quarta-feira, 11 de março de 2009

É hora de agir...

Esse seria mais um daqueles textos onde destacaríamos a incongruência de certos setores da nossa sociedade, que apenas se alvoroçam com a ocorrência de homicídios quando os fatos batem à porta de seu quintal, como foi o caso do assassinato de um homem, ontem, em frente ao Forum Maria Tereza Gusmão...

Nesses casos, todos se reúnem, mostram indignação, e assim que o susto passa, nada mais é feito, e voltamos a nossa rotina de banalização da violência, e agimos até com certa indiferença ao nos depararmos com as notícias de mortes na periferia...Se elas se mantiverem por lá, tudo bem...Reproduzimos a velha "desculpa", ensinada pelas "otôridades incompetentes: são mortes ligadas ao tráfico"! Ahhh, ainda bem...suspirará a madame...!

Mas há momentos de "colocar o dedo na ferida", e outros de nos unirmos para enfrentar problemas que ameaçam toda a sociedade, desde o mais rico até o mais pobre...

Para isso, precisamos de menos histeria e personalismo, e mais...muito mais estudo das relações causa-efeito, debates e formulação de soluções coletivas, onde todos os estratos sociais possam aderir a formas de combate a criminalidade, e também a violência não criminosa, que pode evoluir para essa primeira modalidade...
De certo que em determinadas ocasiões é preciso agir, mas não é mais possível desprezar a necessidade de PENSAR antes de agir...
Em certos casos, a organização e fiscalização(blitzens) do trânsito, ou a fiscalização e regulação da venda de bebidas alcoólicas podem salvar muitas vidas...Muito mais produtivas que fuzis, caveirões, ou tropas de(a) elite...
Ontem, por exemplo, perdemos mais vidas para o trânsito do que para o crime, em locais bem próximos...

Exigir das autoridades que tabulem dados confiáveis sobre os crimes, e não o façam ao sabor da sua agenda eleitoral, com as manipulações óbvias é outro passo importante...
Já entrou para nosso trágico folclore a transformação de homicídios em encontro de cadáver e remoção para verificação de óbito...
Se não sabemos como, quando e onde como saberemos quem e o porquê...?

Outra questão é definir prioridades: a vida humana deve ser a primeira, independentemente da origem de classe dos possíveis alvos do crime de morte...Se os mortos são juízes ou traficantes, não interessa...Os esforços da polícia devem ser equivalentes na prevenção e apuração desses fatos...A existência de Delegacias Especializadas como a de Homicídios para tratar do assassinato de "gente importante" é uma aberração largamente aceita, e até exigida por nossa sociedade que adora modelos de exclusão...desde que o excluído seja o outro...

É preciso que os esforços policiais sejam deslocados, caso sejam insuficientes, como sempre, para localidades onde a mancha criminal apontem sua necessidade, e não para satisfazer a paranóia de alguns...
Primeiro a vida, depois o patrimônio, e não ao contrário, como vemos hoje...

Há questões de ordem prática que impedem totalmente a eficácia da polícia na investigação desses crimes...Nossa perícia técnica, habilitada com peritos de alto gabarito, sequer consegue colher impressões datiloscópicas de um local de crime, pela absoluto desleixo de nossas autoridades, que não a suprem com o material necessário para tal tarefa...
Assim, as famílias mais abastadas que podem "doar" o material têm mais chances de verem elucidados os crimes que as envolvem, enquanto aos mais pobres...bem, aos mais pobres só a indiferença e ineficiência do Estado...
Um simples exame de confronto balístico espera meses na sede do Instituto de Criminalística Carlo Éboli em sua sede, na capital...
Até alguns dias atrás, a equipe de peritos viajava de carona, pois estava SEM viatura...

Uma polícia maltratada em suas necessidades materiais, como salários, viaturas, material e instalações será sempre uma "guarda pretoriana"...Sempre guardará o imperador e sua corte...
Funcionará sempre para atender as demandas das elites, que através de suas conexões com o poder, ou pelo fato de serem o próprio poder, farão com que as engrenagens se movimentem a seu favor...

