segunda-feira, 9 de março de 2009

Dogmas...

Muito barulho se fez pelas declarações do Arcebispo de Recife, o qual não me recordo o nome, e seu ato de excomunhão dos envolvidos no aborto de uma menina de nove anos, vítima de abuso sexual(estupro)...

Primeiro, essa discussão é um retrocesso, pois nosso Código Penal prevê essa possibilidade com exclusão de ilicitude...Ou seja, pais, e médicos que concorreram para o aborto não cometeram qualquer conduta típica(crime)...

Pelo lado da Igreja Católica, da fé dos seus integrantes, e dos dogmas, o aborto é um pecado gravíssimo, passível de excomunhão, que para quem não sabe, é a exclusão do fiel do seio da Igreja Católica, Apostólica e Romana...Não poderá praticar nenhum dos seus ritos, nem receber nenhum sacramento...

Ora, ora, ora, na verdade aqueles(a grande mídia) que dão muita dimensão a esse tema, nem todos é claro, pretendem reintroduzir uma polêmica que parte de premissas falsas...Nem o Estado punirá, e a Igreja já tem esse tema definido...

Como pretendemos um Estado laico, e uma Igreja que mantenha sua posição na sociedade, sem interferir em questões temporais, afetas a todos os contribuintes, católicos ou não, entendemos que esse debate é desnecessário...

Cada qual se manteve em seu canto, assim: 
O arcebispo, ou qualquer outra "autoridade" eclesiástica católica pode praticar os atos punitivos inerentes aos dogmas e preceitos de sua denominação religiosa...Agora, se isso atrai, ou afasta novos e velhos fiéis, ou se a Igreja não se adaptou às novas exigências da modernidade, isso é um problema das encíclicas e bulas, a serem definidas nos seus Concílios e outros encontros do gênero...Não nos cabe discutir esses preceitos...A fé católica pressupõe obediência...Quem não concorda, que desista dela...

Enquanto se mantiverem no campo da fé, as exigências católicas só dizem respeito a seus fiés...

16 comentários:

Anônimo disse...

Não a hipocresia !
Pederastia, pedofilia,
Práticas libidinosas e um exercício pleno da Sexualidade, encoberto sob o manto da hipocresia . Não deveria ser uma preocupação maior dos cardiais das igrejas ?
A mídia é ávida por estes acontecimentos. Acontece todos os dias sob seus coorporativos olhares.
Me perdoe se estou pecando com esta afirmação, pois de conforme o que ouvi de sua boca este meu pecado de dizer a verdade é passível de perdão.
Que tal adotar para as devidas penitencias, caro Arcebispo o padastro canalha, traga-o sob sua proteção, leve o para casa, faça-o arrepender-se, assim, vossos pecados serão perdoados?
Sou servo de Deus, e este é verdadeiro, permite o sofrimento para a nossa evolução e crescimento.
Cresça em Deus , evolua minha igreja !

Ernesto carcará

Raskolnikov disse...

Eis mais uma manifestação de fascismo católico! Considerar o ato de ESTUPRO "menos grave" do que o aborto (que buscou preservar a vida da VÍTIMA), me lembra o senso de intransigência típica da SOLUÇÃO FINAL dos nazis nos campos de extermínio! Discordo da interpretação segundo a qual a defesa pública desses dogmas/atitudes reacionários (acobertados de um manto de santidade insana) digam respeito somente aos fiés. O que é isso meu caro Xacal? No espaço público numa República como a nossa e em nome dos valores democráticos e humanitários corporificados no universalismo dos Direitos Humanos, uma posição dessas deve ter nosso repúdio mais visceral. Até do ponto de vista do mercado da fé ese tipo de posição é contraproducente e contraditóra com valores cristãos tais como solidariedade e amor ao próximo. Bem dizia Nietzsche: desconfie de quem reprime a VONTADE DE POTÊNCIA em nome de valores transcendentes! Na verdade, o diagnóstico do filósofo alemão era mais amplo: o cultivo transcendente/absoluto de certos valores produz na verdade um feito gravemente paradoxal: o niilismo!

Nietzsche disse...

Deus está Morto!!!!

Xacal disse...

A questão é justamente essa, meu caro comentarista das 17:20...

Não remeti a discussão para nenhum espaço republicano...a Igreja Católica, Apostólica e Romana não é uma democracia, nem espaço republicano...Por lá vigem a obediência irrestrita aos dogmas e a hierarquia...

As "Autoridades" eclesiásticas podem punir, e excomungar os fiéis que infringirem tais normais religiosas...

Em um ambiente democrático de tolerância a todos os credos, defendo que cada um deles sigam seus ritos(desde que não contrariem a lei)e apliquem a seus fiéis os ritos e sanções que melhor lhes convier...

Eu repudio veementemente tal posição, por isso não sou católico...mas minha repulsa pára por aí...qualquer avanço sobre as decisões e práticas religiosas dessa, ou de qualquer outra denominação ou seita, seria ferir o direito deles de gozar da liberdade de culto...

