quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Sexta-feira 13...!Entre stalinistas e jecas tatus...!

Um dia simbólico para uma reunião do ex-pt da luz vermelha, ainda mais quando a pauta promete aquecer os ânimos...

A pergunta que não cala é: 
Seria possível aos integrantes(de todas as facções) da sigla partidária expiar suas culpas e erros, e marchar rumo a um consenso...?

Creio que não...!

Esse é o principal problema do ex-pt hoje, em Campos dos G....Os dirigentes da sigla não acreditam no debate democrático, não respeitam as críticas que lhes são dirigidas, enfim, não admitem a possibilidade de estarem errados...Acreditam numa maioria alicerçada sobre o silêncio e a cooptação, que submete sempre a minoria a asfixia de um assembleísmo pobre e desqualificado...Para eles, a maioria nunca está errada...Uma versão goitacá de stalinismo...
Já os setores oposicionistas do ex-pt padecem de uma preguiça endêmica, tal e qual o personagem Jeca Tatu...Reféns de sua incapacidade de operar o partido "por dentro", não trabalham a possibilidade de construir uma alternativa interna, e ficam para sempre como "exilados"...
Nesse contexto, a permanecerem esses perfis, o diálogo continuará improvável, como entre palestinos e israelitas, por um motivo óbvio:
Como no conflito palestino, os "lados" do ex-pt não conferem legitimidade ao outro

É preciso destacar um detalhe: No jogo político democrático, qualquer que seja o ente, ou instituição onde se dê uma disputa, cabe a quem exerce a direção trabalhar para aparar as arestas e manter um ambiente onde o embate não se encaminhe para a negação do outro...!

Justamente o contrário que fazem dinizinho "feizi totô" e seus asseclas...No fim das contas, mantêm o controle de um partido oco, que apenas serve para aluguel...Que, aliás, perde seu valor a cada dia...

5 comentários:

rufus disse...

Olá querido Xacal,

Disse um amigo meu, "jeca-tatu", que ele e mais alguns amigos nossos de boas memórias andam tomando fortes doses de biotônico fontoura de forma a ganharem a energia necessária para finalmente sair da pasmaceira em que, de fato, se encontram há anos. Ele inclusive, dado a fofocas, confidenciou que um deles se nutre também de força espiritual advinda de um estado de graça que anda e vira o acomete e que costuma dar bons frutos, ao menos a médio prazo. Outro cansou de olhar as coisas da pólis apenas como objeto de estudos e anda com grande apetite para retomar seu antigo espírito de liderança e ação.
Assim, já enviam sinais de fumaça virtuais pela rede que apesar de serem apenas estímulos, tiros de festim já encheram de brios os "stalinistas". Eles se preparam para uma pajelança após os festejos de momo na taba de um dos caciques, onde sua presença será cobrada. Antes disso haverá a preeliminar da sexta-feira 13, provavelmente inócua como vc diz, mas agora não dá mais pra arregar. É preciso ao menos demonstrar ânimo, confirmar que saímos - ato falho! - da preguiça e das "cavernas" e que nos pintamos pra guerra. Logo sua presença é fundamental - ainda que saibam que isto te desagrade sobremaneira!
Comtam(os) com vc.

Roberto Torres disse...

Assino em baixo!

Xacal disse...

Vocês bem sabem que o xacal só sai da toca prá comer carniça...

Mas dessa vez, por curiosidade, mais própria de felinos, abrirei uma exceção...

Um abraço a todos...

J. Lopes disse...

Acredito que os “erros” políticos cometidos pela direção do PT em Campos (que foram muitos e infantis), são extremamente sérios e devem ser amplamente discutidos. Torna-se necessário, e deve ser urgente, que se instale um processo de discussão dentro do diretório, na busca da causa desses erros políticos e de avaliação, e os motivos que levaram a eles, principalmente, porque ao que tudo indica, ocorreram devido às ambições pessoais de seus membros. Porém, não podemos deixar de registrar que isso, também, foi possível, devido à omissão de uma parte dos membros da direção e dos filiados do partido em Campos, que apesar de não compactuarem com a postura adesista (visando alcançar objetivos pessoais) da maioria da executiva, se acomodou na posição minoritária.

Sou de opinião que apesar de se analisar os erros do passado é necessário, paralelamente, pensar no futuro e preparar para resgatar o PT de Campos das mãos dessa minoria, que se tornou maioria devido à apatia dos militantes e filiados ao partido. Esse resgate passa, necessariamente, pelas eleições (não esquecendo que eles foram eleitos de forma democrática), que irão ocorrer ainda este ano, se não estou equivocado.
Antes de tudo, porém, é de fundamental importância, independente das correntes políticas a que pertencem e/ou das mágoas e ressentimentos que corroem as mentes e os corações, desses filiados mais antigos, que eles retornem ao partido (esquecendo, pelo menos temporariamente, as suas diferenças), para reorganizá-lo e oxigená-lo, através de uma ampla campanha de filiação. Esse chamado vai diretamente para aqueles que ao longo do tempo deixaram de freqüentar o partido pelos desvios impostos pelas executivas, que transformaram o PT de Campos em um partido de aluguel a serviço dos interesses, nem sempre confessáveis de alguns.

Com o resgate dos filiados desiludidos, e em paralelo a uma campanha de filiação, deve-se iniciar um processo de discussão, visando à aliança de todos os grupos internos de oposição, e, por conseguinte montar uma chapa e vencer as próximas eleições internas. E dentro de quatro anos chegar à Prefeitura de Campos, além de eleger um bom numero de vereadores, comprometidos com o programa e os reais ideais do partido.

Essa proposta não é prematura e muito menos voluntarista, como pode parecer inicialmente, porque se desejamos ser um fato novo e mudar a pratica política dos últimos vinte anos na política de Campos, temos que nos preparar com bastante antecedência, para não corrermos o risco de termos a mesma frustração do ano passado em que se tentou impor um nome, através do movimento de Chega de Palhaçada, mas como não se tinha o controle do partido, o esforço foi em vão. Além do mais, todo partido almeja o poder (aqueles que não almejam, são os partidos de aluguel, que ficam a espera do momento oportuno para serem utilizados em negociatas, como é hoje o PT de Campos), para implantar a sua visão de sociedade, e para alcançar esse objetivo é necessário tempo, unidade interna, boa organização e um planejamento estratégico de longo prazo.

Rashid Murad Cabral Abude disse...

ÉEEEEEEEEEE ODETE!!!