Uma polícia democrática e cidadã é fruto de uma sociedade com a mesma natureza, e não esse modelo verticalizado, excludente e elitista que temos...A polícia, e sua eficiência, refletem a pirâmide social que temos...

Seria o início da caminhada se os setores mais de nossa sociedade se despissem de seus privilégios, e por exemplo, se submetessem democraticamente a uma reunião com o caráter da que se realizará no CDL, às 14 horas, para preparar nossa Conferência Municipal de Segurança Pública, onde os temas que nos afligem poderão encontrar uma solução coletiva...

Bem ao contrário das bravatas dos convescotes dos privilegiados, que exigem segurança, desde que sejam os primeiros beneficiados... 

14 comentários:

Uenfezado disse...

Um grande número de crimes é cometido por motociclistas. Se a Guarda Municipal começasse a trabalhar e realizasse blitzs pela cidade, fiscalizando motoristas sem carteira, motos sem documentação ou sem condições de uso( sem placa, escapamento furado, etc), muitos dos problemas de violência seriam reduzidos. Precisaríamos, também, integrar as forças policiais.
Claro que o problema é mais complexo! Uma parte, realmente, é um problema policial, mas tem um lado social (educação básica pública falida, região sem perspectiva de emprego, estimulo ao consumismo, ...).
O que a sociedade pode fazer é cobrar de seus representantes soluções concretas! Será que o governo atual possui vontade e pulso para transformar esta realidade?

Anônimo disse...

Xacal,

Concordo com quase tudo.

No entanto, se um cara é um chefao do trafico, procurado por inumeros crimes e aparece morto. Voce acha que a policia tem que gastar pessoal, tempo e recursos já escassos para descobrir quem "derrubou" o bandido ??

Anônimo disse...

Uenfezando,
Só saberemos se nos organizarmos enquanto sociedade civil para discutir, propor e cobrar dos responsáveis medidas para conscientizar, evitar e sarnar problemas que causam violência, que são inúmeros.
Hoje, às 14h no CDL, vamos organizar uma comissão para dar consequência a conferência municipal de segurança pública que dará sequência as conferências estadul e municipal, respectivamente. Apareçam!!!

Xacal disse...

Claro que sim...pois antes de ser julgado e condenado, ninguém pode ser considerado culpado...Esse é um dos pilares do nosso estado democrático de direito, que protege a ele, eu e você, ou seja todos nós...

Se ele é culpado, que cumpra sua pena em um local adequado a sua periculosidade, conforme prevê a Lei de Execuções Penais...

Se você banaliza a morte só porque é supostamente a de um criminoso vc legitima esquadrões da morte, e grupos de execução, que com certeza, poderá atingir você...

Não é a qualidade da pessoa que deve movimentar o aparto policial, e sim o crime de morte, de quem quer que seja...

E não esqueça: um erro não se corrige com outro erro...

Se vc acha normal a morte para determinado tipo de criminoso, então siga a via institucional e vote naqueles deputados que defendem a pena de morte...

Aí sim, se a sociedade legitimar essa sua demanda, haverá um devido processo legal, com ampla defesa e contraditório e boa assistência jurídica(o que nunca acontece)...

Mas lembre-se que mesmo em paíes ditos desenvolvidos, com maturidade institucional, a pena de morte majoritariamente incide sobre os pobre e pretos, como nos EEUU...

Obrigado por participar do debate...

Anônimo disse...

