segurar o alemão. antes eral 9 pontos para o vencedor e 6 para o segundo colocado. Como Schummi ganhava quase todas, mudou-se então para 10 para o primeiro e 8 para o segundo. Convenhamos é uma diferença muito pequena, sendo assim valoriza-se mais o cara que é constante e não aquele que busca sempre a vitória. Se fosse a pontuação antiga, Felipe teria sido o campeão ano passado.