O que defendo é que católicos façam entre si aquilo que acreditam...se vc não gosta da opinião do arcebispo, não se submeta a ela, e não se proclame católico...

Agora, tão grave quanto a Igreja se imiscuir em temas temporais, seria a sociedade temporal pautar o debate das crenças religiosas...

Um abraço...

Raskolnikov disse...

Meu e bom Xacal, a discussão já está no espaço público! O que nós podemos ter é um melhor (mais bem informado e crítico) ou pior bom senso (vide Gramsci!). No mais, cabe lembrar o peso cultural da matriz católica na nossa formação histórica, espacialmente na terra Goytacá a onde aindea viceja de forma "renovada" a TFP!
Saudações Bolcheviques

Anônimo disse...

Da mesma maneira que o Vaticano acha que a maquina de lavar trouxe mais beneficios as mulheres do que a pilula:

http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRSPE52804520090309

E condena pesquisas com celulas tronco:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u531723.shtml

No fim, colocando na balança, a IGREJA é que é contra a vida.

Xacal disse...

Caríssimo Raskolnikov,

O fato da discussão se situar na esfera pública, não a torna de domínio público...E você bem sabe disso...

É claro que há uma relação, e uma dimensão dialética que repercute o anseio da sociedade em influenciar os aspectos religiosos católicas e a instituição Igreja, mas apenas a Igreja, como esfera privada(seus dogmas e sua fé, e seus seguidores)podem legitimar ou não a influência desse discurso em seu âmbito(privado)...

Permitir ou desejar que esse interlocução vá além desses limites é, de modo invertido, aceitar que a Igreja e suas crenças, interfiram no Estado laico...

O fato desse influência existir não a legitima por si só, e nossa luta democrática e republicana é, justamente, impedir essa "contaminação"!...

Um abraço, e saudações existencialistas...

Anônimo disse...

O meu DEUS, graças à Deus, não é o mesmo da Igreja Católica. Igreja mercenária, atrasada, ignorante,
pecadora e corrupta. Vocês sabiam que existe na igreja católica uma
lei, desde a sua fundação, de que ela jamais gastará qualquer centavo para se manter ? Pois é. É a lei deles. Tudo que Jesus pregou
com sua humildade, eles fazem o contrário. Vivem rodeados da cor dourada. Tudo na igreja lembra "ouro". Existem excessões. Mas são poucas. Este arcebispo primitivo nada mais é do que um inquisitor. Querem minha opinião sobre o aborto ? A mulher tem direitos únicos e exclusivos sobre
seu corpo. Se houver alguma punição divina, ela arcará com sua atitude.Finalizando, os padres, bispos, arcebispos, cardeais, papas, e outros idiotas gostam mesmo é de criancinhas gordinhas com buchechas rosadas e suspensórios. Quase todos ! Cuidado com eles. As carolas que o digam. Todos perguntam por que o
estuprador não foi excomungado. Sabem por que não ? Porque para a igreja, estupro é uma coisa comum. Verifiquem a vida deste infeliz arcebispo, e verão o quão verme ele é.

Xacal disse...

comentários alheios ao post serão retirados, já avisei antes...

ainda por cima com nome de publicador de outro blog...nada contra o roberto moraes, mas acho um desrespeito aos leitores e a mim...portanto

Laís Monteiro disse...

Muito boa colocação!

Flávio Mussa Tavares disse...

Caro Xacal, sem abordar o tema apaixonadamente, como muitos comentaristas, quero ater-me a um ponto. O risco de vida à menina grávida. Esse é para mim a questão ética da qual um médica, não pode, por juramento, abster-se de cumprir. Não é possível permitir que uma gestação progrida com grave risco de vida à genitora, no caso uma menina impúbere, cuja bacia é ainda de menina(não é ginecóide), o que resultaria, em se tratando mesmo de uma gestação de feto único, quase improvável. Em se tratando de gestação gemelar, isso poderia se constituir não apenas num estupro, mas num assassinato, assistido pela medicina.
Quanto ao bispo, penso que ele agiu, num ato falho, defendendo seus pares pedófilos, pois não há neste mundo em são consciência, alguém que admita como natural o que este pároco falou.

Flávio Mussa Tavares disse...

Perdão, "sã conciência"

buscando a terceira via disse...

parabéns aos comentário do anônimo das 22;09 a igreja muito terá que responder através dos seus padres ,bispos e etc no juizo final e, do Dr.Flávio Mussa.

Igor disse...

Tive uma (feliz) surpresa ao ler o post.

Parabéns pela lucidez, Xacal!

Caso tenha interesse, escrevi dois textos sobre o tema aborto em meu blog, um deles tratando do caso da Igreja.

Igor disse...

Aliás, é uma pena que o nível não tenha se mantido nos comentários, como as postagens descabidas e gratuitamente ofensivas dos comentaristas "Raskolnikov" e "Flávio Mussa Tavares", demonstrando uma rasa compreensão do tema...

Rosita Perón disse...

O PAPA É POP!!!
e como todo pop tem suas perversões...vide Madonna e Michael.