Xacal, este post veio em boa hora , pois a banalização que é comum na capital do estado esta chegando de mansinho em nossa cidade, vamos dar um basta nisso , então toda sociedade unida sem medo , e preciso sim meter a cara na frente , encarar e resolver o problema juntos com as autoridades,respeitando todo conjunto de leis que regem nossa carta magna, chega de justiça com as proprias mãos, como voce mesmo disse não queremos o trafico mas tambem não queremos grupos de exterminio em nossa cidade.Alguns vão dizer que estou exagerando aqui em Campos não tem dessas coisas , gente sera que da para acreditar que todas as mortes que acontecem em nossa cidade e de responsabilidade do trafico , claro que não ,é notorio a participação de autoridades constituidas no meio disso que amparada por uma parte da população que acha que criminoso tem que ser linchado ou morto vide os incentivos de pessoas ao redor destes tipos de acontecimento.Xacal perguntas que não calam:
1-por que motos sem placas ou de placas viradas andam livremente pela cidade sem serem interpeladas por nenhum agente da lei(PM OU GUARDAS MUNICIPAIS ), as ditas chegam a ficar emparelhadas a viaturas policiais , lado a lado nos sinais ou em qualquer parte da cidade, em Grussai por exemplo eles paravam lado a lado e não eram importunados.
2-Sera que uma pessoa de boa indole viraria a placa de seus veiculos(varias motos na cidade).

3-Muito mais grave: em frente ao quartel da rua Formosa algumas motos sem placa, nem la esta pratica é proibida ? A maioria dos homicidios em Campos são cometidos por pistoleiros tendo como veiculo as motos de placa virada , sera que é preciso grandes investimentos para começarem a coibir este tipo de delito ? não bastam algumas blitzs ?
4-por que as pessoas de classe media são interpeladas pelas autoridades de uma forma bem mais gentil do que a massa pobre , isto não é um fomentador de violencia?

5- Sera que da para a imprensa local parar de dar razão as autoridades quando eles dizem que todos os crimes ou quase todos são praticados pelo trafico , e se é por que não tomam uma atitude? como sabemos que não é ,vamos meter o dedo na ferida enquanto e tempo.
A proposito um PM foi baleado de maneira covarde , resultado uma semana depois o caso estava elucidado e os criminosos presos ,por que em outros casos as autoridades dizem que ninguem deu informações e os crimes ficam insoluveis ?Bem neste caso o personagem era um PM e se fosse o contrario um cidadão comum , no outro dia as manchetes nos jornais (JOVEM MORTO COM VARIOS TIROS , O INDIVIDUO ERA DO TRAFICO E MORREU POR ACERTOS DE CONTAS). Sera que realmente todos fazem parte do trafico ?Por isto não da para banalizar a coisa , pois enquanto acontecer com os filhos dos outros tudo bem, mas...
MUITO COISA PARA SER DISCUTIDO NO CDL E DEPOIS EM TODA SOCIEDADE , O PROBLEMA É NOSSO E DAS AUTORIDADES.

Sérgio Provisano disse...

Em nossa cidade, vejo, ouço e leio nos noticiários, que a maioria dos homicídios que envolvem pessoas de baixa renda, segundo as autoridades na área de segurança pública, a ligação com o tráfico de drogas é óbvia.

Isso, segundo elas, as autoridades. É claro que é fácil atribuir esses crimes à disputas territoriais ou mesmo acertos de contas, pois assim, as mesmas autoridades, podem se esconder e não investigar os autores dos homicídios cada vez mais frequentes e consequentemente, banais.

A banalização da violência causa uma espécie de torpor na sociedade civil e, a grande maioria dos cidadãos, perde a capacidade de se indignar, só reagindo de forma mais emocional quando a vítima faz parte de seu círculo de relacionamento.

É comum vermos opiniões mais radicais do tipo "bandido bom é bandido morto", só que, a presunção da inocência é um dos pilares básicos de nossa Democracia. Sem o devido processo legal, nenhum cidadão pode ser condenado, com bem disse o Xacal.

O Estado Democrático de Direito foi uma dura conquista da sociedade, após anos de Ditadura Militar, não podemos pois, ignorar tal conquista e jogar na lata de lixo da História, só porque as autoridades se mostram incompetentes para elucidar esses crimes.

O uso da inteligência no combate ao crime é primordial, mas, temos que admitir que o Estado não dá as mínimas condições para que as polícias possam trabalhar, são viaturas caindo aos pedaços, policiais mal remunerados, mal preparados, delegacias em péssimas condições de conservação, enfim, o caos!

Há cerca de dez dias atrás por exemplo, em Grussaí, socorri uma Patamo na rua das Flores, que, quando os policiais pararam a viatura e desligaram o motor, quando foram ligar novamente, não conseguiram, como eu tinha um cabo de chupeta, conectei na minha bateria e conseguimos dar a partida na viatura, que, diga-se de passagem, estava em péssimas condições de conservação.

Como Uenfezado disse, o problema é mais complexo e o somatório disso tudo, faz o caldo de cultura ideal para que a violência assuma proporções incontroláveis.

Xacal disse...

Que bom Sérgio que retornaste ao nosso humilde blog...

Sei que na primeira experiência a receptividade não foi muito educada da parte do xacal...

E aqui publico minhs escusas por ter repelido você do nosso convívio, independentemente de suas opiniões, vc é um adversário que merece nosso respeito, ao contrário de outros tantos...

Um abraço...

Sérgio Provisano disse...

É claro que aceito as escusas e devo confessar que sempre acesso o blog, pois não o considero humilde e sim um dos mais importantes da blogsfera. Posts plenos de conteúdos e que nos levam a reflexões profundas sobre o futuro de nossa cidade.

Não me senti em nenhum momento repelido, uma vez que, todos os meus comentários foram democraticamente publicados naquele debate interessante.

A Trolha trilha o caminho da Democracia, por isso, creio eu, ser um dos blogs mais acessados na região.

O que a sociedade precisa é disso, espaços onde se possa de forma abrangente e democrática, discutir-se questões de interesse da população e isso, a Trolha o faz com muita propriedade.

Vida longa à Trolha e a você também, Xacal, se bem que a Trolha e Xacal, saõ uma entidade só. Boa noite.

Anônimo disse...

Ninguém nasce mau, ninguém nasce bandido... O meio é quem transforma...

Anônimo disse...

Perfeito o seu texto.Trabalhado sob à ótica de uma análise muito boa. Gostei imensamente.Que nós leitores tenhamos nosso espírito de colaboração nesses casos que têm espantado tanto a comunidade e, possamos dentro do possível, ajudarmos a pensar um meio de reverter o quadro.

Anônimo disse...

Provisano, meu querido,

Sempre te admirei, ainda mais depois deste texto. beijos dos amigos da secretaria de Saúde.

Anônimo disse...

Atenção a Constituição Brasileira não considera ninguém INOCENTE ! lEIAM O ART. 5° POR FAVOR ! Ela considera NÃO CULPADO o que é bem diferente . Porém essa não foi a interpretação dada pelo STF .

Quando um cara é condenado em 1° instância por um juiz idôneo e competente ele deve permancer preso . E isso é bastante óbvio ! PQ deveremos esperar outro juiz ( ou juízes) se manifestarem novamente . Acaso aquela decisão de um JUIZ de 1° grau não vale NADA !!?? Na medida em que um juiz dá uma sentença condenatória o Estado juiz esta invertendo o princípio da não-culpabilidade . Esperar outras decisões é inverter a lógica de qualquer sistema . E quem se beneficia disso ? Quem pode pg advogados para recorrerem indefinidamente !!

Anônimo disse...

Um amigo meu morreu assassinado ontem, que eu saiba nunca esteve envolvido com drogas, bandidagem ou algo semelhante, estão matando por simples crueldade!

Romualdo Lacerda Sobrinho disse...

Minha tia foi assaltada e o ladrão deu vários tiros em sua direção ( graças a Deus, não acertou nenhum ) se ela morrese, ela tb seria do tráfico???